A polêmica aquisição dos caças

Delmiro Gouveia
“O que Lula está ganhando nessa história? Como Lula, um desastrado torneiro-mecânico, pode se contrapor à brilhante indústria aeronáutica brasileira, bem como à FAB, contrariando um relatório de mais de 30 mil páginas? Relatório que indica a compra dos caças suecos, no lugar dos caríssimos aviões franceses?

Esse é um negócio de 10 bilhões de dólares, quanto Lula está levando? E mais: que direito tem o Lula de tomar uma decisão contra a inteligência aeronáutica do Brasil, ao apagar das luzes ou das trevas dos seus dois mandatos?”

Comentário de Helio Fernandes
Só de ler esse nome, Delmiro Gouveia, fico emocionado, vou lembrando suas lutas de mais de um século na defesa da indústria nacional de tecidos, que vinha em grande ascensão.

Lutou a vida inteira, impávido, altivo e altaneiro. Foi assassinado, suas máquinas trituradas e destruídas, a indústria eliminada. A mesma coisa que fizeram com a borracha, responsável pelo grande progresso e desenvolvimento da Amazônia. Fabricaram a “borracha sintética”, o progresso e o desenvolvimento da Amazônia ficaram apenas nos livros de História. De 1834 até hoje, nada mais do que isso.

Mesmo que você não seja parente do grande herói da indústria brasileira, só o fato de me trazer à memória seu nome (praticamente esquecido pelos que dominaram o Brasil depois do seu sacrifício) já foi enorme satisfação.

Quanto à compra dos caças, fica mais do que evidente que você conhece a fundo o ASSUNTO e, principalmente, os BASTIDORES do assunto. Há muito tempo, já escrevi: “É impossível no Brasil fazer qualquer compra ou venda, acima de qualquer importância, sem que surja a COMISSÃO POR FORA.

PS – De 10 bilhões, então, nem se fala. Mas no momento precisamos nos concentrar na melhor COMPRA técnica e operacional, que é a dos CAÇAS SUECOS.

 PS2 – Na hora examinaremos e combateremos para que a Suécia receba preço justo e correto, como você defende, Delmiro Gouveia.  

 Transferência de tecnologia

Welinton Naveira e Silva
“Prezado Helio, que muita gente continue falando em transferência de tecnologia, vá lá. Mas que o senhor também acredite nisso, não creio.”

Comentário de Helio Fernandes
Você tem todo o direito de duvidar da transferência de tecnologia, e concordo inteiramente. Até hoje exportamos uma parte enorme de manufaturados, não acrescentamos valor ao produto. Por isso dependemos tanto das importações, superfaturadas e sem fiscalização, com uma parte ficando lá fora.

Mas veja, Welinton, como posso DEFENDER a compra desses caças, sem transferência de tecnologia? Mesmo que coloquem no possível contrato, NADA VIRÁ, ficaremos comprando a vida toda.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *