Angola já expulsou 99 integrantes brasileiros da Igreja Universal e a crise não foi superada

Igreja Universal é divulgada pela TV Record de Angola

Johanns Eller
O Globo

O embarque de 40 brasileiros de Luanda para São Paulo, na tarde do dia 8 de junho, selou o final da primeira etapa de uma crise que opôs a igreja Universal ao governo de Angola e criou tensão entre a igreja e o governo Jair Bolsonaro. Com aquele último grupo, chegou a 99 o número de brasileiros deportados do país africano, dos quais são 58 missionários da denominação evangélica e os outros, seus parentes. Os números são do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

No mesmo dia, veio a público a informação de que Bolsonaro havia indicado o ex-senador e bispo da Universal Marcelo Crivella (Republicanos) para a embaixada do Brasil na África do Sul.

SEM PASSAPORTE – Crivella está sendo processado por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa no caso que ficou conhecido como “QG da Propina”. Segundo o Ministério Público, o esquema envolvia o repasse de dinheiro da prefeitura a credores em troca de propina. Crivella está com o passaporte retido, proibido pela Justiça de deixar o país.

Bolsonaro, porém, aguarda resposta da África do Sul para a indicação e, por ora, mantém a intenção de submeter o nome do bispo da Universal à aprovação do Senado.

Os missionários são acusados pelo governo de Angola de associação criminosa, fraude fiscal e evasão de divisas, entre outros crimes. Quatro bispos da Universal em Angola estão sendo processados pela procuradoria-geral da República local, e não podem deixar o país.

MÚLTIPLAS ACUSAÇÕES – O processo foi o desfecho de uma crise que começou em 2019, quando os bispos angolanos da Iurd se rebelaram contra os brasileiros ligados ao líder Edir Macedo, que administravam os maiores templos do país. Além de acusar os brasileiros de crimes fiscais, os angolanos afirmavam serem vítima de racismo e maus tratos.

A crise coincidiu também com a transição de poder em Angola. Depois de 30 anos governando o país, o ex-presidente José Eduardo Santos perdeu as eleições, enfraquecido pelo escândalo provocado pelas delações da Odebrecht, que revelaram o pagamento de mais de 50 milhões de dólares para ministros e generais ligados ao governo angolano.

Além disso, as colaborações do publicitário João Santana e de sua esposa, Monica Moura, indicaram o pagamento de 20 milhões de dólares de caixa dois pela empreiteira à campanha à reeleição de Santos em 2012.

RECORD EM ANGOLA – O vencedor das últimas eleições presidenciais, João Lourenço, era um ex-aliado que prometia limpar o governo de corrupção. Durante a campanha, ele sofreu ataques da Record, que é a maior emissora de TV de Angola.

Quando a crise com os pastores locais começou, o governo Lourenço desencadeou a investigação que terminou com o expurgo dos aliados de Edir Macedo. Em junho de 2020, Jair Bolsonaro chegou a enviar uma carta ao presidente angolano pedindo proteção aos brasileiros contra os ataques que vinham sofrendo.

Em abril, os missionários começaram a ser deportados, e os líderes da Universal no Brasil fustigaram Bolsonaro por considerar que nem ele, nem o Itamaraty, se mobilizaram o suficiente para atenuar a crise junto ao governo João Lourenço.

DIREITOS HUMANOS – A Universal sustenta que muitos dos brasileiros foram expulsos sem aviso prévio, não tiveram seus direitos humanos respeitados e foram obrigados a deixarem famílias e recursos para trás.

Segundo a chancelaria do Brasil, a embaixada do país em Luanda acompanhou a crise na Universal angolana desde antes das primeiras deportações e prestou todo o suporte aos brasileiros.

O ministério também afirmou, por meio de nota, que manteve contato permanente com representantes legais da igreja no Brasil. “A principal preocupação da embaixada foi desde o início assegurar que todos os brasileiros, mesmo aqueles com prazos de saída espontânea esgotados, pudessem aguardar os procedimentos de deportação em suas residências e sem uso de força, o que foi atendido pelas autoridades angolanas”, afirmou o Itamaraty à coluna.

A CRISE CONTINUA – O clima de tensão entre a Universal de Macedo e o país africano, no entanto, não cessou. A Record, emissora comandada pelo bispo, continua atacando o governo angolano.

No início do mês, antes do embarque da última leva, a TV veiculou uma reportagem atrelando a primeira-dama do país, Ana Dias Lourenço, à Lava-Jato – as campanhas presidenciais de 2012 e 2017 em Angola entraram na mira da operação, mas os supostos repasses da Odebrecht à primeira-dama por meio de uma empresa de comunicação nunca foram confirmados.

O expurgo dos missionários brasileiros em Angola deixa cicatrizes na estratégia internacional da Iurd. Junto com Moçambique e África do Sul, o país é uma das principais bases da igreja na África. A ida de Marcelo Crivella para a África do Sul serviria ao propósito de reconstruir as pontes com os governos locais.

19 thoughts on “Angola já expulsou 99 integrantes brasileiros da Igreja Universal e a crise não foi superada

  1. Justiça seja feita, mas não me lembro de padres serem expulsos de países por questões de corrupção.

    Outras nações também já expulsaram o pessoal da IURD e, se não me engano, da IMPD, pela mesma razão.

    Pois é esta seita que Bolsonaro se refere como a “religião brasileira”. Igualmente não me recordo de um presidente ter definido uma denominação tão adequada às religiões privadas (possuem dono).

    Considerando a corrupção instituída nos poderes constituídos, e a Universal ser a preferida de Bolsonaro, só mesmo no Brasil que esse tipo de organização explora a crendice alheira, engana o “fiel” e manipula um presidente!

    Bolsonaro e Edir Macedo invertem a crucificação:
    No caso, um dos ladrões é o filho de Deus e, Jesus, aquele que irá se sentar à direita do Pai, pois o bandido o perdoou!

    Se até as religiões – algumas – usam de expedientes ilícitos para se desenvolver, definitivamente o Brasil está sem rumo, deambulando como uma pessoa que teve uma crise aguda de hipoglicemia.
    Mais ou menos como alguém que precisa muito de Deus, porém encontra nos templos da IURD o enaltecimento e a adoração a novas edições do bezerro de ouro!

    • Bolsonaro não fez essa analogia dessa igreja com a “religião brasileira”.
      Bolsonaro não usou o estado para intervir a favor desse empresário da religião.
      Todo essa sua interpretação dos fatos e das declarações do Bolsonaro, foram distorcidas.

      • Bolsonaro “só” atendeu ao apelo dos donos dessas seitas em perdoar dívidas de um bilhão de reais, e extinguiu impostos que antes pagavam – quer dizer, sonegavam!

        Como que o Estado não interferiu em benefício dos milionários bispos, apóstolo e missionário??!!
        Acha pouco?

        Quanto às “distorções” que a mídia faz das declarações do presidente, a paciência esgotou com essa tola e malfadada explicação de Bolsonaro!

      • Bolsonaro foi pressionado pela IURD a indicar Crivella como embaixador na África do Sul, sob a ameaça de retirarem o apoio dado ao presidente, os próprios dirigentes da IURD disseram isso, para ver se ele defenderia os interesses da Universal na África. E aceitou – uma vergonha para a diplomacia brasileira. Espero devotamente que o Senado não avalize essa indicação, e que Moçambique e África do Sul sigam o exemplo de Angola. Uns vinte nos atrás, trabalhando em Moçambique num programa de formação de quadros para o governo moçambicano, passei a vergonha de perguntar a meus alunos, pessoas de alto nível de escolaridade, muitos com mestrado no exterior, o que era uma barulheira que estávamos ouvindo do outro lado do porto da Maputo, e ouvi-los responder que “era um culto da Igreja do Edir Macedo que vocês mandaram do Brasil para levar o dinheiro dos pobres daqui”. Isso num país em que o salário mínimo da época era apenas UM QUARTO do do Brasil, que também era muito baixo, me fez querer me esconder debaixo da mesa da sala de reuniões.

  2. As alegações de omissão por parte do Itamaraty não procedem. O que o pessoal do Edir quer é que o mito se meta na parada, que o Brasil saia em defesa da igreja do Edir. Ou então ele manda os seus deputadores e senadores passarem para a oposição, veja-se com que tipo de aliados o mito conta.

  3. Pra que dinheiro.
    Leiam: Nos bastidores do Reino – Mário Justino
    A VIDA SECRETA NA IGEJA NUNIVERSAL DE DEUS.
    Qual Deus; DINHEIRO, DINHEIRO + DINHEIRO. SÓ PENSAM EM $$$$$$$$$$$$$$$$$$$.

  4. Angola acordou e expulsou os falsos pastores, arrecadadora de doação para Edir Macedo, agora tem que ser estes evangélicos do Brasil, O apóstolo Paulo, deixa bem claro nas 14 cartas do novo testamento.

  5. As neopentecostais brasileiras não seguem o Cristianismo, nem o Judaísmo e muito menos o Islamismo.

    Temos o “Macedosismo, Soaresismo, Valdemirismo e Malafaianismo”!

    Ídolos de barro ou falsos guias espirituais, onde somente na ideias desses milionários donos de seitas, que a prosperidade tem mais valor que a ética e a moral.

    Aliás, que fim levou a comercialização do “feijão milagroso”, que a Mundial vendia a mil reais o GRÃO, afirmando que a pessoa contaminada pelo Covid19 seria curada??!!

    Por que Macedo mora numa mansão de quatro andares, e colocou esse palácio no nome da igreja, de modo a não pagar impostos sobre a sua residência, como todos nós pagamos??!!

    O que prometeu RR Soares a Bolsonaro, que conseguiu o perdão das dívidas das seitas com referência a impostos sonegados??!!

    Se este comportamento tem algo a ver com Deus, então até mesmo o Criador foi contagiado pelo “jeitinho” brasileiro!!!

  6. Achei lindas aquelas cenas: uns negãos fardados, zóião de cururu, baixando o porrete no lombo de pastores e obreiros da IURD, sem dó nem piedade! Ocês tão besta Siô, aqui Vossemicês são sacripantas e ladrões blindados! Tomem pau, na cara sem-vergonha!
    Quando eu quero escarnecer desses abutres iurdianos, vou no meu cumpade Youtubo, e lá miro o firme!
    “Pela casa do meu Pai, eu me sacrificarei!” Assim diz o Senhor de Angola, ao expulsar os vendilhões do templo ou da Pátria!

  7. Pensando bem, os donos dessas seitas neopentecostais não pregam religião alguma!

    Não é possível que, se alguém acredita mesmo em Deus, que use sem qualquer respeito o nome do Criador para obter dinheiro de trabalhadores, e de pessoas à procura de uma alento espiritual, de uma esperança para a sua vida.

    O que tem sido feito nos locais denominados de templos não passa de tortura, de sadismo, de crueldade explícita!
    O uso de “depoimentos” de fiéis que foram “abençoados” é uma agressão à crendice alheia, à crença em milagres, pois assistimos um desfilar de seres humanos desesperados por uma salvação prometida pelos representantes da seita, desde que o fiel “prove” que crê em Jesus, e doe para a igreja o que puder em termos de dinheiro!

    Não é por nada que a Teologia da Libertação angariou tantos inimigos, inclusive dentro da Igreja Católica Romana, em razão de pregar o Evangelho completamente distante da prosperidade econômica divulgada pelas neopentecostais.

    Boff pregava que o pobre, o miserável, já eram abençoados por Deus!
    A compensação de suas dificuldades, carências, percalços diários não viria nesta vida, mas após a morte, quando seriam recebidos por Deus, em face de seus sacrifícios e uma existência legitimamente desvalida.

    Não fosse Boff ter pendido tanto para a política, mormente o PT, e ainda por cima ser o maior divulgador de Lula como uma pessoa especial, caridosa e preocupada com a situação dos desvalidos, a Teologia da Libertação teria sido um sucesso incontestável!

    No mínimo, a Teologia divulgada por Boff seria muito mais autêntica que o modo como os pastores, bispos, missionários e apóstolos evangélicos pregam o Evangelho.
    Haveria muito mais aproximação com a maneira como Jesus viveu, que ficar esperando pelo milagre da riqueza, em razão das doações feitas!

    Existem erros cometidos ou deturpações de se divulgar a Palavra de Deus, que são verdadeiros atentados às parábolas de Cristo!
    Mais;
    se observarem com mais atenção, o Velho Testamento é muito mais difundido que o Novo, onde se origina o Cristianismo, onde Jesus veio dar outro entendimento sobre a Lei do Talião, olho por olho e dente por dente!

    A partir daquele momento, caso a pessoa recebesse um tapa no rosto, que desse o outro lado, para também ser agredido!

    Jesus trouxe a Boa Nova, um modo tão diferente de se professar uma crença, que até os poderosos romanos foram tomados por curiosidade e interesse por aquele homem que andava com pescadores, e gente simples!

    Não existe uma parábola atribuída a Jesus que ele enalteça a riqueza, que o ser humano deveria ser rico nesta vida.
    Nada.
    Também jamais foi contra quem fosse abastado, dizendo, dai a César o que é de César e, a Deus, o que é de Deus!
    Certamente o que pertence ao Todo Poderoso é o ser humano, e não o dinheiro.

    Resta salientar o poder da corrupção, do egoísmo, da vantagem sobre o mais frágil, e se afirmar que até mesmo as religiões sucumbiram às tentações seculares com muita facilidade.

  8. Boa noite , leitores(as):
    Sugiro as autoridades ” ANGOLANAS ” que antes de expulsar esses bandidos e patifes da igreja Universal do Reino de Deus , de seu país baixe o cassete nessa corja , expulse-os e revogue a licença dessa entidade criminoso religiosa evangélica Brasileira e encampem todo o patrimônio físico e financeiro dessa entidade e não mais autorize a entrada de seus membros e representantes no país , pois os mesmos crimes que estão acostumados a cometerem impunemente no Brasil , eles os estão cometendo pelos quatro cantos do mundo .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *