Alckmin ainda não conseguiu apoio e fica meio perdido na eleição

Resultado de imagem para alckmin charges

Charge do Mário Adolfo (Arquivo Google)

Carlos Newton

A situação não está nada boa para Geraldo Alckmin. Por mais que se esforce, o presidenciável do PSDB não consegue decolar sua campanha, que parece ter um encontro marcado com o fracasso. Ele alardeia já ter fechado acordos com quatro partidos PSD, PPS, PV e PTB, mas é “menas” verdade, como diria o velho Lula. Dos quatro, apenas o PTB (leia-se: Roberto Jefferson) já anunciou apoio ao tucano, mas isso aconteceu lá atrás. Jefferson tinha fechado o apoio do PTB à reeleição do presidente Michel Temer, que imediatamente convidou a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério. Mas a Justiça sustou a nomeação da filha de Jefferson, ele ficou furioso, rompeu com Temer a anunciou apoio a Alckmin.

De lá para cá, porém, tudo mudou. O PTB está inteiramente emporcalhado, nenhum presidenciável pode se orgulhar de ter o apoio dos falsos trabalhistas, porque se arrisca a ser um abraço de afogados, como se dizia antigamente.

SILÊNCIO PROFUNDO – Quanto aos outros três partidos que Alckmin garante já terem fechado com ele, todos caíram em silêncio profundo, porque a candidatura tucana decididamente não está agradando.

O PSD de Gilberto Kassab não merece a menor confiança. Estava fechado com Meirelles, que se filiou ao partido, mas depois abandonou o pré-candidato, ao constatar que ele não tem chance de vitória. Com Alckmin, a cena se repete.

O PPS (ex-Partido Comunista Brasileiro) chegou a tal ponto de degradação que convidou Luciano Huck, depois não aceitou lançar o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) e está como cego em tiroteio, sem saber o que fazer. E o PV voltou a contemplar a natureza, como pássaro na muda.

SEM O DEM – Nesta quarta-feira a nova tentativa de se unir ao DEM não deu certo.  Segundo o jornalista Gerson Camarotti, do G1, , mais uma vez o presidente do DEM foi franco com Alkcmin: “Você precisa provar que sua candidatura tem chance”- disse-lhe ACM Neto.

No desespero, Alckmin pediu que Fernando Henrique Cardoso entrasse no circuito, para convencer Álvaro Dias (Podemos-PR) a  aceitar ser vice na chapa tucana. Amigo pessoal de FHC, Alvaro Dias recebeu o ex-presidente e lhe disse um sonoro “não”.

Em tradução simultânea, nunca se viu nada igual: a exatamente três meses das eleições, não há uma só coligação fechada. Está tudo no ar e Alckmin está no centro da roda, totalmente perdido.

###
P.S. –
Vai ser uma eleição eletrizante. Na minha opinião, o segundo turno deve ser entre Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT). Posso estar enganado, mas é o que eu pressinto. Rodrigo Maia tem a mesma impressão, por isso está levando o centrão a apoiar Ciro. (C.N.)

4 thoughts on “Alckmin ainda não conseguiu apoio e fica meio perdido na eleição

  1. Bom dia a todos! A jornalista Eliane Catanhede faz hoje em sua coluna no Estadão uma análise também interessante sobre as eleições presidenciais 2018 com a provável entrada de Haddad no páreo . Eu continuo achando que muita coisa vai mudar e surgirá um novo nome para tentar unir o centro e esse nome é João Doria Jr. Se terá chances eu não sei mas que Alckmin será substituído eu acredito bastante.

  2. O centrão vai apoiar Alckmin e esse apoio fará sua candidatura crescer ainda mais. Alckmin será nosso próximo presidente. #PreparadoParaOBrasil

  3. 1) Licença: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-39775504

    2) o MST é o maior produtor de arroz orgânico da América Latina, tal vez por isso, o Congresso está atrapalhando o comércio dos orgânicos.

    3) As grandes mídias não falam isso e os naturalistas (vegetarianos, veganos, macrobióticos, unibióticos, crudívoros e afins) serão prejudicados…

    4) Deputados federais vão perder pontos…

    5) Alguns comentaristas aqui na TI perguntam de onde vem o dinheiro do MST, em todo o Brasil eles realizam feiras de produtos orgânicos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *