A prudente utilidade do voto útil e a perigosa inutilidade do voto inútil

Resultado de imagem para voto util

Ilustração reproduzida do Metro Jornal

Percival Puggina

Compreender as boas convicções que movem seguidores de Henrique Meirelles, Alvaro Dias, João Amoêdo e Geraldo Alckmin é tão fácil quanto perceber o estrago que estão em vias de causar. Principalmente se, numa hipótese de segundo turno, esses eleitores estiverem dispostos a votar em Bolsonaro contra o petismo. A volta do PT, sabemos, significa o retorno de Lula e José Dirceu, a anunciada “tomada do poder”, o socialismo, a venezuelização, a preferência pelos bandidos.

Significa, também, a nomeação de mais dois companheiros para o STF, o aparelhamento definitivo do Estado, o avesso das necessárias reformas, a fuga de capitais e o desemprego (emprego, quem cria, são as empresas, mediante investimentos que dependem de estabilidade e confiança). Por aí vai o longo, longuíssimo, circuito das desgraças.

VOTO CONVICTO – Conheço pessoas convictas de estarem submetidas a um preceito moral que as obriga, num primeiro turno, a votarem em conformidade com suas convicções. Para elas, se um dos quatro candidatos acima mencionados, melhor do que qualquer outro, preenche os requisitos para o exercício da presidência, é a ele que devem dar seus votos. Reservam ao segundo turno a opção pelo que considerarem menos pior dentre os dois remanescentes.

Não se trata, aqui, de discutir preferências, mas de puro realismo. Já se conhecem os dois remanescentes. Trata-se, apenas, de saber se no primeiro turno, o “voto útil” para evitar o segundo turno é moralmente menos qualificado do que o voto dito de consciência, mas inútil. Dizem esses eleitores: “No primeiro turno, devo votar segundo a imposição do bem maior. No segundo turno, voto contra o mal maior”.

SEGUNDO TURNO – Tal atitude estaria correta, corretíssima, se não existissem múltiplas e sucessivas pesquisas eleitorais. No entanto, elas existem e desconsiderá-las não responde ao critério moral da prudência. As pesquisas dizem que ou Jair Bolsonaro vence esta eleição agora, ou enfrentará seu oponente num renhido e incerto segundo turno.

É desnecessário discorrer sobre competências e recursos da máquina eleitoral petista, nem sobre a manifesta superioridade de seu marketing. Não preciso mencionar o poder de cooptação que essa estrutura e seus recursos exercem sobre indivíduos e grupos cujo senso moral oscila entre o estado líquido e o gasoso.

Menos ainda, referir o acirramento de tensões e o divisionismo que se instalará no país durante as três semanas anteriores a 28 de outubro. A campanha irá às ruas e os bons modos não ilustrarão seus presumíveis cenários.

PREFERÊNCIA – A parcela da cidadania formada por produtores, empreendedores, investidores e consumidores, já sinalizou sua preferência, mostrando que, simetricamente à ascensão de Bolsonaro nas últimas pesquisas, a bolsa subiu (as empresas brasileiras se valorizaram) e o dólar caiu (a moeda brasileira recuperou valor frente à moeda americana). Tudo andaria em sentido inverso se a opção petista preponderasse.

Pesquisas eleitorais trazem informação, e ela recomenda, enfaticamente, atrair para Bolsonaro, já no dia 7, os votos que serão dele caso a decisão final seja adiada para as incertezas do dia 28 de outubro.

Espero que as boas intenções de alguns não sirvam para aumentar as angústias do tempo presente e os males do tempo futuro.

14 thoughts on “A prudente utilidade do voto útil e a perigosa inutilidade do voto inútil

  1. “Bolsonaro lidera isolado no Oriente”

    “A informação, até o momento, mostra que Jair Bolsonaro é disparado o candidato mais votado no Oriente, com 71.97%.”

    O Antagonista

    • Últimas pesquisas captam movimento da onda Bolsonaro ocorrendo também no Nordeste !!!

      É B17 no 1º turno !

      Tem festa verde e amarelo hoje !!!

      M17O neles !!!

  2. Os votos das urnas apuradas no exterior, até agora, apontam 71% de votos válidos para o capitão.
    A campanha difamatória contra o Brasil no exterior foi mais um fracasso dos esquerdofrênicos.

  3. Que mal eu pergunte, esse artigo do Puggina é pra rir ou para chorar ? Testemunha de Jeová tentando convencer ateu ? O diabo é que, em nosso país, votar ganhou conotação de chancela para posterior comilança de merda feita pela caciquia partidária e golpistas. Aliás, a turma do Bolsonaro está parecendo aquela me$ma que fez merda na paulista e no congresso com os votos válidos vitoriosos da última eleição, de 2014, e agora volta fazer merda nas urnas, em 2018, ao que parece, e que se ganhar tb não vai levar, com certeza , a exemplo de 2014, inclusive porque como disse J.C. “quem com ferro fere, com ferro será ferido”.

  4. O nobre colunista parece se encontrar em pânico total, senão vejamos, dois pontos, abre aspas e travessão.

    (…) SEGUNDO TURNO “-É desnecessário discorrer sobre competências e recursos da máquina eleitoral petista, nem sobre a manifesta superioridade de seu marketing. (sic) (…
    )
    Lá vou eu: “-Pelas palavras do nobre colunista, até parece que o Partido dos Trabalhadores é uma organização instalado nos poderes da república, com capital financeiro, armamentos e especialístas em táticas de convencimento seja por palavras ou por imposição à força de seus (dele partido) junto ao eleitor sobre em quem votar. Se assim fosse não estaríamos mais em um regime democrático, estaríamos vivendo um regime teocrático fundamentalista, fato que é uma inverdade e faz com que o escritor se passe por um piadista sem graça.”

    (…) “-Não preciso mencionar o poder de cooptação que essa estrutura e seus recursos exercem sobre indivíduos e grupos cujo senso moral oscila entre o estado líquido e o gasoso. ” (…)

    Lá vou eu novamente: -Ji-zuis, em que mundo o colunista escritor e analista político vive meu nobre. Agora fique orgulhoso de ser um sujeito com DNA petista legítimo. Pelas palavras, (poder de cooptação) o nobre colega nos transforma em seres com poderes sobrenaturais e transforma os outros partidos e agremiações politicas em simples aprendizes que não conseguem fazer com que o eleitor pelo menos aprecie duas (deles) ideologia. O PT vai pra cima e faz a lavagem cerebral transformando a eleição em um manifesto de zumbis. O nobre colega mais uma vez, não vou chamá-lo de piadista sem graça, mas um cara que viajou na moionese.

    (…) “-Menos ainda, referir o acirramento de tensões e o divisionismo que se instalará no país durante as três semanas anteriores a 28 de outubro. A campanha irá às ruas e os bons modos não ilustrarão seus presumíveis cenários.” (…)

    Lá vou eu finalizar: É natural em um segundo turno haver polarização. Que cada candidatura instrua seus seguidores a defenderem cada projeto de maneira civilizada e sem hostilidade para com o oponente. Simples assim. E uma vez finalizado o pleito eleitoral do segundo turno que o perdedor aceite o resultado da maioria e que ao contrário do que fez o pior perdedor da História da República em 2014 ao não aceitar o resultado das urnas levou o pais para o buraco. Simples assim. O restante é querer puxar a brasa para a própria sardinha e defender paixoes irracionais.

    E para finalizar deixemos de lado aquelas frases velhas já conhecidas do povo:

    Pelo Brasil!
    Pela família tradicional!
    Meu partido é o Brasil!
    Pelos bons costumes!
    Pela honra!
    Por Deus! (Não venham colocar Deus neste jogo sujo e nojento em que se tranformou a política ímpia dos homens)

    Pois conheço muito bem a índole o caráter de muitos proximo a mim que vivem a gritar esses jargões e todos eles não suportam uma consulta no SPC. Todos já subornaram guarda de trânsito para não ser multados e até já flagrei alguns saqueando cargas acidentadas nas estradas. Essa gente e suas frases “moralistas” não me convencem. No mais é promovermos a democracia de forma civilizada cada um defendendo o projeto que achar melhor para a Nação (Nação no significado e terrítório + sua população) e no final das contas como já falei o todo aceitar o resultado incluindo aí a festa de comemoração do vencedor!

    Tenho dito… E sempre!!!

    • e isso aí , vamos deixar de ideologias ou religiões políticas como o socialismo ou coisa que o valha.

      Vamos fazer como os países desenvolvidos , o óbvio, capitalistas e democráticos, que é o que fez o progresso deles.

  5. Por que será que as boneca$ estão cagando de medo do segundo turno, hein ? O que ele$ têm a esconder, hein ? Será que as boneca$ são de açúcar e não podem tomar chuva ? Depois dessa me convenceram até ir votar. Logo eu, que estava tb indeciso entre o voto em branco, o nulo e a abstenção. Agora eu tb quero o segundo turno. Me senti subestimado pelo artigo do Puggina, me convenceu, só podia ser da turma do Bolsonaro, basta abrirem a boca e já fabricam inimigos.

  6. A cada eleição, antes de votar, costumo a perguntar a mim mesmo, sem conseguir a resposta.
    Qual é o pior, um governo que cria leis através de decretos, ou um governo que faz leis através de voto comprado dos parlamentares.
    No primeiro caso, pelo menos economiza o dinheiro do contribuinte e no segundo dissemina a falta de vergonha, generalizando a corrupção.
    Portanto, nem ditadura e muito menos a corrupção e o dia de hoje poderia ser de alguma utilidade.
    Vamos lá Brasil, mostra a tua cara.

  7. Se tivermos segundo turno este será transformado em um plebiscito, quem quer a volta do pestismo ao Poder? Quem quer a continuidade da corrupção? Da roubalheira? Do desgoverno? Quem quer o fim da Lava Jato? Quem não quer nada disto só tem uma escolha.

  8. Nossa!
    Como fico grato a CN que com sua tesoura pairando sobre minha real vontade de dizer algumas palavras de tamanho quilometri o a Don Manepa e Luiz Felipe mas…. As digo mentalmente. …
    Se é que me entendem!
    Tem coisa realmente inacreditável. ..
    Eu heinnnn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *