Após cúpula com Kim, Trump suspende exercícios militares com Coreia do Sul

Resultado de imagem para trump e kim

 


Deu em O Globo

O presidente americano, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira que suspenderá os exercícios militares dos Estados Unidos na Península Coreana, e que espera que o ditador Kim Jong-un caminhe “muito rapidamente” para desmantelar o arsenal nuclear da Coreia do Norte, como prometido na declaração conjunta assinada pouco antes pelos dois dirigentes.

Para analistas, a suspensão dos exercícios é uma grande concessão americana, embora Trump tenha afirmado que os Estados Unidos não “cederam nada” por enquanto. Os EUA mantêm tropas na Coreia do Sul desde o fim da Guerra da Coreia, que sedimentou a divisão da península, em 1953. Atualmente, são cerca de 28 mil soldados, e a realização de exercícios conjuntos com as forças sul-coreanas tem sido historicamente acompanhada de protestos norte-coreanos.

SANÇÕES EM VIGOR – Em entrevista coletiva ao fim da primeira cúpula entre um presidente americano e um dirigente norte-coreano, Trump disse que as sanções econômicas contra a Coreia do Norte continuarão em vigor por enquanto. Ao anunciar a suspensão do que chamou de “jogos de guerra”, Trump disse que eles são muito caros e “provocativos”.

O texto completo do comunicado conjunto assinado por Trump e Kim não foi divulgado, mas trechos puderam ser lidos em uma foto em que o presidente americano segura o documento. Nele, Trump se comprometeu a dar “garantias de segurança” à Coreia do Norte, enquanto Kim “reafirmou seu compromisso firme e inabalável com a desnuclearização completa da Península Coreana”.

“Tivemos um encontro histórico e decidimos deixar o passado para trás. O mundo verá uma grande mudança” — disse Kim na assinatura da declaração conjunta. “Vamos cuidar de um problema muito grande e muito perigoso para o mundo” — afirmou Trump.

SEM DETALHES – Não foram dados detalhes sobre o cronograma das negociações abertas pelos dois líderes. Do lado americano, elas serão conduzidas pelo secretário de Estado, Mike Pompeo. Trump disse na entrevista coletiva que já haverá um novo encontro entre os negociadores na próxima semana.

Na declaração conjunta, Trump e Kim também prometeram “unir esforços para construir um regime de paz duradouro e estável” na Península Coreana, numa referência a um possível acordo de paz para pôr fim formalmente à Guerra da Coreia, que foi encerrada com uma trégua, vigente até hoje.

Trump disse na coletiva que não iria voltar atrás na sua descrição de Kim. “Bem, ele é muito talentoso. Qualquer um que assuma uma situação aos 26 anos, como ele fez, e é capaz de administrá-la, e administrá-las com firmeza… Não digo que ele seja agradável”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Importantíssima a aproximação entre Estados Unidos e a Coreia do Norte. Por enquanto, é claro, são apenas promessas. No encontro da próxima semana, talvez tenhamos algo de mais sólido. O mundo inteiro está torcendo pelo sucesso desta empreitada. (C.N.)

8 thoughts on “Após cúpula com Kim, Trump suspende exercícios militares com Coreia do Sul

  1. As amebas do partidarismo eleitoral e do golpismo ditatorial, enquanto pragas universais dominantes, as suas pérolas, e o mundo refém dos me$mo$.

  2. O novo tipo de golpe de estado: um seriado em três temporadas

    SUELY ROLNIK – O capitalismo financeirizado tenta destruir todas as conquistas democráticas e republicanas, dissolver seu imaginário e erradicar da cena seus protagonistas.

    Uma paisagem sinistra instaurou-se no planeta com a tomada de poder mundial pelo regime capitalista em sua nova dobra – financeirizada e neoliberal –, poder que leva seu projeto colonial às últimas consequências, sua realização globalitária. Junto com este fenômeno, um outro, simultâneo, também contribui para o ar tóxico da presente paisagem: a ascensão ao poder de forças conservadoras por toda parte, cujo teor de violência e barbárie nos lembra os anos 1930 que antecederam a segunda guerra mundial e os anos mais recentes das ditaduras que persistiram até os anos 1980. Como se tais forças jamais houvessem desaparecido de fato, mas apenas tivessem feito um recuo estratégico temporário à espreita de condições favoráveis para sua volta triunfal.

    * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * vale a pena continuar a leitura >>> http://controversia.com.br/8360

  3. “O llíder norte-coreano, Kim Jong-un, assinou o documento final não com uma caneta dada pelo presidente norte-americano, Donald Trump, mas com uma oferecida por sua irmã.
    Ainda antes do início da cerimônia, quando colocaram as pastas de documentos e canetas pretas iguais — ambas com o nome de Donald Trump — na mesa para assinatura do documento, um guarda-costas do líder norte-coreano abriu a caneta com luvas brancas muito cuidadosamente para conferir o que havia dentro e depois a limpou com um guardanapo.
    No entanto, enquanto Trump estava falando sobre a importância da assinatura, a irmã de Kim Jong-un, Kim Yo-jong, aproximou-se e lhe entregou uma outra caneta, com a qual o líder norte-coreano assinou o documento final.”

  4. O Trump tá é tratando de limpar a própria barra, porque no ritmo que ele tá indo, vai pelo mesmo caminho do Nixon: o do impeachment.

    Impeachment não é só na República das Bananas, não…

    É um instrumento legítimo das verdadeiras democracias, em qualquer hemisfério, por mais que uns e outros queiram negar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *