Adriana Ancelmo pede parecer a Sérgio Bermudes para evitar ser presa novamente

Resultado de imagem para adriana ancelmo prestes a ser julgada

Adriana era cúmplice do marido Cabral e foi solta indevidamente

Thiago Prado
O Globo

Adriana Ancelmo, ex-mulher de Sérgio Cabral, está preocupada com o futuro na segunda instância do Judiciário. Conforme O Globo  informou na semana passada, o relator de seu processo no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, desembargador Paulo Espírito Santo, já preparou o voto e agora só falta o presidente da Turma, Abel Gomes, marcar a data do julgamento.

Há duas semanas, Adriana procurou o advogado Sérgio Bermudes. Antes mesmo de ser condenada pela segunda instância, pediu um parecer do renomado profissional da área cível. Quer que ele mostre que a distância dos filhos seria muito ruim para a criação deles.  O advogado ainda não decidiu se aceitará a missão.

REFERÊNCIA – Bermudes é especialista em questões cíveis contenciosas e atua, sobretudo, nos campos comercial, societário e de recuperação empresarial. Seu escritório no antigo prédio da Bolsa de Valores do Rio é apontado como o mais importante do país. Já tem ou teve como clientes Eike Batista, Vale, Bradesco, Ambev e Odebrecht.

Adriana conseguiu aguardar seu julgamento em prisão domiciliar com base no Marco Legal da Primeira Infância. O texto, em vigor desde 2016, garante a presas provisórias grávidas ou com filhos de até 12 anos aguardar o julgamento em prisão domiciliar. A liberdade de Adriana gerou controvérsia e reações. Apesar da nova legislação, a Justiça continua mantendo várias mães detidas na mesma situação. Em fevereiro, o G1 fez reportagem apresentando a história de 698 presas com filhos de até 12 anos.

CONDENAÇÃO – Em setembro de 2017, Adriana foi condenada em primeira instância pelo juiz Marcelo Bretas. Ela recebeu penas que somam 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa.

Segundo a sentença, a ex-primeira-dama ocultou e movimentou cerca de R$ 6,5 milhões em joias e usou seu escritório de advocacia para lavar R$ 2,4 milhões. Bretas a classifica como “companheira de vida e práticas criminosas” de Sérgio Cabral, além de “mentora de esquemas ilícitos”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Adriana Ancelmo não poderia ter sido solta. Jamais foi uma mãe de verdade, quem tomava conta da casa era a governanta, com salário de R$ 20 mil. Sua vida era uma festa móvel, no estilo descrito por Ernest Hemingway ao retratar Paris. Adriana vivia viajando com o marido, mal via os filhos. Esta é a verdade. (C.N.)

3 thoughts on “Adriana Ancelmo pede parecer a Sérgio Bermudes para evitar ser presa novamente

  1. Se olharmos para dentro das nossas prisões, veremos dezenas, centenas de mães presas.
    A música diz, que Deus dá o frio conforme o cobertor.
    Nosso poder judiciário, dá a pena, conforme o cobertor, de dinheiro.

    Parece uma revolta gratuita, mas infelizmente é o que se vê no cotidiano….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *