As relações de Michelle com sua família só a ela pertencem e são direitos indevassáveis

Resultado de imagem para michelle bolsonaro

A revista Veja publicou uma reportagem desairosa à primeira-dama

Jorge Béja

É certo, certíssimo que, se mãe, avó e tios de Michelle Bolsonaro, de uma hora para outra, a partir do 1º de janeiro de 2019, deixassem de morar da Favela Sol Nascente, tida como sendo a comunidade mais pobre da capital federal e uma das maiores do Brasil, e passassem a morar em um apartamento no centro de Brasília, a mesmíssima Revista Veja publicaria matéria também desairosa. Diria que a mudança foi porque Michelle se tornou a primeira-dama do país e tirou proveito desta condição em benefício da família.

Como isso não aconteceu, a situação de pobreza que persiste, após a condição de nobreza em que passou a viver a filha, neta e sobrinha famosa, aí a Veja publica matéria mostrando o que seria um contraste entre a vida que Michelle passou a ter e a de seus ascendentes, que permanece a mesma.

A VEJA É ASSIM – Em 1993, no auge da minha carreira de advogado, a Veja-Rio (Vejinha) me procurou. Veio com a justificativa de que eu era um advogado de muita fama, que defendia os pobres vitimados por acidentes, erros médicos, catástrofes, mortes nos presídios, calamidades…Que eu defendia os Símbolos Nacionais, tendo processado aqueles que os desrespeitaram… Que advogava de graça para quem não podia pagar… Que onde havia uma tragédia (Bateau Mouche, Queda do Elevado Paulo de Frontin, Queda do Palace II de Sérgio Naya, Chacina da Candelária e outras mais) lá estava eu a defender os vitimados… Que além de advogado militante eu também era pianista clássico…E que, por isso, me pedia uma entrevista.

Concordei. E durante quase uma semana (de segunda a quinta-feira) a repórter Márcia Vieira me encontrava pela manhã e me acompanhava até o fim do dia. Registrava tudo o que eu fazia. E no domingo seguinte, quando a revista foi às bancas, lá estava eu ocupando toda a capa. E dentro da revista, matéria de 7 páginas e mais de 10 fotos. Na capa, o título que me magoou: “O Doutor Útil e Fútil”. Preferi calar do que reagir. Deixei o julgamento para os leitores.

OS MOTIVOS – A “futilidade” foi porque fui à Justiça e proibi que a prefeitura do Rio pagasse 6 milhões de dólares para Michael Jackson vir de São Paulo para se apresentar no Rio. Porque consegui liminar para proibir que César Maia pagasse outros 6 milhões de dólares a Franco Zefirelli para comandar o Réveillon em Copacabana.

Porque proibi, também com liminar judicial, Madonna de se apresentar no Maracanã com a Bandeira Brasileira, que ela havia prometido esfregar na vagina como “prova de amor do Brasil”.

Por ter conseguido Habeas Corpus para que o Dalai Lama e sua comitiva viajassem ao Brasil para participar da Eco-92, pois o governo brasileiro negara o visto ao lider tibetano. Por isso e outras medidas mais, fui tachado de “Fútil”!

NO PÉ DE MICHELLE – Agora a mesma revista pegou no pé de Michelle Bolsonaro. Mas teria a revista publicado o que disse Maria Aparecida, avó materna de Michelle em novembro de 2018? “Eu gosto muito do Jair. Gostei desde a primeira vez. Ele sempre me abraçava, me beijava, me chamava de vó. Vou abraçar e beijar meu presidente agora. Ele é uma pessoa muito humilde. Tenho certeza de que, se eu chegar lá, ele vai me receber com muito carinho”.

Teria também a Veja publicado o que revela o mesmo site “Último Segundo IG”, reproduzindo trecho da entrevista de novembro ao Correio Braziliense: “A idosa ainda afirmou que segue morando no Sol Nascente por opção. Segundo ela, sua filha Maria do Carmo, mãe de Michelle, já a convidou para morar em um apartamento em Ceilândia”.

SUAS CONCLUSÕES – Tirem os leitores suas conclusões. Mas que sejam refletidas, justas e jamais precipitadas e radicalmente antagonistas. Não nos é dado o direito de penetrar, se imiscuir e invadir os sentimentos, a privacidade, a vida, as situações pessoais e familiares do próximo, seja quem for, porque tanto somente a próximo pertence. É direito personalíssimo, íntimo, interior. É direito indevassável.

Que Michelle já demostrou ser pessoa grata, isso já demonstrou. Foi aqui mesmo na Tribuna da Internet. No dia da posse do marido, me comovi com o discurso de Michelle em Libras e escrevi artigo elogiando. Dois meses depois, a capitã Larissa (ajudante de ordens da presidência da República) me envia mensagem e-mail e pede meu telefone. Respondi e passei o número. No mesmo dia e em menos de uma hora depois foi a própria Michelle Bolsonaro que ligou para mim. Ela própria pegou o telefone, ligou e pediu para me chamar. Era para agradecer. E conversamos. Uma conversa entre a primeira-dama do pais e um cidadão brasileiro, desconhecido, distante e idoso.

Foi um gesto que me comoveu e contei tudo aos leitores através de outro artigo “Gratidão, outra grande virtude da primeira-dama Michelle Bolsonaro” (tudo está no link da TI).

53 thoughts on “As relações de Michelle com sua família só a ela pertencem e são direitos indevassáveis

  1. Acredito que a primeira dama é uma mulher sofrida na vida. Bonita, oriunda de uma família pobre, mãe de família. Ela não pode ser culpada pela situação em que vivem os seus familiares antescendentes. Ela precisa preocupar-se antes com seus descendentes. Não é ela a dona do dinheiro do marido.Ela nunca foi de posses. Ela não tem o controle sobre o dinheiro do esposo. E também o esposo não tem culpa pela situação da família da esposa. Cada um no seu quadrado. A gente casa não é pra resolver a vida dos familiares, mas sim pra seguir a própria vida, buscar a própria felicidade. Bolsonaro organizou a vida dos filhos; se Michele também fosse deputada ou uma mulher de vultosa renda certamente talvez pudesse ter dado uma melhor condição pra sua avó e seus tios. Mas a pobre não tem. Ela tinha uma filha pra criar e só. Arranjou um homem de posses e seguiu a vida. É injusto criticá-la. É pecado levantar falso contra as pessoas.

    • Francisco Menezes,
      com sua licença, faço minhas e as integro no artigo, este seu mais do que sensato e realístico comentário.
      Grato.
      Jorge Béja

    • “MATEUS, PRIMEIRO OS TEUS.” Cá entre nós, caso Michelle tivesse alguma consideração pela sua avó, fosse de fato fiel aos ensinamentos cristãos, já teria pedido uma mãozinha para o Queirozão ( aquele ex-assessor e pupilo do marido, que fez um depósito de R$ 24 mil em sua conta, ao qual o maridão empresta dinheiro a rolo, sem exigir documento nenhum como garantia), o faz tudo do Flávio, o enteado, ambos rolistas bem-sucedidos do ramo imobiliário, certamente a vovó já poderia estar residindo numa casinha melhor, mais segura, inclusive por questão se segurança, até porque afinal de contas ela é Avó da primeira dama do país, não pode ser um alvo fácil à mercê de sequestradores e afins.

  2. Perfeito, Dr. Béja.
    E quem disse que a avó de Michelle quer sair daquela vida? Há muitas e muitas pessoas que ganham a possibilidade de sair do mundo da pobreza, de um lugar ruim de onde mora, mas NÃO QUER e pronto! Tem várias assim! É feliz do jeito que está!
    A grande maioria dos “comentaristas” aqui da TI, não olham o próprio rabo e deveriam acordar e acordar mesmo, pois devem passar por uma situação parecida, mas fingem que não é com eles: Ex: Filhos maconheiros, vagabundos e ladrões; pais idosos que precisam de assistência, mas é preferível largá-los em uma casa de repouso; e outros parentes completamente abandonados e desprezados…. mas quando o caso é com a família Bolsonaro, aí vira um absurdo! Atenção galerinha lacradora da TI: Olhem para o próprio rabo primeiro e depois reflitam bem!! Sei que a carapuça vai servir em muitos e muitos por aqui! Ah, se vai!

  3. -Parabéns pelo oportuno artigo.
    – Cada um conhece os próprios limites e onde o sapato aperta. Ainda mais quando se trata de família!

    – Se a primeira dama conseguir educar a própria família e tornar os filhosr cidadãos decentes, já estará de bom tamanho, pois isso muita gente que tem dinheiro e oportunidade não está conseguindo fazer.

  4. Dr. Beja,
    Irrepreensível o seu artigo.
    Nem tudo que parece é.
    É impressionante como a chamada grande mídia brasileira todos os dias aborda o presidente do país e a sua família, via de regra, são CRÍTICAS, poucos ELOGIOS.
    Se Bolsonaro tivesse dado emprego no governo federal para todos os familiares da primeira-dama estariam hoje descendo o porrete nele e o chamando de corrupto.
    É muita hipocrisia, quem é casado e ajuda todos os familiares do marido ou da esposa?
    A grande imprensa uma vez ou outra, ultimamente, vem informando que quem roubou do povo brasileiro para dar aos filhos, parentes e amigos foi o Lula, razão pela qual está no xilindró.
    É dramática a situação dessa nação, pois, DIVIDIDO, nós estamos na iminência de desintegração.
    Paro por aqui, porque o desânimo é ENORME.
    Parabéns!
    Um abraço.
    João Amaury Belem

    • “A grande imprensa uma vez ou outra, ultimamente, vem informando que quem roubou do povo brasileiro para dar aos filhos, parentes e amigos foi o Lula,…”

      -POIS É, meu caro! Bom mesmo para os parentes é o LULA!!!

  5. Discordo de grande parte do posicionamento do articulista, mas neste acho corretíssima a sua posição de defender a privacidade da primeira-dama. Entretanto, apesar de não saber o que acontece dentro da família da primeira dama, acharia razoável uma ajuda para dignificar a vida de seus parentes. Eu agiria de outra forma, entretanto, quem sou eu para dar um pitaco num assunto tão íntimo e de uma pessoa que já demonstrou grandeza de espírito.

    • A Revista Veja exerce o arbítrio de um “par ou ímpar”, para desempatar com seu contraditório: enquanto pastores e chicaneiros se vangloriam daquilo que lograram êxito, a Revista procura desconstruí-los com os malogros pelos ufanistas omitidos!

  6. Parece que os envolvidos tem ligação com o povo do PSOL, então esquecem. A esquerda além do viés psicopata, usa muito óleo de peroba.

  7. “EM CADA CABEÇA UMA SENTENÇA.” Há controvérsia, Caro Béja. Em que pese o vosso bom relacionamento com a primeira dama, sendo compreensível a vossa rasgação de seda, o fato é que dispensar à avó melhores cuidados, como já foi dito acima, é até uma questão de segurança, até porque evita-se que a pobre senhora aquele se tornando possível vítima de algum sequestrador maluco. Nós somos nós e as nossas circunstâncias, e uma primeira dama é uma pessoa pública, sujeita a elogios, bajulações e tb a críticas, principalmente pela imprensa enquanto olhos de lince da população. No caso, “data venia”, para quem foi educado desde o berço a cuidar bem dos menos jovens, principalmente avós e pais, como foi o caso do editor da T.I., p.ex., que cuidou da sua saudosa mãe até o seu último suspiro, vamos combinar que a conduta da primeira dama em relação à sua avó está realmente deixando muito a desejar, principalmente em sendo ela uma cristã fervorosa, evangélica compromissada com os ensinamentos cristãos, e temos certeza que após a divulgação do fato, o casal presidencial passará a cuidar melhor da pobre idosa que afinal de contas é a vovó ainda viva do casa presidencial, e, por conseguinte, a vovó do Brasil que a quer ver bem assistida. Portanto, a nosso ver, são procedentes as críticas dos jornalistas em relação ao fato. Aliás, abandono de idosos à própria sorte é coisa séria.

  8. Quer dizer que , pelo que entendi desse artigo ,o que vale é cada um por si e DANE – SE os outros.
    Que vergonha !!
    Lamentável mesmo !!
    Acabou o amor ao próximo.
    Infelizmente , este é o mundo cão que hoje vivemos.
    É por isto que o Brasil está afundando cada vez mais no precipício , da onde NUNCA vai sair.

  9. SERVIDORA.
    Primeira Dama é Servidora PUBLICA, servidora do POVO.

    Ou renuncie ao cargo!

    Como tal, teve seus podres explorados pela Midia.
    Nao trata de ser ou nao ser uma berua…
    Mas o cargo de primeira dama nao condiz com o que ela é

    • Era servidora pública antes, começou mocinha nova, lá pelos gabinetes do legislativo.
      Curioso que não li que tenha sido com um estágio, como aprendiz… Já começou lá dentro mesmo.
      Bolsonaro empregou e promoveu-a em gabinete da Câmara.
      Tem gente que diz que na época era legal… Mas uma interpretação honesta do princípio da moralidade, que existe muito antes de qualquer jurisprudência do Supremo que resultou em regras posteriores, já seria o bastante para concluir que não.
      A Família Bolsonaro sempre foi assim. Distribui cargos comissionados entre famílias próximas. É a velha nova política.

  10. Como virei vidraça por defender apenas que não se julgue as pessoas com o ódio ideológico agradeço o artigo salvador do Dr. Béja.

    Cheguei a pedir sua ajuda em outros posts em meio a chutes e caneladas.

    Assuntos de família mesmo de inimigos devem ser respeitados.

  11. Dr. Beja, deixo registradas aqui palavras da avó de Michele Bolsonaro. Ninguém inventou.
    Particularmente, gostei dele, com suas Libras, elegância e beleza e inteligência. Mas fiquei triste com o que deixo registrado aqui.

    Um pastor da igreja que frequenta tentou intermediar um encontro com o presidente Bolsonaro, mas ela rejeitou. “Aprendi que só vamos a pessoas importantes quando somos convidados. É minha neta, cresceu lá em casa, mas agora ela é a primeira-dama.”

    “Além disso, se eu chegar assim (diz apontando para as próprias roupas), posso ser destratada, e isso vai me magoar. Eu não tenho roupa, sapato, nada disso, para frequentar esses lugares”.

    Aparecida, como é conhecida no bairro, diz que faz mais de seis anos que ela não vê a neta que ajudou a criar. A avó não foi convidada para a posse, nem ela nem sua filha, mãe de Michelle, Maria das Graças.

    “Nem foi convidada para a posse”
    Li sim, que Bolsonaro chama-a de vó, ela torceu por ele, e reverencie ele. Mas que não foi a posse não foi sequer convidada.

  12. Vamos ver se pela terceira vez dá certo.
    – quem não tem culpa que atire a primeira pedra.
    – Se você não consegue acompanhar e dar assistência ao seu idoso, deixe-o em um asilo.
    A imprensa anda tão mentirosa que não acredito que as coisas sejam como essa reportagem da Veja tenha noticiado.

  13. Dr. Beja tem toda razão em reverenciar Michele Bolsonaro. Afinal, depois do seu elogio pelo discurso em Libras, ela falou pessoalmente com ele. Uma honra. Nada tem a ver com a ausência, nem convite para a posse. Duas coisas diferentes.

  14. Muito bom artigo do Dr. Beja. O pessoal da Veja sempre teve um gosto enorme de ofender e macular reputações, às vezes gratuitamente, e o caso dele foi um perfeito exemplo disso. Mas é claro que tal tratamento é reservado para pessoas que não lhes interessam. Não lembro de visto alguma vez uma matéria na Veja escarafunchando a vida pessoal ou familiar de qualquer tucano, em busca de sujeira.

  15. Caro Béja,
    Como gratidão é um gesto sublime, e temos de te-lo no dia a dia para sermos felizes e completos, fiz um comentário por achar que Michele merecia seu post, fiquei triste inicialmente com a matéria do desprezo pelos parentes, como tenho parentes refleti a estoria familiar e percebi uma semelhança comum a todas as famílias, existem os primos ricos e os pobres, coisas que acontecem pelos mais variados motivos que findam em uma vala comum, por isto me abstive de atirar ou guardar a pedra no post da “veja” .
    E mais uma vez com sua sensibilidade vc nos traz a razão.

    Saudações.

  16. “FÁBULA “O VELHO, O MENINO E O BURRO”

    Conta tradição antiga
    Que um velho camponês
    Precisando de dinheiro
    Em certa altura do mês
    Manda o filho caçula
    Buscar o burro ou a mula
    Para vender dessa vez.

    O menino vem ligeiro
    Trazendo o belo burrinho,
    Seguiram os três pra cidade
    Logo de manhã cedinho
    Ninguém montou no animal
    Pra ele não dar sinal
    De cansaço do caminho.

    Porém numa curva
    Da estrada
    Viram um viajante
    Que falou: – “Que “besteira”!
    O animal vai vazio
    E o pobre velho senil
    Vai a pé na caminhada”

    – “Vejam, só, que grande asneira
    É promessa ou penitência?”
    E o velho lhe deu razão
    E foi no burro montando
    E o menino puxando
    Na mais pura inocência.

    E foi dizendo o velhote
    – “Só assim ninguém reclama
    E tapo a boca do mundo!”
    Logo à frente as lavadeiras
    Lavando nas corredeiras
    Gritaram: – “Mas que burrama!”

    – “Um marmanjão com saúde
    Muito contente montado
    E um pobre menininho
    Puxando o burro! Ah, malvado!…
    Este mundo está perdido
    Desça daí seu bandido
    Que o menino está cansado!”

    Depois dessa, o pobre velho
    Indignado acenou
    E na garupa do burro
    O seu menino montou
    E disse ali sem demora:
    – “Quero ver quem fala agora!?”
    E o seu caminho continuou

    Mas não deu nem dez minutos
    Desponta ali na frente
    Montado na bicicleta
    Um roceiro e diz: – “Oxente!
    O pobre desse animal
    Não vai chegar ao final
    Com esse peso em dia quente!”

    Disse isso e foi-se embora
    E o velho concordando
    Desce, deixando o menino
    E sai na frente puxando
    Mas encontra outro sujeito
    Que ao menino curva o peito:
    – “Majestade!” O vai saudando.

    Logo pergunta o menino:
    – “Por que falas: majestade?”
    – “Porque somente os príncipes
    Tem servo na tua idade
    Puxando as montarias
    Não fosses rei não terias
    Lacaio à tua vontade!”

    – “Lacaio, eu?” – Diz o velho
    – “Mas que grande desaforo!”
    Desça ligeiro menino
    Pra não ouvir este coro
    Vamos com o burro nas costas
    Pra ver se o mundo assim gosta
    E não faça mais agouro

    E os dois com o burro nas costas
    Qual estranho ritual
    Encontram alguns rapazes
    Que fazem tal carnaval
    Gritando: – “Vejam três burros
    Só falta soltarem zurros
    Quem é o mais burro afinal?”

    E o velho grita: – “Sou eu!
    Burro de orelha também
    Querendo escutar o mundo
    Sendo aconselhado além
    Quem segue o mundo maluco
    Vai morrer doido e caduco
    Sem nunca agradar ninguém!”

  17. Estamos em pleno século XXI e relações de homens públicos com suas famílias embora protegidas tem ainda que prestar contas e se submeter ao escrutínio do interesse público.

    E é do interesse público a transparência. Uma pessoa não pode sair aí dizendo que é de Deus e ter condutas contraditórias.

  18. Matou a família na Ceilândia e foi fazer carreira de Godiva no Alvorada…
    Fosse uma Joana Fonfon qualquer, a noubreuza estaria chamando a polícia entoando os cantos juridicos que definem o crime…

    Enquanto continuarem endeusando servidores publicos (os eleitos para trabalhar por nós) como celebridades, o Brasil está perdido….

    E,… Ademã que vem mais….

  19. Acontece, que a “dona” Michele que não é Obama.
    É Pessoa pública,deve ter atitudes e comportamento humanística,tanto, é, sugiro seu nome para dirigir a LBA,ACDD etc.

    Bah…k.puxa saquismo..
    Botou no lixo,o sentimento de iluminismo e humanístico…

    Parabéns dona Carmem,senhora leu e releu a matéria.

    • Estamos falando de sentimentos,de abandono de uma anciã a própria sorte..
      Dona APARECIDA,quer um carinho, atenção,ela já externou na sua simplicidade, não tem condições de freqüêntar o Palácio…

      Comungam com o mesmo pensamento o Dr. Ednei Freitas,dona Carmem Lins, CN,e outros.

  20. Ao contrario do engajado advogado, a ‘primeira godiva’ segue o lema da “Arte Sutil de Não Estar Nem Aí – Uma abordagem contra-intuitiva de viver a boa vida”

    Canta essa, Fernandinha:

    “E pelas ondas da notícia ela manda o seu recado
    Pelas ondas da notícia ela manda o seu recado:
    Alô Milicia!
    Eu tô usando… um presidente,
    Calcinha!
    Um presidente…
    …………………..
    Get out, get get out!”

  21. Parabéns ao Dr. Beja.

    A imprensa marrom está sofrendo de insuficiência de desvio de verbas.

    Mas já estão melhorando, em 16 anos não conseguiram saber nada de reprovável sobre Lula, Dilma e temer.

    Agora já nos mostram quão desprezíveis são nossos governantes.

  22. O que tem de Hortelino Troca Letras trocando as placas de ‘aberta a temporada de caça aos coelhos’ não está no gibi.
    Mas o Coelho Pernalonga vai lá e desvira a placa para ‘fechada a temporada de caça ao coelho’.
    Hortelino fica furibundo (epa) com o coelho sabido e sua espingarda de socar pela boca não dá nenhum tiro.
    Aos mergulhadores de águas turvas e arremessadores de fezes resta a alternativa de Sísifo que foi condenado a empurrar uma enorme pedra montanha acima, eternamente.
    Eu gostei do artigo do Doutor Beja.
    Quem não gostou tem um vasto caminho para operar, que façam o mesmo com a defunta mulher do Lula, Dirceu, Genoíno, e até a do Haddad.
    Vamos incensar as mulheres dos Varões de Plutarco, estas sim são mais honestas que a mulher de Cesar, hehehe, é como voto!

  23. Caro Dr.Jorge Beja ,acompanho e admiro sua inteligência e seu trabalho há muito tempo.
    Seu artigo e colocações sobre Michele Bolsonaro são uma maravilha,uma preciosidade.Resgatam a calhordice de mais uma materia abjeta da VEJA .
    Longa vida ao mestre dos mestres.
    , Jorge Beja.
    Receba um forte abraço de um admirador anonimo aqui do Sul,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *