A exploração do usuário continua e os planos de saúde devem ter alta de 10%

Resultado de imagem para planos de saúde charges

Charge do Novaes (Arquivo Google)

 


Bárbara Nascimento e Luciana Casemiro
O Globo

 O limite de reajuste para planos individuais/familiares deve ficar em 10%, conforme antecipou o colunista do Globo Ancelmo Gois, contrariando a expectativa do mercado, que esperava a repetição da taxa do ano passado, de 13,55%. O percentual de 10% foi proposto pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), segundo integrantes da área econômica.

O reajuste ainda não é oficial, pois a ANS aguarda parecer do Ministério da Fazenda. Se confirmado, será o menor aumento desde 2014, quando foi de 9,65%.

CUSTOS MÉDICOS – Apesar de ser bem superior à inflação acumulada nos últimos 12 meses encerrados em maio, pelo IPCA, de 2,86%, o número está bem aquém da inflação do setor. A Variação de Custos Médicos e Hospitalares (VCMH), calculada pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), fechou próximo a 20% em 2017. O percentual leva em conta a variação de preços de produtos e serviços, desde material para curativo a exames de ponta, mais a frequência de uso dos serviços.

– Fizemos a estimativa baseada na variação per capita dos planos coletivos com mais de 30 vidas, que ficou em 13,5%, que é a base do cálculo da ANS. Mas sabemos que há muito reajuste político sendo dado – diz Solange Beatriz Malheiros, presidente da FenaSaúde.

MAIS DE 20% – Os planos individuais, no entanto, representam apenas 20% do mercado. A maioria dos contratos é coletiva e sem regulação de reajuste. E já há casos de aumentos que ultrapassam os 20%.

Este seria o quarto ano com reajuste na casa dos dois dígitos para os planos individuais. Segundo André Braz, economista da FGV, o setor tem custos próprios, que não refletem necessariamente a inflação da média da população.

Procurada, a ANS não confirmou o percentual.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
É uma exploração maldita, que ocorre livremente. Mostra que o Brasil é dividido em castas e a principal delas é relativa aos planos de saúde. Uma das divisões sociais no país é entre quem dispõe de plano de saúde e quem precisa ser atendido na rede púbica. Quem determina o aumento dos preços não é a Agência Nacional de Saúde Suplementar, que é paga para isso, mas o tal Instituto de Estudos de Saúde Suplementar, que ninguém sabe o que é, de onde veio e o que faz. Só se sabe que o tal Instituto serve aos planos de saúde, não aos usuários, que estão inteiramente indefesos. (C.N.)

21 thoughts on “A exploração do usuário continua e os planos de saúde devem ter alta de 10%

  1. Reajuste 2017……13,55%.

    Reajuste 2018 proposto pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), 10%

    Inflação acumulada nos últimos 12 meses encerrados em maio, pelo IPCA, de 2,86%

    PS
    Somos governados por QUADRILHAS.

  2. Alguns artigos postados nesse blog tem mostrado um desencanto profundo dos brasileiros com a política e um esfacelamento devastador dos partidos e dos políticos em geral. Gostaria de ler aqui o que pensam os articulistas sobre como será o comportamento da economia nos próximos anos e como isso afetará o cotidiano do povo brasileiro. O grande problema que vejo com este desencanto é quando isso vier a se traduzir em atos violentos pelo país, como alguns episódios ocorridos na recente greve dos caminhoneiros. O Brasil tem quase 210 milhões de habitantes. Os últimos números divulgados pelo IBGE mostram um quadro dramático na questão tanto do desemprego quanto do emprego precarizado. Os empregos que estão sendo criados atualmente estão quase todos na faixa salarial de 1 a 1,5 salário mínimo. Se considerarmos a próxima legistatura (2019 a 2022) em todos os anos a economia estará em déficit público. Não se conseguirá cortar gastos e portanto sobra a alternativa de aumentar impostos. Não importa o grupo político que estiver no poder pois esta situação afetará a todos. Aguardo com ansiedade artigos que reflitam sobre essa situação. Obrigado!!!

    • 1) Prezado Hipólito, também já pensei nisso.

      2) A grande maioria da população ainda não se deu conta do que vem pela frente…

      3) De grande monta não vai acontecer nada, somos um povo musical: temos carnaval, os bailes funks, os sertanejos tradicionais e os sertanejos universitários… acrescente-se o futebol…
      (caiu a mística da seleção canarinho), mas o esporte continua… e muita mulher pelada, elas são lindas, mas na busca pelos 15 minutos de fama, agradam a Casa Grande.

      4) Com a mexicanização do país, teremos sublevações locais, nada que as forças de segurança não possam resolver com balas de borracha e gás de pimenta nos olhos… na melhor da hipóteses…

      5) Pronto, só isso, a apatia geral vai continuar, o colonialismo idem e grande parte da periferia indo aos cultos dominicais nas igrejas neopentecostais tratando da salvação da alma…

      6) Abraços apocalípticos !

      • Tudo bem Antonio?

        O que me preocupa mais nem não as possíveis sublevações que podem ocorrer em um ou outro lugar do país, mas sim a violência cotidiana que afeta a todos nós, das pequenas às grandes cidades, inclusive no campo. Realmente vivemos uma era apocalíptica. Obrigado pelo comentário!!!

  3. 1) Quando perguntam qual é o meu plano de saúde, respondo apontando para o céu:

    2) Deus, o melhor de todos !

    3) Até hoje, o Criador tem sido bom comigo e estou me saindo bem…

    4) E se acontecer algo? = sempre perguntam

    5) Respondo: Está sempre acontecendo algo; aplicarei então o desapego budista e a impermanência…

    6) Inclusive a “Meditação da Morte” = a mais poderosa de todas, segundo Sidarta Gautama, o Buda.

  4. Os defensores das privatizações devem estar bem satisfeitos, aprovando esses abusos dos planos de saúde.

    Deixando claro que há casos em que é recomendável a privatização. O governo federal não é imobiliária, por exemplo. Segundo levantamento do Ministério do Planejamento há 515 mil imóveis, entre casas, apartamentos, prédios e terrenos da União ocupados hoje, dos quais estão sendo cobrados uma taxa de ocupação média de R$1.630, totalizando 840 milhões em receitas. Sendo que tendo renda até 5 salários mínimos (R$4.800) pode pedir isenção.

    Esse levantamento é incompleto, não ficou claro se a taxa é anual, e esse teto inclui gente que pode pagar. Obviamente que tem muita gente usufruindo do patrimônio público de forma indevida, o certo seria leiloar tudo, com raríssimas exceções. Não é dessa forma que se resolve o problema habitacional no Brasil, carente em 20 milhões de unidades.

  5. Antes de qualquer consideração à iniciativa privada, temos que não esquecer que em todo estado socialista, os impostos são absurdamente altos. Isto se deve à boa e velha falácia do socialismo, que este tipo de regime vai suprir todas as necessidades do cidadão.
    A pergunta, como é que neste nosso maravilhoso país socialista (Getúlio, 1935), o cidadão ainda precise de plano de saúde?

    PS. Todos são maus, menos o nosso estado.
    Se este país shit hole não mudar como a China, o Paraguai, os países ingleses, etc, isto aqui ainda vai piorar mais.

  6. Texto corrigido
    Antes de qualquer consideração à iniciativa privada, temos de não esquecer que em todo estado socialista, os impostos são absurdamente altos. Isto se deve à boa e velha falácia do socialismo, de que este tipo de regime promete suprir todas as necessidades do cidadão.

    A pergunta, como é que neste nosso maravilhoso país socialista (Getúlio, 1935), o cidadão ainda precise de plano de saúde?

    PS. Todos são maus, menos o nosso estado, que é o primeiro e maior explorador do povo

    Se este país shit hole não mudar como a China, o Paraguai, os países ingleses, etc, isto aqui ainda vai piorar mais.

  7. Caro Mário Jr.;

    Em primeiro lugar, o Brasil não é e nunca foi um país socialista.

    Em segundo, há pensadores economicos que não são socialistas, como Keynes, John Kenneth Galbraith e Schumpeter, por exemplo, que defendem a presença do estado na regulação das relações econômicas, mesmo no capitalismo liberal.

    • O que caracteriza um país socialista é o estado forte, em que a maioria dos ganhos dos cidadãos são direcionados para mantê-lo: os impostos; como no social-comunismo, no nacional-socialismo e no social-fascista como o Brasil, méxico e Argentina. Todos se deram mal e se dão ainda os que ainda insistem em se enganar com as “maravilhas” prometidas pela ideologia que os inspiram: o socialismo.

  8. Isto é que dá ter um país das castas dos ladrões e bandidos. Se fossemos um capitalismo com livre concorrência os preços se ajustavam, entretanto, aqui isto não funciona. É o país com o maior número de ratos por metro quadrado. Devo estar pagando uma carma muito grande por ter nascido aqui nesta pocilga de políticos.

  9. Enquanto houver pagantes os planos abusivos seguirão abusando. Enquanto predominar o medo a doença correrá solta. Cada um escolhe como quer viver.
    Estou com você Antonio Rocha, confiar, meditar e desapegar.

  10. Sou a favor de um SUS com pagamento mais barato e isenção de pagamento para a população carente (os que nunca puderam ter planos de saúde; Seria um plano de saúde popular – o SUS. Estão insustentáveis os aumentos abusivos de planos de saúde. Muitos viraram cabides de empregos. E a coparticipação? o cliente paga uma mensalidade e também uma parte nos atendimentos que forem efetuados.
    E por que o idoso paga mais aos planos de saúde, de uma consulta particular, o honorário médico é o mesmo para o idoso e para crianças e adolescentes?
    Eu já fiz minha carteira do SUS!

  11. Somente a Califórnia, apenas um estado de um país capitalista, tem um PIB igual ao do nosso “maravilhoso” país socialista.

    É no que dá uma ideologia que promete suprir as necessidades do povo pelo estado.

    Em casa que falta pão ….

  12. 1) Uma colega professora de História me disse que hoje é muito difícil lecionar a disciplina que ela escolheu…

    2) Os alunos chegam nas escolas com a informação das redes sociais que vivemos em um país comunista, outros dizem que é um país socialista e a esquerda afirma que somos capitalistas…

    3) Os livros de História falam uma coisa, mas a Internet fala outra…

    4) E os professores de História tentam explicar o que sobrou…

    • Que país capitalista em que o produtor não pode vender seu produto direto pro consumidor como por exemplo o álcool aqui no Brasil?

      Tem gente que não entende bem como funciona um país capitalista que não tenta subverter a ordem natural das coisas e muito menos um país socialista, em que o estado interfere em tudo, encarecendo a vida do cidadão, com impostos absurdos e inibindo investimentos com excesso de regulamentos, prejudicando a produção e o emprego de milhões.

      • O ensino neste país é dos piores do mundo, e já está provado por concursos que se fazem por aí a fora, em que se estuda para formar convicções nas pessoas e não para que elas enxerguem o óbvio. A realidade presente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *