Bolívar e Martí eram libertadores e não aprisionadores de seus povos

Resultado de imagem para MARTI E BOLIVAR

Bolívar e Martí, tiveram suas imagens usurpadas

Percival Puggina

Durante quase 30 anos, período em que algumas emissoras de rádio e TV mantiveram, aqui em Porto Alegre, programas de debates do tipo dois para lá, dois para cá, me contrapus incontáveis vezes com entusiasmados defensores dos regimes cubano e, mais recentemente, venezuelano.

A cada degrau descido por esses países na escada da perdição, era inevitável subir os morros onde se situam as emissoras para participar de rodadas de debate com o singelo encargo de afirmar o óbvio ante o contorcionismo retórico posto em prática por antagonistas cujo único intuito era o de dissimular o que todos viam. Cuba, diziam, era a coisa mais parecida com o paraíso terrestre, sob um regime que encarnava a beleza dos versos de José Martí tanto quanto o “socialismo bolivariano” evocava o eminente papel histórico de Simón Bolívar.

MISTIFICAÇÃO – Aí já começavam a incongruência e a mistificação. Nenhum dos dois –Martí e Bolívar – se respeitados fossem, se consultados pudessem ser, aceitaria qualquer associação com os tiranos que se apossaram de suas imagens. Ambos eram libertadores e não aprisionadores de seus povos. Ambos lutaram contra o inimigo estrangeiro e não contra seus próprios conterrâneos. Mas tudo servia e serve para quem assume a fraudulenta tarefa de vender submissão como sendo autonomia, miséria como sendo abundância, perda de direitos como liberdade, atraso como progresso.

Aconteça o que acontecer por lá jamais se ouvirá dos incongruentes qualquer palavra que não seja de justificação e exaltação. Os argumentos são comuns aos dois regimes. Contra os fatos, a versão; contra a história, a narrativa; e, sobretudo, a culpa dos Estados Unidos.

ANTIAMERICANOS – Nessa fraudulenta perspectiva, qualquer país do mundo que mantenha relações comerciais e diplomáticas amistosas com os Estados Unidos empobrecerá por causa dessas relações e qualquer país sobre o qual pesem embargos comerciais norte-americanos, será pobre por causa disso. Apanha pelo sim e apanha pelo não. A coerência que se dane. A história, porém, ensina a quem a estuda: no comunismo, quando o capitalismo joga a toalha, a vida vira uma droga (para usar termo brando).

Se alguém tinha dúvida sobre o tipo de estrago que o chavismo, o socialismo, o bolivarianismo, o comunismo, o castrismo – o que seja, dessa gororoba ideológica – podem fazer num país, creio que a vida dos venezuelanos, sua acelerada degradação social, política e econômica, ajudam a dissipar.

A tirania, agora, proíbe a oposição de participar da eleição presidencial venezuelana. Ausentes os partidos oposicionistas, as chances de uma vitória do governo são, digamos, bem razoáveis. Mas até para isso há fã clube no Brasil. E querendo voltar ao poder.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGMuito importante essa tese do Percival Puggina. Concordo plenamente. E tenho a impressão de que aconteceu a mesma coisa com Marx e Engels. (C.N.)

23 thoughts on “Bolívar e Martí eram libertadores e não aprisionadores de seus povos

  1. “A HISTÓRIA: manufatura de ideais…, frenesi de hordas e solitários…,mitologia lunática…, recusa de aceitar a realidade tal qual é, sede mortal de ficções”.CIORAM

  2. É só ver a vida que teve Marx e analisar a prática de sua herança. Não deixou nada. Família destroçada por um vagabundo com ares de intelectual. Idem para Gramschi. Nem mussolini o engoliu. Agora esses petistas vem vender esse peixe que Zé dirceu tanto defende?! Imbecis. Cegos. Dirceu está milionário!

  3. Perfeito Dr. Percival, ora, se Lula, Dilma Hadad e todos os Petralhas , Comunopetralhas, Sociopetralhas, Corruptospetralhas, unidos, apoiam Chavez, Maduro , Stalin, Fidel, Che e outros bandidos do gênero , depois das imagens de Maduro hoje, perante o mundo, no estrangeiro, cuspindo na cara do povo venezuelano que passa fome e miséria por culpa do pensamento, idéias e ações desses pulhas , terão a cara de pau de pedir aos brasileiros que votem neles para que o Brasil vire essa “Venezuela Sonhada do PT” ???? Será que é esse Regime de Maduro que os “togados aculturados cara de pau” sonham e querem para o Brasil soltando todos os dias ladrões do dinheiro público provados e comprovados e de sua estimação cariocas que destruíram o Rio de Janeiro e o Brasil inteiro, inclusive o “Capitão do Mato de Lula” que sutilmente toca terror no país participando ativamente da Campanha Petralha do Hadad, com 30 anos de prisão por Traição a Pátria e assaltos aos Cofres Públicos, para implantar essa “Ditadura Corrupta” no Brasil ????

    • TRAGÉDIA HUMANA ANUNCIADA
      Antes de Hugo Chaves e Maduro, impor o socialismo na Venezuela, este país era rico, as pessoas eram felizes e era um dos maiores exportadores de petróleo.
      Hoje o socialismo faliu este país, jogou seu povo numa pobreza miserável, com mais de 2 milhões de refugiados.
      Todos os lugares onde o socialismo ou comunismo foi tentado, ele produziu sofrimento, corrupção, declínio, opressão e alto nível de mortalidade.
      No mundo todos deveriam evitar o socialismo e comunismo.

  4. Dediquei um pouco do meu tempo a Max Planck. Agora Marx e Engels eu não conheço. São os anjos que comunicaram á Senhora que ela iria conceber do Espirito Santo? Pra mim eles não foram importante: me formei em carpinteiro e tenho minha meia-água (já paga!) em Bangu.

  5. Puggina leu a história e a estudou certamente, já que é uma pessoa culta. Mas, lamentavelmente nunca a interpretou e nem nunca a interpretará. É uma questão psicológica. Leu, ouviu, estudou, potencializou. Ficou como cego no escuro com uma adaga na mão,dando golpes no escuro. “Chaves espertamente usou o nome de Bolívar herói da América Espanhola para que despertando o sentimento de liberdade no povo venezuelano fosse eleito presidente”. Eleito presidente, olhou para seu povo pobre e miserável explorado por uma elite insensível, ambiciosa e servil, que desde 1912 ajudava os com seu petróleo os EEUU a ficarem mais ricos. Isso foi o bastante para que a oligarquia venezuelana comprometida com o capital internacional (EU) se voltasse contra ele. Chaves que no princípio tivera a simpatia interesseira dos EEUU passou a ser visto com desconfiança. “A gota d”água que transbordou do copo”. Foi quando Chaves pediu ao EEUU as peças de reposição que precisava para os aviões obsoletos que foram vendidos pelos próprios EEUU. Os americanos solenemente negaram. Chaves insistiu e nada. Chaves então comprou meia dúzia de caças SUKOI-29 a Russia. Os americanos jogaram Chaves no inferno. Aparece a elite ideologicamente analfabeta a criar neologismos: Bolivarianismo, Chavismo, Castrismo que nada significam. Nunca foram ideologias e nunca serão como o Socialismo, que é única e exclusivamente um “ideal humano”, só praticado pelas tribos primitivas. Vem a demonização: Obama mulato filho de negro e de uma americana declara para que o mundo todo ouça: A Venezuela é uma ameaça para os EEUU. E assim deixamos o cego com uma adaga na mão dando golpes no escuro querendo atingir Chaves e Fidel. Só não quer atingir O “Sargento Batista”. Esse não.

  6. A ignorância sobre Bolívar tanto quanto Martí é deliberada, tanto que Marx não dava importância à Simon Bolívar, mas isto pouco professores de História conhecem e nem se dão ao trabalho de conhecer. Bem diz o Villa, que o desconhecimento da História nos faz repetir as mesmas mancadas de ontem.

  7. Vitor Marins foi cirúrgico trazendo o exemplo de Cristo e das atrocidades cometidas por autoproclamados cristãos em seu nome.

    Aliás, na Bíblia você encontra justificativa pra tudo, até pra matar e roubar, se quiser. Basta fazer uma leitura literal, descontextualizada, dos seus textos. Isso é o que se chama de “fundamentalismo”.

    E vale também para Marx e Engels, como lembra bem Carlos Newton. Tem gente que mal deu uma passada de olhos sobre o Manifesto Comunista, que é apenas um panfleto escrito na juventude, numa determinada conjuntura, e tem que ser compreendido dentro desse contexto histórico.

    Não havia partido do tipo que conhecemos hoje, faziam parte de um grupo embrionário, chamado Liga dos Justos. Discordavam do nome e aprovaram proposta de mudança para Liga Comunista, fundamentando com o documento.

    Esse texto não teve grande repercussão, e muito pouca influência nos acontecimentos na época, de grande ebulição política, quando as Revoluções de 1848, ou Primavera dos Povos, se alastraram abalando as monarquias europeias.

    Em mais uma das suas deturpações, os partidos comunistas se apropriaram do Manifesto, acrescentando “do partido” ao título, Manifesto do Partido Comunista, quando nunca passou pela cabeça dos seus autores a criação de um partido comunista.

  8. P. S. – Cito o Manifesto, que visto em seu contexto tem a sua importância, além de ser muito bem escrito, apenas como exemplo. A obra de Marx é muito mais grandiosa, complexa e importante para o pensamento moderno e humanista.

    Mas infelizmente atacado por ignorantes que não conhecem dele uma linha sequer.

  9. P. S.2 – Hoje todo mundo se refere ao Manifesto como Manifesto do Partido Comunista, até intelectuais “respeitáveis”, que deveriam se pautar pelo rigor histórico. É pra ver a força que tem uma mentira repetida mil vezes, como disse Goebbels, e é o princípio básico da publicidade.

  10. P. S.3 – Quando digo “um partido comunista” me refiro nos moldes que conhecemos hoje, muito menos um partido do tipo leninista, e muito menos ainda uma sociedade de partido único.

  11. É um pouco simplista dizer que os líderes da independência hispano-americana lutaram apenas contra estrangeiros. Em toda a América Latina existiam elementos nativos favoráveis à Espanha.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Spanish_American_wars_of_independence#Royalists

    Pelo que lembro dos tempos de escola, Lima era o principal reduto pró-espanhol na América do Sul.
    Mesmo nas colônias anglo-americanas que vieram a se tornar os Estados Unidos, houve grupos nativos que lutaram em nome da monarquia inglesa, como foi reconhecido naquele filme de resto bastante desonesto do Mel Gibson, “O Patriota”.

  12. Comunistas, além de terem sérios problemas de caráter, são contraditórios.

    Nem Cuba, ou qualquer país similar libertou seu povo.

    Pelo
    Contrário, escravizou-os.

    Elogiam a saúde de Cuba, que exporta médicos para não ficarem ociosos diante da falta de doentes em sua pátria;
    A educação de Cuba e a melhor do mundo, até as putas tem curso superior;

    A segurança de Cuba, em cujas prisões só ha divergentes políticos.

    Só que nestes países não existe o direito de liberdade, nem o de propriedade, que deriva, descende, diretamente do direito à liberdade.

    Sem cidadania não existe povo.
    Sem povo não existe país.
    Cuba não é um pais.
    E nunca será enquanto seus habitantes forem gado em uma fazenda.

    Direito à vida e á propriedade, é tudo o que precisamos.
    Mais importante que saúde, educação e segurança.
    Cuba tem saúde, educação e segurança, mas é uma merda. Ninguém quer viver lá.
    Deem aos cubanos liberdade e propriedade, é veremos mais um grande país nascer.

    É isso que o Brasil precisa: liberdade e propriedade

  13. “Comunismo é o estágio superior do socilismo’. No ano 5000 poderá surgir acanhadamente. Eu estarei vivo para ver. Sem uma interpretação lógica ninguém entende a história. Nem o seu passado, nem seu presente e nem seu futuro. Olhar a história com olhos estrábicos é o que mais se vê. “São os eternos policiais da história.” Querem bater, desmoralizar, desqualificar. Os que construiram a história ficarão eternamente reconhecidos. E os que distorcerm seus feitos onde ficarão? Só pode ser no L da H.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *