Assassinato do capoeirista na Bahia foi cometido por divergência política

Resultado de imagem para Moa do Katendê

Moa,mestre de capoeira, era amigo de Gilberto Gil

Deu no Correio Braziliense
(Agência Estado)

O inquérito da Polícia Civil da Bahia que investigava o assassinato do mestre de capoeira, ativista cultural negro e fundador do afoxé Badauê Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, conhecido como Moa do Katendê, concluiu que o crime, praticado por um admirador do presidenciável Jair Bolsonaro, foi cometido por causa de uma discussão político-partidária.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 17, pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e o inquérito enviado ao Ministério Público da Bahia (MP-BA), que agora terá que decidir se oferecerá denúncia à Justiça ou não.

12 FACADAS – De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, o barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, 36, desferiu 12 facadas contra Moa do Katendê em um bar de Salvador após o capoeirista defender seu voto no candidato do PT ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad, e criticar o candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro.

A versão já havia sido admitida pelo próprio autor do crime, que está detido desde o dia do assassinato, na madrugada do dia 8 de outubro, após o primeiro turno das eleições 2018. Ele teve prisão preventiva decretada no dia 10 de outubro e encontra-se no Presídio da Mata Escura, no Complexo Penitenciário de Salvador. A decisão de manter o barbeiro preso foi tomada, na semana passada, pelo juiz Horácio Pinheiro, que considerou que havia “prova de existência do crime” e “indício suficiente de autoria”.

FOI XINGADO – Agora, a polícia informou no inquérito que a versão do assassinato por motivações políticas foi confirmada pelo dono do bar e por outras testemunhas. Segundo a SSP, após confessar o crime logo após a prisão, o barbeiro Paulo Sérgio afirmou, em depoimento, que não cometeu o crime por conta da divergência política, mas sim porque foi xingado após se desentender com o capoeirista durante uma discussão sobre eleições.

Um primo do mestre de capoeira, que tentou defendê-lo do ataque a facas, também foi ferido na ocasião. Germinio Pereira tem 51 anos e foi atingido no braço, mas passa bem. O autor do crime, contaram testemunhas em depoimento, chegou ao bar declarando voto no capitão da reserva, presidenciável do PSL, e disse que “o Brasil precisa se livrar do PT”.

IA FUGIR… – Em nota, a Polícia Militar da Bahia (PM-BA) informou que, quando foi encontrado, Paulo Sérgio já estava com uma mochila com roupas no intuito de fugir. Caso seja indiciado, o barbeiro vai responder por homicídio e tentativa de homicídio.

Ele tinha outras duas passagens pela polícia, segundo a SSP. Em 2009, ameaçou uma criança de 14 anos com uma tesoura após ser abordado pelo garoto, que pedia esmola. Em 2014, se envolveu em uma briga de rua.

26 thoughts on “Assassinato do capoeirista na Bahia foi cometido por divergência política

    • Muamar Kadafi, o ex-ditador que doou para a campanha petralha com provas robustas fornecidas por Antonio Palocci.

      Dever-se-ia escrever um artigo sobre a obrigatoriedade da justiça em cassar o Partido dos Trambiques imediatamente !!!

  1. O Governo Bolsonaro é fato consumado e no último 15/10, segunda-feira, o Presidente Michel Temer publicou decreto criando a Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil >>> https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/637601367/decreto-9527-18

    Portanto, são fatos e não opiniões, que a repressão vai crescer de forma vigorosa no Brasil, atingindo principalmente os movimentos sociais, praticamente todos ligados ao PT ou organizações de esquerda.

    Quais serão as consequências para a população, cuja maioria esmagadora não tem filiação partidária nem é ativista político e não tem qualquer relação com movimentos sociais?

    Essa é a questão preocupante, pois todos podem ser vítimas da violência e da repressão que deixam sequelas para a vida inteira.

    • Pois é. Veja a que ponto nós chegamos. Em nenhum momento o cara nega que matou, apenas nega que tenha sido por discussão política. Esse país precisa de mundanas. Ninguém está querendo saber se ele matou ou não, o interesse é somente se o cara matou por causa do presidenciável. A princípio a sua versão da história nem interessa. O que vimos na mídia até ontem, foi a vítima sendo morta por defender seu voto no PT. Alguma coisa sobre os Boletins de Ocorrência nas delegacias, as filmagens nas Zonas Eleitorais, a ameaça dos caminhoneiros em parar novamente o Brasil caso as fraudes elejam Haddad? Esse país está estranho, não o reconheço mais.

  2. Enquanto isso, sobre o atentado a Bolsonaro, a nossa mídia tenta livrar a cara do criminoso divulgando incessantemente que ele é doente mental.

  3. O PT e seus parceiros da extrema esquerda praticam uma espécie de necrofilia política. Estão sempre apresentando um cadáver para impressionar o povo e obter ganhos políticos. Quando não conseguem um morto conveniente, inventam um.

  4. – Já o atentado político contra o líder no primeiro turno foi cometido por um lobo solitário, maluco religioso.
    Faltam poucos dias para a imprensa marrom e sua organização criminosa favorita chegarem ao fim.

  5. Parece que estão querendo regulamentar o assassinato. Não importa que seja eleitor do PT, do Bolsonaro, torcedor do Bahia, crente, judeu ou católico e seja lá o que for.

    É pelo assassinato que o autor tem que responder perante a Justiça.

  6. Gostaria de saber por que não apareceram deputados do PT ou PSOL e comitiva advogados dos dito Direitos Humanos para defender o pobre coitado oprimido pela sociedade. Igual aconteceu quando Adélio esfaqueou Bolsonaro em Juiz de Fora.

  7. Um trecho da fala de Cid Gomes (irmão do Ciro) falou sobre o PT e que já se vê há décadas, refere-se ao fato de que petistas teriam de fazer um mea-culpa e de que não reconhecem os seus erros.

    Isso vem sendo observado há décadas, particularmente desde o mensalão em 2005.

    A sociedade em geral passou a identificar o petismo com a mentira. Eles só falam aquilo que interessa a eles e nunca reconhecem algo que fazem de errado nem punem os autores desses erros que pertencem ao partido.

    Como Bolsonaro tem 70% da preferência em vários Estados importantes e no DF? São todos de extrema-direita e fascistas?

    O que realmente as pessoas não querem é o PT de volta ao poder.

    É isso que que Cid Gomes, bem como outros articulistas, inclusive desta Tribuna, dizem quando falam que estão perdendo a eleição sem entender como estão perdendo e por isso merecem perder.

  8. Pelo amor de Deus, um tapa já nocautearia o pobre velhinho, e já seria imperdoável. Pelo amor de Deus, gente, essa coisa de brigar por políticos já foi longe demais, não valem nem sequer o caviar que comem à custas do sangue, suor, lágrimas e vidas da população. Pô, da licença, né, 12 facadas é ódio demais na cabeça e no coração. O pior são dois irmãos afrodescendentes, da mesma comunidade . Pelo amor de Deus, onde vai parar isso ? O ódio bolsonariano contra petistas, esquerdistas e progressistas em geral, como se vê em comentários acima, está sim plantado na mente de grande parte da população menos favorecida tb, barbeiros, pedreiros…, enfim desse pessoal mais simples que na verdade são pessoas de bem, pacatas, mas que o ódio plantado em suas cabeças estão transformando-os em monstros, como se vê no caso em debate. Dia desses presenciei discussão entre dois pedreiros, que estavam trabalhando junto comigo, um de direita e outro de esquerda sem saber sequer o que é isso, os quais tb já estavam quase chegando às vias de fato, quando os apartei, posto que meus conhecidos de longa data e que muito me respeitam, dizendo-lhes, vocês estão parecendo dois tontos, dois irmãos, brigando por dois chicotes de um mesmo patrão, um na mão esquerda e o outro na mão direita, querendo escolher na marra com qual deles vocês preferem apanhar durante quatro anos seguidos, ou mais. Truncada a encrenca, os dois me olharam assustados, e me perguntaram mas de que lado o senhor é então, Seo Lauro ? De lado nenhum, cansei dos mesmos, já deixei de ser bobo de pilantras há muito tempo. Há mais de 20 anos a minha luta é para acabar com essa briga inútil e nefasta entre irmão, para acabar com o $istema político podre, para que a luta política por cargos públicos fique restrita aos próprios interessados, à moda Corrida de São Silvestre, todos podem participar mas apenas os mais qualificados irão vencê-la, pelos seus próprios méritos. Mas pode ser assim, Seo Lauro ? É claro que pode, só depende de nós, basta a maioria da população querer, e terá que ser assim, pelo amor ou pela dor. E qual é o nome disso, Seo Lauro, me perguntaram eles, aos quais respondi: Democracia Direta com Meritocracia. E ambos concluíram o seguinte: assim fica bom pra todos Seo Lauro, por isso sim vale a pena nos lutarmos, e não por porcarias como o sistema podre que não leva a nada senão ao mesmo e velho lugar de sempre. É isso ai, bons Garotos, inteligentes, agora vamos tomar juntos três geladinhas, e os tontos que briguem entre eles, pelo chicote, de direita ou de esquerda, com o qual desejam apanhar durante 4 anos ou mais.

  9. Exuberante editorial do Estadão de hoje.
    Penso, salvo melhor juízo, ser leitura obrigatória a todos os brasileiros.
    “O impeachment da presidente Dilma Rousseff será visto como o ponto final de um período iniciado com a chegada ao poder de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, em que a consciência crítica da Nação ficou anestesiada. A partir de agora, será preciso entender como foi possível que tantos tenham se deixado enganar por um político que jamais se preocupou senão consigo mesmo, com sua imagem e com seu projeto de poder; por um demagogo que explorou de forma inescrupulosa a imensa pobreza nacional para se colocar moralmente acima das instituições republicanas; por um líder cuja aversão à democracia implodiu seu próprio partido, transformando-o em sinônimo de corrupção e de inépcia. De alguém, enfim, cuja arrogância chegou a ponto de humilhar os brasileiros honestos, elegendo o que ele mesmo chamava de “postes” – nulidades políticas e administrativas que ele alçava aos mais altos cargos eletivos apenas para demonstrar o tamanho, e a estupidez, de seu carisma.
    Muito antes de Dilma ser apeada da Presidência já estava claro o mal que o lulopetismo causou ao País. Com exceção dos que ou perderam a capacidade de pensar ou tinham alguma boquinha estatal, os cidadãos reservaram ao PT e a Lula o mais profundo desprezo e indignação. Mas o fato é que a maioria dos brasileiros passou uma década a acreditar nas lorotas que o ex-metalúrgico contou para os eleitores daqui. Fomos acompanhados por incautos no exterior.
    Raros foram os que se deram conta de seus planos para sequestrar a democracia e desmoralizar o debate político, bem ao estilo do gangsterismo sindical que ele tão bem representa. Lula construiu meticulosamente a fraude segundo a qual seu partido tinha vindo à luz para moralizar os costumes políticos e liderar uma revolução social contra a miséria no País.
    Quando o ex-retirante nordestino chegou ao poder, criou-se uma atmosfera de otimismo no País. Lá estava um autêntico representante da classe trabalhadora, um político capaz de falar e entender a linguagem popular e, portanto, de interpretar as verdadeiras aspirações da gente simples. Lula alimentava a fábula de que era a encarnação do próprio povo, e sua vontade seria a vontade das massas.
    O mundo estendeu um tapete vermelho para Lula. Era o homem que garantia ter encontrado a fórmula mágica para acabar com a fome no Brasil e, por que não?, no mundo: bastava, como ele mesmo dizia, ter “vontade política”. Simples assim. Nem o fracasso de seu programa Fome Zero nem as óbvias limitações do Bolsa Família arranharam o mito. Em cada viagem ao exterior, o chefão petista foi recebido como grande líder do mundo emergente, mesmo que seus grandiosos projetos fossem apenas expressão de megalomania, mesmo que os sintomas da corrupção endêmica de seu governo já estivessem suficientemente claros, mesmo diante da retórica debochada que menosprezava qualquer manifestação de oposição. Embalados pela onda de simpatia internacional, seus acólitos chegaram a lançar seu nome para o Nobel da Paz e para a Secretaria-Geral da ONU.
    Nunca antes na história deste país um charlatão foi tão longe. Quando tinha influência real e podia liderar a tão desejada mudança de paradigma na política e na administração pública, preferiu os truques populistas. Enquanto isso, seus comparsas tentavam reduzir o Congresso a um mero puxadinho do gabinete presidencial, por meio da cooptação de parlamentares, convidados a participar do assalto aos cofres de estatais. A intenção era óbvia: deixar o caminho livre para a perpetuação do PT no poder.
    O processo de destruição da democracia foi interrompido por um erro de Lula: julgando-se um kingmaker, escolheu a desconhecida Dilma Rousseff para suceder-lhe na Presidência e esquentar o lugar para sua volta triunfal quatro anos depois. Pois Dilma não apenas contrariou seu criador, ao insistir em concorrer à reeleição, como o enterrou de vez, ao provar-se a maior incompetente que já passou pelo Palácio do Planalto.
    Assim, embora a história já tenha reservado a Dilma um lugar de destaque por ser a responsável pela mais profunda crise econômica que este país já enfrentou, será justo lembrar dela no futuro porque, com seu fracasso retumbante, ajudou a desmascarar Lula e o PT. Eis seu grande legado, pelo qual todo brasileiro de bem será eternamente grato.”

  10. São dois ignorantes; o que matou e o que morreu. Enquanto um está preso e o outro debaixo de sete palmos de terra, os candidatos pelos quais eles brigaram estão aí vivendo tranquilamente !

  11. “Nunca antes na história deste país um charlatão foi tão longe.” Melhor segurarem esse potro, por ora. Retirante por retirante, bota mais água no feijão porque a minha impressão é que está chegando mais um, desta feita oriundo do famigerado “Ramal da Fome” de SP, ou “Vale da Fome”, ou Vale do Ribeira, e só “Deus acima de tudo e de todos”, sabe o que vem por aí.

  12. Digite no Google “Bandido camisa do Flamengo” e os senhores encontrarão milhares de respostas.

    -E então? Devemos responsabilizar o Presidente do Clube pelos crimes cometidos por algum torcedor desequilibrado?

    • Não confunda cabo de caçarolinha com espingarda de caçar rolinha, como se dizia antigamente. Uma coisa é rivalidade desportiva, outra coisa é ódio político plantado contra irmãos com segundas intenções e finalidades abomináveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *