Ao contrário do que diz Toffoli, este país precisa de heróis, porque há vilões demais

Resultado de imagem para TOFFOLI CONTRA HEROIS CHARGES

Charge do Kacio (site Metrópoles)

Carlos Alberto Sardenberg
O Globo

Nesta semana, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Tofolli, disse que a Lava-Jato não é uma instituição e que o Brasil não precisa de heróis, mas de projetos. Data venia, cabe discordar. Primeiro, o Brasil precisa, sim, de heróis, por uma razão simples: há muitos vilões entre nós, e vilões em posição de mando. E também porque certas mudanças só ocorrem quando são promovidas por lideranças reconhecidas pela sociedade.

Esse reconhecimento não precisa ser pelo voto. Joaquim Barbosa nunca disputou uma eleição, jamais fez campanha ou coisa parecida. Mas tornou-se um presidenciável pela sua atuação — tão forte quanto inesperada — no processo do mensalão. Foi uma mudança e tanto, não é mesmo?

EXISTEM HERÓIS – O STF, mais conhecido por atrasar ad infinitum os casos envolvendo os agentes públicos com foro privilegiado, dedicou-se inteiramente, por meses, a julgar corruptos de primeiro escalão. Sob a clara liderança de Joaquim Barbosa. Se um herói é alguém sem o qual certas mudanças não ocorreriam, então o ex-ministro tornou-se um deles.

O que nos leva ao caso Lava-Jato. Se o STF quebrou o gelo e colocou a corrupção na mira do Judiciário, a Lava-Jato culminou o processo. Formalmente, trata-se de uma operação, uma simples força-tarefa — “reles” tarefa, gostariam alguns — mas alguém duvida que, na sociedade, tornou-se uma instituição superior?

Sergio Moro também não disputou eleição, não fez campanhas, mas se tornou uma forte liderança moral e política. Um herói, no modo como Joaquim Barbosa.

INVEJA E CIÚME – A resistência à Lava-Jato revela, em setores jurídicos, uma combinação de inveja e ciúme. Como pode um simples juiz de primeira instância — de novo, um “reles” juiz? — tornar-se uma figura nacional?

Não entenderam que Moro encarna uma profunda mudança — e mudança para o bem. Ou entenderam e não estão gostando.

Cabe nessa história o procurador Deltan Dallagnol. A operação envolve uma legião de promotores, agentes da Polícia Federal, auditores da Receita, e funcionários do Coaf, Conselho de Controle de Atividades Financeiras — todos eles heróis pelos papéis exercidos e que levaram para a cadeia os vilões do primeiro escalão. Todos eles eram, por assim dizer, “menores” que os alvos. Todos ouviram, em algum momento, “sabem com quem estão falando?” E mesmo assim foram para cima.

O primeiro procurador da Lava-Jato foi Carlos Fernando dos Santos Lima, uma liderança mais discreta. Mas Dallagnol, seu substituto, encarna a ousadia dos mais jovens enfrentando um poder superior. Daí seus exageros. Mas como queriam que se quebrasse uma quadrilha de políticos, empresários e agentes públicos, instalada no comando de instituições? Pedindo licença, faz favor?

MUITA ROUBALHEIRA – Tirante os lulistas extremados, ninguém entre os críticos da Lava-Jato diz que não houve roubalheira. Ou que a operação não pegou ladrões.

Dizem criticar apenas os métodos — ou o “Direito Penal de Curitiba”, como diz o ministro Gilmar Mendes.

Acontece que existe mesmo um Direito Penal de Curitiba. Trata-se de algo como um novo contrato social ou a reinterpretação de normas e mais, especialmente, um novo modo de fazer. Não apenas a Lava-Jato encontrou lavagem de dinheiro onde o velho Direito via simples caixa 2, como a operação foi fulminante na apuração e julgamento.

INCOMODADOS – No fundo, a legião dos adversários da Lava-Jato está incomodada porque que a operação se tornou uma instituição nacional, tanto que não se consegue encerrá-la, e com alguns heróis de peso. Mas por isso mesmo, há um esforço para limitar o sistema de investigação.

Dias Tofolli, que certamente não é um herói, mas o presidente de uma instituição, praticamente suspendeu as atividades do Coaf. O ministro Alexandre de Moraes suspendeu fiscalizações da Receita federal envolvendo 133 agentes públicos, inclusive os ministros Gilmar Mendes e o próprio Dias Tofolli, e ainda mandou suspender auditores fiscais.

E agora surgem essas conversas para alterar a estrutura desses órgãos. Ora, sem Coaf e sem Receita, não tem Lava-Jato. Só falta proibirem as operações da Polícia Federal. Seria esse o triunfo das instituições? Na verdade, seria o triunfo dos anti-heróis.

(artigo enviado por Mário Assis Causanilhas)

19 thoughts on “Ao contrário do que diz Toffoli, este país precisa de heróis, porque há vilões demais

  1. O interessante é quem toma a palavra para ditar que o país não precisa de heróis é justamente um vilão. O mesmo acontece no legislativo onde o Renan se coloca contra leis que combatem o crime. Voltamos á metáfora da raposa tomando conta do galinheiro.
    Quando essa coisa vai acabar é difícil de prever, especialmente porque não podemos contar com o presidente da república que anda até rasgando dinheiro norueguès e pedindo aos ambientalistas para fazerem menos cocô. Tamos fudidos.

  2. Dias Tofolli praticamente suspendeu as atividades do Coaf.

    Alexandre de Moraes suspendeu fiscalizações da Receita federal e ainda mandou suspender auditores fiscais.

    Sindicato da PF diz que Bolsonaro foi ‘desrespeitoso’ e ‘atentou contra a autonomia’ da instituição

    PSL fingiu ser contra mas ajudou a aprovar o projeto de abuso de autoridade

    Além de transformar em autarquia, Governo quer diminuir o poder da Receita Federal

    Tudo isso com o patrocínio de Jair.

    • Mas não fica muito feliz, não pois a malvada vai te pegar de qualquer forma. Ladrão miúdo não tem proteção. Falando em ladrão graúdo, já leste a delação do Palocci? Pegou feio no teu patrão, José Dirceu.

  3. O Brasil está necessitando há muito tempo de apenas um Herói, tal seja o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, a Revolução Redentora da política, do país e da população, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, capaz de enquadrar todos os mocinhos e bandidos do sistema político apodrecido, de direita, de esquerda e de centro, inclusive os bandidos incrustados na máquina pública, escondidos atrás de togas, fardas, mandatos, cargos e funções.

  4. -Este país precisa é de cadeias.
    -Muitas cadeias, todas constituídas exclusivamente por CELAS ESPECIAIS, pois os maiores FACÍNORAS e PILANTRAS deste país têm curso superior e, de acordo com a nossa jabuticaba, não são bandidos comuns por terem todos os dentes na boca…

  5. Eu continuo me impressionando com os militares que aparecem descrevendo um produto de compra online na China (Taobao)…

    No Brasil seria a mesma coisa que entrar no Mercado Livre e a última foto do produto fosse um retrato do vendedor, uniformizado, militar, batendo continência.

    Agora, quanta eficiência!!!! De onde saiu isso tudo? Mentiram para nos esses americanos que tratavam amarelos como ratos??

    Isso e comunismo ou atingir um nível de costumes que a direita almeja?
    Isso e socializo ou o UNICO mercado realmente produtivo da atualidade ?????

    Olha a eficiência dos caras! Vacilou perde a cabeça, o sonho de todo Bozominion!!! :

    – “Jinhua City, Cidade de Jinhua, Cidade Jiangnan, Solicitação e Departamento de Investimento, recebeu, Agente: Wu Yi

    – Jinhua City, deixando Jinhua, Cidade Jiangnan, Departmento do Comando de Investimento.
    Próxima parada, Yiwu Internacional.

    – Cidade de Jinhua, chegando a Yiwu International Mail.

    – Cidade de Jinhua, Yiwu International Mail foi exportado diretamente, selado.

    – Jinhua City, deixando Yiwu International Mail, próxima parada: Yiwu International Mail Exchange Station”

    O BRASIL PRECISA É DE VERGONHA NA CARA.

  6. Eu, um simples Zé Mané “me encho” de orgulho próprio quando vejo essa nulidade intelectual, esse templo da mediocridade chamado Dias Toffoli, falar essas merdas…

    Nós já tivemos um Rui Barbosa…

  7. Tá cada vez mais difícil comentar qualquer assunto, com esse clima beligerante e negativo do atual momento que vive o Brasil.

    No entanto, mesmo sob ataques ousarei comentar um tópico do que disse Sardemberg em seu artigo de ontem no O Globo.

    O jornalista de economia adentra na política para defender um novo Contrato Social, pensando talvez em ressuscitar o gênio Jean Jaques Rousseau o enciclopedista do Renascimento. Concorda ele com Deltan e sua ousadia dos mais jovens contra os poderosos de colarinho branco e defende seus exageros ao arrepio da LEI. Bom, é o caso de concluir, que se a LEI não é boa dane-se a LEI, bastando interpretá-la como lhe convém!
    Quando a LEI não é respeitada, por quem quer que seja, cidadãos ou juízes, a verdade perece e viceja o autoritarismo.

  8. O ALTISSIMO SEJA LOUVADO …sempre

    Artigo tendencioso, inútil e inócuo. Na linguagem dos
    menos letrados …UMA MERDA.
    Mas esperar o quê deste degenerado? O cara não sabe nem onde fica o seu umbigo..quanto mais escrever..aliás escrever é para que tem bala na agulha e não bobagens.
    Notem que o tal “jornalista” aprova os atos do Procurador mafioso Dom Corleone..KKKKK
    tecer comentário? Aprovar um crime para fazer justiça? HA..HA..HA..HA. (royalties para o mestre Hélio Fernandes).

    YA SEJA LOUVADO sempre ..

  9. Tema que possibilita mais do que um debate, mas uma boa discussão a respeito deste artigo em tela.

    A meu ver – desconheço o autor -, o teor do texto não está de todo errado, não.
    Justifico o meu apoio:
    O povo, por acaso, como tem tratado aqueles que lhe roubam, exploram e manipulam?
    De que forma tem aceitado os crimes de corrupção perpetrados pelo antro de venais?
    Tem protestado contra as regalias, mordomias, auxílios pecuniários os mais variados e exóticos, indenizações pessoais?!
    Como tem se comportado com tantas injustiças contra ele ao longo de anos a fio?

    Sim, exatamente, NÃO FAZEMOS NADA!
    Mais ainda encontramos dificuldades para punir esses delitos, haja vista o STF proteger essa escória, alimentando a impunidade.

    Nesse momento, o congresso se debruça em quê?
    Em um pacote que pune juízes(!), mediante lista de abusos que os ladrões e corruptos estão alinhavando às suas proteções!

    O inescrupuloso Gilmar Mendes ontem declarou que esta lei, caso aprovada pelo congresso, trará de volta o “Estado de Direito”.
    Perfeito.
    Mas, e o nosso, dos lesados e prejudicados, quais seriam os nossos “direitos”??!!

    Acatar a decisão do Supremo em franco benefício aos desonestos e traidores do País e do povo?!
    A Justiça, neste particular, quando investigar, prender, vasculhar a vida do acusado, deverá considerá-lo como uma pessoa igual àquela que jamais teve qualquer problema de ordem policial ou judicial?!

    Que critério é esse?
    Ao réu ou acusado ou investigado, as garantias totais e absolutas, e mais o beneplácito dos tribunais superiores?!
    Ao povo, que foi roubado, explorado e manipulado, que vá chorar na cama, pois é lugar quente??!!

    Não, trata-se de uma clamorosa injustiça CONTRA O PREJUDICADO!

    Logo, aceito, admito, concordo, aplaudo o trabalho da Lava Jato e, em especial, a conduta honrada e corajosa de Moro e Dallagnol!

    Tratar criminosos com pompa e circunstância, luva de pelica, reverências – o que é isso?
    Clube dos cafajestes?

    Basta de impunidade, consideração, respeito por aqueles que mereceriam a pena de morte em muitas nações deste planeta!

    O cara é comprovadamente ladrão do povo e do país, logo, que a Justiça venha pelo atalho!

    De nada adiantam as instituições andar no passo certo, se membros desses poderes andam de passo errado.
    Ou todos andam de passo certo ou, aqueles que destoam, que sejam retirados do desfile!
    POR BEM OU POR MAL!!!

    Palocci, desde ontem, não tá pondo prá fora todos os crimes de Lula, ladrão e genocida??!!
    O PT não teve conversas íntimas vazadas com o PCC?!

    E é com este bandido, esse criminoso, que estamos tendo esta peleia “jurídica”??!!

    Sinceramente, mas Moro e Dallagnol deveriam ter monumentos em suas homenagens ou que seus nomes fossem colocadas em salas de algumas repartições públicas, na condição como exemplos de comportamento em defesa de uma sociedade permanentemente lesada, prejudicada!

    Quantos delinquentes a Lava Jato já julgou, condenou e meteu na cadeia?
    Quantos “inocentes” foram apurados porque ofendidos em seus direitos por esta mesma operação??!!

    Por que com Lula, ladrão e genocida, que ainda vamos levar muitos anos para descobrir seus crimes, tanta atenção e exigência de protocolos absolutos?
    E, conosco, à base do vai da valsa??!!

    Esses bandidos dever ser presos, e danem-se os procedimentos legais!
    O quê?
    Vão escrever que um crime não justifica o outro??
    Mas como?
    O Brasil assiste há décadas que o crime compensa neste país!!!!????
    Portanto, se veneno de cobra se neutraliza com o próprio veneno, simples:
    “quem com crime fere, com crime será ferido”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *