“Bancos vão comer poeira”, diz Mantega. “Não vão, não” garante Henrique Meirelles

A divisão, divergência, desagregação do governo ficou evidente na questão dos bancos privados (particulares, quase todos multinacionais-globalizados) ultrapassados pelo BB, estatal e vitorioso.

O ministro da Fazenda veio logo a público, “criticando” esses bancos. A Folha, em manchete, “interpretou” o que ele disse, trocou o CRITICANDO por ATACANDO. É impossível no Brasil CRITICAR bancos particulares, isso desagrada a Febraban.

O ZELOSO e clarividente Meirelles

Mas a grande defesa viria da parte da presidente do Banco Central, usando e refutando o Ministro da Fazenda com suas próprias palavras.

Há muito que não se falam, Mantega e Meirelles não respeitam o protocolo ou a educação. O bom senso mandava que o presidente do BC esperasse pelo menos alguns dias. Os bancos, arrogantes, talvez esperassem, sabem que nada os atinge. Meirelles, subserviente, acreditou que perderia espaço com a Febraban, não demorou e garantiu sem constrangimento: “Os bancos privados vão resistir”. Lógico, com os juros que cobram, jamais serão atingidos. (Exclusiva)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *