Bispos não aceitam que o governo participe do Sínodo sobre a Amazônia

D. Erwin Kräutler

D. Erwin Kräutler, do Xingu, estranha o interesse do Planalto 

Felipe Frazão e José Maria Mayrink
Estadão

O grupo de bispos brasileiros que prepara o Sínodo sobre Amazônia, previsto para ocorrer em outubro, em Roma, critica a presença de representantes do governo federal no evento. O cardeal e arcebispo emérito de São Paulo, d. Cláudio Hummes, um dos mais próximos do papa Francisco, foi indicado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para levar ao Vaticano o pedido do Planalto para participar do encontro, mas ele sugeriu à equipe do presidente Jair Bolsonaro buscar outro interlocutor.

“Sugeri que o governo acionasse a Embaixada do Brasil na Santa Sé como contato, pois se trata de uma questão diplomática”, disse ele ao Estadão.

OLHAR O FUTURO – Presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB e prefeito emérito da Congregação para o Clero em Roma, Hummes afirmou que a Igreja Católica não pretende prejudicar Bolsonaro nem dar uma “resposta” a repressões sofridas nos tempos do regime militar. “Deve-se ter a preocupação de não olhar para o passado, mas para o futuro, pois não é a mesma coisa agora”, disse, referindo-se a setores da Igreja que temem a repetição da conturbada relação do clero com a ditadura militar.

Um dos principais nomes da Igreja Católica em atividade na região Norte, o bispo emérito do Xingu (PA), d. Erwin Kräutler, reagiu com estranheza ao interesse do Planalto em influenciar o encontro religioso para tratar de temas como meio ambiente e índios. “Nós conhecemos a Amazônia muito melhor do que qualquer integrante do governo federal”, afirmou. “Como vão contribuir quando falarmos da situação da floresta, que vivemos há tantos anos?”, questionou.

REUNIÃO DE BISPOS – Aos 79 anos, sendo 54 no Pará, d. Erwin disse que é incomum a participação de autoridades políticas nesses encontros globais promovidos pelo Vaticano. “Não, meu irmão. É um Sínodo de bispos!”, disse à reportagem. “Nunca vi membro de governo de qualquer país convidado”, acrescentou. “O que um representante do governo vai dizer quando estivermos tratando de novos caminhos da evangelização?”

Erwin foi um dos autores da Encíclica do Meio Ambiente, documento assinado pelo papa Francisco em 2015, que serviu de base para a decisão da Igreja em realizar o Sínodo. Ele afirmou que os representantes dos governos dos outros oito países da Amazônia – Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e França (Guiana Francesa) – também deveriam ser convidados. “Se convidar alguém do Brasil, o papa terá de chamar também pessoas de outros países. Isso me parece até um absurdo.”

DIREITOS NEGADOS – Outro envolvido nos preparativos do Sínodo, o presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), d. Roque Paloschi, disse que o encontro focará uma “realidade” de “direitos negados” a índios, ribeirinhos, quilombolas e extrativistas. “Não estamos jogando culpa em ninguém, estamos assumindo uma responsabilidade histórica que exige de nós clareza”, afirmou. “A Igreja tem de ficar do lado de quem? Ao lado de quem promove a morte ou de quem busca a vida?”, questionou.

Roque discorda da visão do Planalto de que os religiosos agem por simpatia à esquerda e antipatia a Bolsonaro. “A missão da Igreja é viver o Evangelho”, afirmou. “Não temos nada a esconder. Mas também não temos de nos encolher porque há uma preocupação do governo.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O fato concreto é que os governos do PT abandonaram a Amazônia, e as bases militares que existem lá passaram (e passam) dificuldades para atender à população e aos indígenas. Agora, quando o Sínodo vai fazer um balanço, o petardo vai estourar no colo de Bolsonaro, igual à bomba do Riocentro, depois da anistia. (C.N.)

19 thoughts on “Bispos não aceitam que o governo participe do Sínodo sobre a Amazônia

  1. Como Cristão Católico e Formação Teológica me dá uma tristeza imensa que o Papa Francisco até esta data não veio ao encontro do Povo Venezuelano que sofre com a Ditadura Bolivariana de Maduro milhares de Crimes contra a Humanidade. Por isso não comungo daqueles que acham ele um santo. Um Santo jamais estaria distante do Ser Humano e Filhos de Deus, jamais se omitiria de vir em socorro dos que sofrem perseguições e fome, miséria e destruição de Famílias inteiras que fogem para países vizinhos tentando sobreviver ao Holocausto do Século XXI perpetrado pelos Bolivarianos da Venezuela, sob apoio e financiamento dos Bolivarianos Brasileiros que tentaram destruir o Brasil com o Lulopetralhismo !!! Que o Papa Francisco assuma que ele é o Representante de Cristo e nunca de ideologias, grupos políticos e Partidos que negam Cristo, que negam Deus e que atacam o Catolicismo ferozmente, o Verdadeiro Catolicismo Cristão e Livre de Ideologias que negam e atacam Nosso Senhor Jesus Cristo !!!! Que Nossa Senhora de Guadalupe Padroeira da América Latina Abençoe a Venezuela e seu Povo nesses momentos tão difíceis de sua História, e, Abençoe toda América Latina, para que nos Libertemos da Teologia de Libertação e do Comunismo destruidor de Vidas Humanas !!!!

    • Tenho enorme admiração por este Papa, mas sou muito decepcionado com a Igreja em si. A meu ver, as igrejas usam Cristo, ao invés de representá-lo por aqui. O erro é esse.

      Abs.

      CN

  2. A igreja catolica e o pt tem enormes semelhanças quando se trata de autocrítica. Autocrítica pra quê, se somos praticamente perfeitos? E se não somos tão perfeitos assim – observe, estamos na busca! – nosso passado é composto por pecadilhos veniais, todos esquecidos.

    Os outros é que não querem entender.

  3. Que “evangelho” prega, ou já pregou esse sistema religioso? Pisoteiam o sangue derramado por Jesus durante quase dois mil e tantos anos. Negam a tudo que foi ensinado pelo ‘ressuscitado” ao grande apóstolo Paulo. Nunca foram cristãos. Falam em pecados, quando tudo isso já deixou de existir a dois mil anos. Só resta mesmo envolverem-se em politicagem pelo mundo a fora para manter um império cheio de corrupção .

  4. O país fedífrago e que incita a corrida armamentista no mundo, que se diz “cristão renovado”, são os Estados Unidos.
    Raciocine: uma nação que se autoproclama peace maker, promotora da paz, a cada dia desenvolve armas mais mortíferas, paradoxalmente, exige que as outras nações se desarmem. -Se eu me armo mais e mais, e quero ver os outros desarmados: qual é a minha intenção?
    Ora, se as nações mais fracas percebem que o poder é constituído por mortais, e que por isso mesmo, quem dispõe de maior poder bélico submete os demais povos desguarnecidos. Então, para se fazer respeitar e partilhar das coisas da terra, qual será a atitude de quem se sujeita por que está desarmado? Não é se armar também?
    Por que só a “unção de Jesus” sobre os estadunidenses, não é a força bastante para convertê-los em proliferadores da paz?

  5. Acho que não é bem assim, vejam o que o http://www.vaticannews.va diz sobre o sinodo:
    O anúncio do Evangelho de Jesus na Amazônia é apresentado a partir das dimensões bíblico-teológica, social, ecológica, sacramental e eclesial-missionária. “Hoje o grito da Amazônia ao Criador é semelhante ao grito do povo de Deus no Egito (cf. Ex 3,7). É um grito de escravidão e abandono, que clama pela liberdade e o cuidado de Deus. É um grito que anseia pela presença de Deus, especialmente quando os povos amazônicos, por defender suas terras, são criminalizados por parte das autoridades; ou quando são testemunhas da destruição do bosque tropical, que constitui seu habitat milenar; ou, ainda, quando as águas de seus rios se enchem de espécies mortas no lugar de estarem plenas de vida”, afirma o texto de preparação.
    https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2019-02/sinodo-amazonia-igreja-dom-leonardo-steiner.html#play
    Aproveitem e vejam o novo logo do Vaticano para a visita do Papa em Marrocos:
    https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2019-02/papa-francisco-marrocos-programa-viagem.html

    • Então que a igreja desça do seu pedestal de ouro e venha trabalhar na amazônia. Porque o sínodo não é aqui e sim, lá no conforto? A igreja continua explorando os pobres pois deles sobrevive.

  6. KKK até parece coisa de ansioso, o Sínodo só vai acontecer em outubro e já tem gente esquentando a cabeça, será que só tem isto para se preocupar? A pretensão de gente do Governo de participar do Sínodo é um absurdo, não vivem apregoando que o Estado é laico? Agora quer se meter em decisões da Igreja, só faltava esta mesmo. Total falta de respeito com a Igreja

  7. Os bispos da igreja marxtólica, aqueles que esqueceram a Bíblia e adotaram Marx, sabem que a mamata das ong’s ‘missioneiras’ comunas vai acabar. Com esse Sínodo, tentam pressionar o novo governo para continuar financiando a plantação de cacau. O governo pode começar proibindo o embarque dessa gente em seus aviões, barcos e automóveis.

  8. “Extra
    Resta uma ilusão
    Extra
    Abra-se cadabra-se a prisão!

    Baixa
    Cristo ou oxalá
    Baixa
    Santo ou orixá
    Rocha
    Chuva, laser, gás
    Bicho
    Planta, tanto faz
    Brecha
    Faça-se abrir
    Deixa
    Nossa dor fugir
    Extra
    Entra por favor
    Extra
    Entra por favor ….”

    … só na musiquinha!, agora vai….
    Chamar governo de fascista tá censurado???

    Brasil e Italia, florzinhas do auge do capitalismo livre e honesto, ráá!….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *