O poeta Ferreira Gullar, voando no “Trenzinho Caipira”, ao lado de Villa-Lobos

Ferreira Gullar - Poema Sujo - Companhia das Letras

O “Poema Sujo” marcou a volta de Gullar ao Rio, após o exílio

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

O jornalista, crítico de arte, teatrólogo, biógrafo, tradutor, memorialista, ensaísta e poeta Ferreira Gullar (1930-2016), pseudônimo do maranhense José Ribamar Ferreira, em “Bachianas nº 2” de Heitor Villa-Lobos, depois de várias tentativas, enfim conseguiu compor uma letra, fazendo com que aquela obra transfigurasse “O trenzinho caipira”, agora música vocal popular.

Na verdade, o poeta se aproveita de alguns versos de sua obra “Poema Sujo”, para manifestar as paisagens de sua infância no estado do Maranhão quando viajava de trem na companhia de seu pai, como também ocorreu com Villa-Lobos, mas não no Maranhão e, sim, no Rio de Janeiro.


A presença do trem é de extrema relevância, pois se torna o veículo que levará Heitor Villa-Lobos e Ferreira Gullar a uma viagem por diversos espaços sonoros do Brasil (rural e urbano), mas também revela uma expressão alegórica do desenvolvimento do país, isto é, a tensão entre o progresso, o moderno e a paisagem de pobreza.

A música “O Trenzinho caipira”foi gravada, primeiramente, por Edu Lobo, no LP Camaleão, em 1978, pela Polygran.

TRENZINHO CAIPIRA
VIlla-Lobos e Ferreira Gular

Lá vai o trem com o menino
Lá vai a vida a rodar
Lá vai ciranda e destino
Cidade e noite a girar

Lá vai o trem sem destino
Pro dia novo encontrar
Correndo vai pela terra…
Vai pela serra…
Vai pelo mar…

Cantando pela serra do luar
Correndo entre as estrelas a voar
No ar, no ar…

3 thoughts on “O poeta Ferreira Gullar, voando no “Trenzinho Caipira”, ao lado de Villa-Lobos

  1. Quem nunca andou de trem? E já, desde Maria Fumaça até o antigo Vera Cruz que fazia o percursos BH_Rio-BH. Assim, conheço seus apitos, sons, solavancos, lembranças de pensamentos enquanto o trem seguia – pensamentos que me levaram à infância, pessoas que continuam por aqui e outras que partiram deixando saudades.Esse trem de Villas Lobo/Ferreira Gullar, passando por terra, pela serra, pelo mar, correndo estradas, a voar a voar” , ora em cima da ponte, ora dentro de um túnel, subindo e descendo montanhas sempre nos trazendo belas paisagens das Marias Fumaças e lembranças do meu Vera Cruz. Foi gravado por Edu Lobo, Ney Mato Grosso, Maria Deusa Betânia. Gosto muito de poesias e canções que me trazem trens, carros de boi.;

  2. Mangaratiba
    Humberto Teixeira e Luis Gonzaga

    Oi, lá vai o trem
    Rodando estrada arriba
    Pr’onde é que ele vai?
    Mangaratiba (3x)

    Adeus, Pati, Araruama
    E Guaratiba
    Vou pra Ibacanhema
    Vou até Mangaratiba

    Adeus, Alegre, Paquetá
    Adeus, Guaíba
    Meu fim-de-semana
    Vai ser em Mangaratiba

    Oi, Mangarati, Mangarati, Mangaratiba!
    Mangaratiba!

    Lá tem banana
    Tem palmito e tem caqui
    E quando faz luar
    Tem violão e parati
    O mar é belo
    Lembra o seio de Ceci
    Arfando com ternura
    Junto à praia de Anguiti

    Oi, Mangarati, Mangarati, Mangaratiba!
    Mangaratiba!

    Lá tem garotas
    Tão bonitas como aqui
    Zazá, Carime, Ivete
    Ana Maria e Leni
    Amada vila
    Junto ao mar de Sepetiba
    Recebe o meu abraço
    Sou teu fã, Mangaratiba!

    Obs: vou descer em Araruama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *