A suposta crise militar, propagada por um ministro Nelson Jobim, como nunca se viu

Em pleno regime dito democrático, Lula assina decreto no Diário Oficial, depois vem com o refrão de sempre: “Não sabia de nada”. Esse decreto foi discutido durante 2 anos e 4 meses, todas as reuniões no Planalto, agora aparece o desmentido?

Antes, Lula tinha a desculpa de que estava sempre viajando, “no interesse do Brasil”. Agora, está de férias, “descanso dele mesmo”. Então joga tudo para depois de 11 de janeiro, quando voltará ao Planalto-Alvorada.

Só que podia resolver tudo, está ali pertinho, em São Bernardo. (onde irá morar, se não conseguir “emplacar” nenhuma das opções que manipula). Nenhuma dificuldade para um presidente que propala, que palavra, que governa com 80 por cento de popularidade. Basta fazer o seguinte.

1- Demitir o Ministro da Defesa, que criou ou ampliou a crise. Pode despedi-lo pelo telefone, como já fez com outros.

2 – Mandar o Chefe da Casa Militar, (agora Segurança Institucional) chamar os Comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica e perguntar se estão demissionários. Se estiverem, aceitar imediatamente os pedidos.

3 – Substituí-los pelo General, Almirante e Brigadeiro mais antigo. 4 – Se ninguém quiser assumir, nomear outros. 5 – Um presidente da República que não consegue nomear Comandantes Militares, já está deposto, diminuído ou desprezado, só que não sabe. (Como sempre).

6 – Dizer a esse Nelson Jobim, (que já devia ter sido demitido), que a chamada “Anistia Ampla, Geral e Irrestrita”, jamais existiu de verdade. 7 – Esse slogan ou frase foi criado e publicado, no fim de 1979.

8 – Mas em março de 1981, portanto 2 anos depois, a Tribuna da Imprensa foi total e fisicamente destruída. Prédios, máquinas, dependências, demolidas por vingança da ditadura, enraivecida com a resistência e a intransigência do jornal.

9 – A ditadura já derrubada e negociando a própria salvação, (chamada de transição) não se livrara do ódio ao jornal.

10 – Se fosse possível, fato ainda mais grave. Fui depor numa CPI do Senado, presidida por Mendes Canale, (Mato Grosso) e tendo como relator Franco Montoro.

11 – Falei durante 6 horas seguidas, respondi a todas as perguntas, dei nomes de todos que participaram do massacre.

12 – Acusei nominalmente o Chefe do SNI, (que seria o próximo “presidente”, se houvesse outro general no Planalto) de ter organizado, planejado e dirigido tudo. De Brasília mesmo.

13 – Seu nome? Otávio Medeiros. Andava com 300 seguranças. Terminada a ditadura, na reserva, ia ao supermercado, ninguém o conhecia. Morreu sem ser indiciado.

14 – Meses depois, esse mesmo Chefe do SNI, ainda no cargo, mandou RETIRAR DOS ANAES DO SENADO, TODO O MEU LONGO E IRREFUTÁVEL DEPOIMENTO. Até hoje ninguém tem vontade ou interesse de descobrir para onde foram as notas sobre essa REVELAÇÃO de abril de 1981?

15 – É evidente que senadores tiveram que participar do “sumiço” salvador. Quais?

* * *

PS – Portanto, presidente, substitua os que se dizem demissionários, aceite os pedidos.

PS2 – Ou então fique aí mesmo em São Bernardo do Campo. Como vai morar nessa bela cidade a partir de janeiro de 2011, pode ficar a partir de janeiro de 2010.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *