Temer se salva em plenário, mantém a base aliada, mas sua saúde é problemática

Resultado de imagem para camara rejeita a segundaPedro do Coutto

Não deu certo a estratégia da oposição. Ao contrário da posição assumida quando da primeira denúncia, desta vez os oposicionistas decidiram não dar número para votação da segunda investida destinada a permitir que o Supremo Tribunal Federal pudesse julgar o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, acusados pela Procuradoria Geral da República de formação de quadrilha e corrupção. Nesse posicionamento a oposição contava com o apoio de uma dissidência na bancada governista, mas a iniciativa da oposição não prosperou e a votação ocorreu em meio à notícia de que o presidente da República tinha sido hospitalizado em situação de emergência.

Era necessário haver 342 parlamentares em plenário para que a votação fosse efetuada, por coincidência o mesmo número exigido para aceitação da denúncia, com o presidente sendo afastado pelo prazo constitucional de até 180 dias. Foi atingido o quorum, mas o presidente se safou, mais uma vez, preservando também os ministros Padilha e Eliseu.

BASE ALIADA – Sobre a votação em si, é preciso destacar que a base aliada do governo está mantida, porque foi mínima a redução do número de deputados que apoiam incondicionalmente o atual governo.

Na votação da primeira denúncia, dia 3 de agosto, votaram 492 deputados dos 513 deputados: 263 a favor do relatório, 227 contra e duas abstenções. Houve 19 ausências. De acordo com a secretaria, um deputado – Adail Carneiro (PP-CE) – estava licenciado para tratamento de saúde e não houve convocação de suplente. e com base no regimento da Câmara, o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) não votou.

Na segunda votação, na noite desta quarta-feira, após 12 horas e 20 minutos de sessão, a Câmara dos Deputados rejeitou  por 251 votos a 233 (com duas abstenções e 25 ausentes). O resultado mostra que nada mudou e a base aliada de Temer continua praticamente a mesma, pois a oposição obteve apenas cinco votos a mais, em relação à primeira  denúncia, em agosto.

CASO MÉDICO – Vencida a etapa parlamentar, se o afastamento de Michel Temer for estabelecido em função de seu estado de saúde, eis uma hipótese que leva à sombra da dúvida. Caso se trate de episódio passageiro, e sua hospitalização tornar-se apenas necessária por breve período, o problema será facilmente superado.

Mas o Planalto está conduzindo o caso médico sob o máximo de sigilo, chama a doença de “mal estar”, ninguém sabe na verdade o que está acontecendo.

13 thoughts on “Temer se salva em plenário, mantém a base aliada, mas sua saúde é problemática

  1. A flecha de Janot era de bêbado de botequim. Até o momento Eduardo Cunha segura o tranco, Palocci esta esquecido. A PRG do Janot fez lambança e das feias, segura que daqui pra frente vem as caças as bruxas.

  2. O mal estar é devido, provavelmente, á chamada Sindromis Corruptis. Ela é provocada pelo vírus Ruiseffis da família Aecius Egiptus – um dos mais nocivos já vistos no Brasil depois do vírus Temeris e do NineFingers.

    • Claro, pois as informações condenam o Lulla e a Dilma. Então, o petista STF procurou manter, o maior tempo possível, as informações escondidas.

  3. A pesar de os pesares, nos somos um povo que costuma se solidarizar com alguém vitimado ou autovitimado. Sabendo desse nosso calcanhar-de-Aquiles sentimental, mendigos arruínam suas chagas, dando-l hes uma aparência mais dramática, para serem compensados com mais esmolas. O supradivino apóstolo, Valdemiro Santiago, combinou com um comparsa que lhe simulasse um corte no pescoço. O “atentado” foi exibido na mídia, e o coitadinho Valdemiro conseguiu comover uma multidão, cuja comiseração foi materializada em muita grana na conta da igreja do pastor taumaturgo.
    Parabéns Temer, seu mecanismo de compensação psicológica disparou na hora certa; transformando-o em um coitado carente dos cuidados da nação!

  4. Confira quem foram os deputados que votaram para salvar o peemedebista.
    Guarde com carinho e em local seguro. Ela terá pouca utilidade agora, mas muita perto das eleições, guarde o nome do patife de seu estado e façamos nosso trabalho. Quem votou contra a lei e a justiça, votou contra o país, a favor da vergonha, não respeita o povo, façamos pensarem melhor. Continuam achando que o Congresso é apenas um balcão de negócios.

  5. O que chamou a atenção foi o discurso moralista do PT e penduricalhos.
    Os rasgados criticaram os esfarrapados e tudo ficou como dantes no quartel de Abrantes.
    O Petismo vai continuar cutucando, porque nada tem a perder e talvez ganhem alguma coisa.
    A estratégia petista de voltar ao “moralismo” não pega mais, queimaram o filme, agora agem como livre atiradores.
    O colega que publicou a lista dos que votaram em favor do Temer, imagino petista de carteirinha, porque condena, sem levar em conta que na democracia em cada cabeça, ha uma sentença, e quem votou a favor, estava apenas exercendo o seus direitos.
    Mais interessante seria a publicação de uma lista de TODOS os políticos acusados de corrupção e de mal-feitos em geral.
    Derrubar o Temer neste momento, só serviria para saciar a gana vingativa do petismo.
    O Janot com suas denuncias irresponsáveis, causou foi um prejuízo monumental ao pais.

  6. Alguém tinha dúvida, eu não, o sujeito comprou os votos dos deputados, o que esperar de um país onde só tem mercenários, pobre povo deste país, é por isto que não tem credibilidade, só tem bandido.

  7. A saúde de Temer nem de longe é tão problemática quanto a saúde política, moral, e financeira do Brasil, por exemplo.

    Na verdade o nosso país agoniza numa CRISE MORAL nunca vista antes! E que obviamente gera crises em diversas outras áreas.

  8. Concordo Juca e parece que nossa última esperança não está nem aí para a Hora do Brasil, desde que não mexam com seus privilégios.
    Vamos ver no que isto vai dar.
    Abraço.
    PS: espero que depois do “estouro da boiada”, os Omissos, não venham bater e atirar no povo, preservando os verdadeiros causadores do desastre.

  9. PSC, partido atual do Bolsonaro, tem 10 deputados federais: 6 votaram favoráveis ao Temer; 4 contra, entre eles o Bolso; como ele votou favorável em relação a Reforma Trabalhista, bem como a da Previdência, se a votação tivesse sido secreta, como ele teria votado? Já o PEN, que está mudando o nome para Patriotas, possível futuro partido do Bolso, tem três deputados federais: 2 votaram pró-Temer e um esteve ausente.
    No PTdoB, que está mudando o nome para Avante, 3 deputados votaram não, mas o ex-presidente Luis Tibé votou pró-Temer. Já no PODEMOS(PODE), ex PTN, do Romário, Álvaro Dias, Sergio Zveiter, 8 votaram pró-Temer e 7 não; no PSL, cujo nome está mudando para Livres, o presidente e mais dois deputados votaram pró-Temer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *