Ainda sem rumo: Bolsonaro diz que decidirá o seu destino partidário até abril

Divergências internas têm impedido um consenso com Patriota

Fransciny Alves
O Tempo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avisou aos aliados que não vai prolongar a novela sobre qual legenda vai se filiar e vai definir o destino até o início de abril. Ele tem conversado com Patriota há mais de um mês, mas divergências internas na agremiação têm impedido que se chegue a um consenso.

O plano B seria se juntar ao PTB, sigla de Roberto Jefferson, com quem tem uma amizade. E, por mais que tenha aparecido no último final de semana com a camisa do Aliança pelo Brasil, interlocutores contam que é preciso trabalhar com a realidade, de que não vai dar tempo de consolidar um partido para disputar as eleições do ano que vem e o presidente já está ciente disso. Por isso, o sonho de Bolsonaro ter uma agremiação para chamar de sua continua em banho-maria.

APREENSÃO – A incerteza sobre a legenda tem causado apreensão em aliados que pediram celeridade nesse processo. Bolsonaristas creditam o desempenho muito aquém do esperado no pleito municipal do ano passado em função da falta de organização partidária. A análise é de que a ausência de planejamento pode impedir a reeleição do presidente e até mesmo que nomes conhecidos nas disputas eleitorais consigam sucesso nas urnas.

Apesar de o presidente do Patriota, Adilson Barroso, ter dado como certa a mudança de Bolsonaro para a legenda, nos bastidores tem sido dito que a história não é bem assim. As negociações estavam sendo feitas sem o conhecimento de outros dirigentes da sigla, que já no ano passado se mostravam contrários à ideia. É unânime a avaliação de que o Patriota vai continuar sendo base fiel do Executivo no Congresso.

CONTROLE – Mas, não é do agrado da maioria dos membros da sigla uma das condições impostas pelo presidente, de ter controle total da legenda a qual vai se filiar, inclusive tendo autonomia nos diretórios do Estados, o que é rechaçado por parte majoritária da agremiação.

Dirigentes do Patriota devem se reunir nesta semana para entrar em um consenso sobre a filiação do presidente. Bolsonaro está sem partido desde novembro de 2019, quando deixou o PSL por desavenças internas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *