A fragilidade de Henrique Eduardo Alves

Carla Kreefft (O Tempo)
Um clima belicoso entre o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional est estabelecido. difcil de saber exatamente quando essa histria comeou. Mas, certamente, a base da presidente Dilma Rousseff no gostou dos resultados do julgamento do mensalo.No a primeira vez que surge um clima tenso entre os dois Poderes, porm, de uma forma ou de outra, os nimos sempre foram apaziguados. O que h de diferente na atual situao a pergunta colocada. No se trata de buscar culpados, mas muito evidente a confuso que marca o Congresso Nacional. Desde a posse do presidente da Cmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB), os problemas vo surgindo e se consolidando sem que haja solues minimamente negociadas ou consensuais.

Exemplos de desencontros no faltam. As declaraes de Eduardo Alves, divulgadas logo aps o trmino do julgamento do mensalo, no sentido de postergar ou, at mesmo, de evitar a perda dos mandatos dos deputados empossados, so um desses exemplos. A polmica foi criada de maneira antecipada e somente causou desgaste da imagem do Parlamento diante da opinio pblica e, especialmente, no seio do Supremo Tribunal Federal.

Outro caso que se arrasta na Cmara dos Deputados diz respeito Comisso de Direitos Humanos e Minorias. A escolha do presidente do colegiado, o pastor Marco Feliciano, e a consequente reao dos movimentos sociais e populares j viraram um problema intransponvel. Enquanto isso, Feliciano vai ganhando espao suficiente na mdia para denegrir a imagem da Cmara.

BASTIDORES
Esses casos so os mais visveis, mas ainda existem outros que esto escondidos nos bastidores. A insatisfao de lideranas partidrias com a no execuo de um agenda mais positiva e capaz de melhorar o julgamento do eleitor em relao ao desempenho parlamentar tambm uma demonstrao de inabilidade de Eduardo Alves.
A deciso da Comisso de Constituio e Justia (CCJ) de aprovar a proposta que permite ao Legislativo deliberar sobre algumas decises do Supremo Tribunal Federal sem o acompanhamento da Mesa Diretora e do presidente da Cmara retrata a despreocupao do comando do Parlamento com assuntos que so extremamente sensveis aos dois Poderes.Parlamentares de muitos mandatos admitem, longe dos gravadores, que exercer liderana dentro do Congresso no algo para quem quer. Eles explicam que a capacidade de exercer influncia e alinhar seguidores fiis quase um ttulo concedido pelos pares. Em outras palavras, presidente da Cmara somente tem legitimidade quando o escolhido efetivamente pelos seus colegas. Imposies no funcionam.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “A fragilidade de Henrique Eduardo Alves

  1. Parabns TI pelo retorno ! Alm da ideologia, belamente expressa na charge, aproveitando o gancho temos tb a edeologia – estudo dos rgos genitais. Ver dicionrio Houaiss. Um pouco de gramtica faz bem no fim de semana.

  2. Estou bebado e puto. Vou danar Ray Nonniff.

    MUDA BRASIL OU V SE F…!

    Gostaria de explicaes dos ministrios pblicos Estaduais e Federais?

    Porque os lideres de todas s igrejas evanglicas e pentecostais, no so processados por vrios crimes cometidos? Alguns so ex- Espritas analfabetos funcionais e deslocados.

    Tais como:

    Previstos no Cdigo Penal Brasileiro.

    Propaganda enganosa= 1 Ano
    Estelionato= 5 Anos
    Extorso= 10 Anos
    Lavagem de dinheiro= 12 Anos
    Formao de quadrilha ou bando= 3 Anos
    Charlatanismo = 1 Ano.
    Assdio sexual= 1 Ano
    Pedofelia= 12 Anos
    Homofobia= 5 Anos
    Preconceito= 5 Anos
    Racismo= 3 Anos
    Total= 58 Anos

    Total de crimes: 11

    Total de Penas: 58 Anos.

    Ou

    V reclamar do C…!

    BE

  3. Supremo Tribunal Federal (STF) a mais alta instncia do Poder Judicirio do Brasil e acumula competncias tpicas de Suprema Corte (tribunal de ltima instncia) e Tribunal Constitucional (que julga questes de constitucionalidade independentemente de litgios concretos). Sua funo institucional fundamental de servir como guardio da Constituio Federal de 1988 , apreciando casos que envolvam leso ou ameaa a esta ltima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.