Bolsonaro diz que acredita cada vez mais “na palavra e no trabalho” de Paulo Guedes

“Economia brasileira tem se recuperado em `V´”, disse Bolsonaro

Ingrid Soares
Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta sexta-feira, dia 16, que “cada vez mais, acredita na palavra e no trabalho de Paulo Guedes”. A declaração ocorreu durante a inauguração de uma planta de biogás de uma usina da Raízen, em Guariba, São Paulo.

Segundo o chefe do Executivo, a economia brasileira tem se recuperado em “V”, como Guedes costuma dizer. “O Brasil, na parte econômica é um daqueles que melhor tem saído dando uma resposta a essa pandemia. A nossa economia tem reagido muito bem, cada vez mais eu acredito na palavra, no trabalho do Paulo Guedes e sua equipe de modo que estamos saindo sim, em V dessa crise. Se Deus quiser, em pouco tempo voltaremos a normalidade e cada vez mais o Brasil despontará para o mundo como um país que realmente tem um grande futuro”, apontou.

“BENQUISTO NO CAMPO” – O mandatário disse ainda que é benquisto no setor da agroindústria e que o Ministério do Meio Ambiente nada fará para atrapalhar o setor. “Quando falam que eu sou benquisto pelo pessoal do campo, o pessoal do agronegócio. O nosso ministério, o do Meio ambiente é um ministério que não atrapalha a vida de vocês, muito pelo contrário, ajuda-os e muito”.

Para reforçar que o governo se aliou ao setor agrícola, Bolsonaro pediu que os presentes relembrassem como o Icmbio e o Ibama os tratou “até pouco tempo atrás”. “Relembrem como há pouco tempo o Icmbio e o Ibama tratavam vocês e como esse tratamento hoje em dia é dispensado. Nós não criamos dificuldades para vender facilidade”, disse.

PROJETOS DE EXPLORAÇÃO – O presidente também relembrou que o presidente da França, Emmanuel Macron, pediu que houvesse a ampliação de 12% para 20% da quantidade de áreas demarcadas como terras indígenas no país. Bolsonaro deixou claro que nenhuma área foi demarcada e que há projetos para exploração de terreno indígena, caso assim eles queiram.

“Eu lembro quando passei em Osaka (Japão) e tive um encontro com o presidente de um grande país da Europa que quase sempre está na vanguarda para nos criticar, ele queria que nós ampliássemos de 12% para 20% a quantidade de áreas demarcadas como terras indígenas em meu país. Nenhuma reserva foi demarcada até o momento e cada vez mais nós lutamos, como tem o projeto do Almirante Bento, de MME, para que o índio possa se essa for a sua vontade, explorar seu território da melhor maneira que seja-lhe útil.”

Bolsonaro emendou dizendo que “acabou o tempo em que um chefe de Estado ia para fora e voltava para cá com um pacote de maldades, onde quem pagava a conta, era geralmente o homem do campo”.

9 thoughts on “Bolsonaro diz que acredita cada vez mais “na palavra e no trabalho” de Paulo Guedes

  1. O meu problema agora é que o PR que teve meu voto perdeu a minha confiança.
    Para mim ele não passa de um defensor de si e de seu clã de futuros dissabores com a justiça; mesmo que para isto tivesse que destruir os projetos anticrimes contra corruptos/hediondos.
    PS1: Para os defensores que mostram o fato da PF e o MP estarem em plena atividade vai a pergunta?!!!
    Com a legislação atual (aprovada pelo PR) quando um destes presos irá para trás das grades REALMENTE?!!!
    PS2: Mas, vamos nos contentar com o fato de pelo menos, atualmente, com as prisões dos corruptos/hediondos, vem a desmoralização e a “bofetada” em seus orgulho.

  2. O Governo DILMA ROUSSEFF (72) ( 2011 – 2016)
    não conseguiu estabilizar a Economia Brasileira que descambou para uma Recessão (- 8,5% do PIB ) entre 2014 e 2015, com o DESEMPREGO que vem atrás, com viés de piora, e sofreu Impeachment.

    O Governo TEMER/MEIRELLES, ( 2016 – 2018) fez uma excelente Obra de Recuperação através do apoio do Congresso e aprovou Reforma Trabalhista, da Previdência, etc, mas sobretudo fixou a Linha Geral de Longo Prazo da estabilização das Despesas do Governo Federal através da estratégica LEI DO TETO DE GASTOS ( 20 anos de manter as Despesas do Gov. Federal no mesmo nível corrigida da Inflação pelo IPC-A IBGE) visando diminuir o Custo do ESTADO em relação ao PIB (Produto Interno Bruto) que tinha atingido em 2016, +-36% de Carga Tributária ainda com Deficit Fiscal Nominal ( o que leva em consideração o Custo do alto Endividamento Público) de outros quase 10% do PIB.
    Também instituiu a “LEI DE OURO” que proíbe a emissão de Dívida Pública para financiar Despesas Correntes do Governo.

    O Governo BOLSONARO/MOURÃO com o Min. Fazenda PAULO GUEDES (72) seguem as mesmas boas Diretrizes do Gov. TEMER/MEIRELLES, com ênfase em Reduzir o inchaço do ESTADO, e no primeiro ano conseguiu Reformas e crescimento 1,3% do PIB (2019) com viés de alta.
    Em 2020 se abateu sobre o Mundo (Brasil incluso) a Pandemia Covid-19 com paralização de muitas atividades, Turismo, Hotéis, Aviação Comercial, Restauantes, Shoppings, Futebol, etc, e redução de muitas outras Indústrias, causando grande Recessão (- 7% do PIB em 2020) com consequente DESEMPREGO, exigindo Aumento de Despesas Pública (grande transferência de Renda para os mais Carentes) dentro das sábias Diretrizes do Min. MEIRELLES, ( Primeiro “emitir” para salvar VIDAS, depois salvar a maior parte do Parque Produtivo Nacional) o que foi, e está sendo feito com competência pelo Min. PAULO GUEDES. O CONGRESSO mais uma vez aprovou o “Orçamento de Guerra ao Covid-19 que permitiu “emitir via BC o quanto fosse necessário na Emergência 2020 e talvez aprovar uma continuação moderada para 2021).

    Devemos como prega o grande Min. DELFIM NETTO (91) separar esses (+- R$ 600 Bi de 2020 e +- R$ 300 Bi de 2021) Despesas do Orçamento de Guerra Covid-19, e separadamente fazer um Financiamento de 30 Anos com essa Despesa, e manter da Disciplina Fiscal da “Lei do Teto” e “Lei de Ouro”,

    Agora, quase saindo da Recessão da Pandemia Covid-19, a vacina imunizadora estará aí no primeiro trimestre de 2021, qual é nosso maior problema: Seguramente a Miséria (+- 10% População), a Pobreza ( +- 30% População), o DESEMPREGO +- 14 Milhões, e milhões de Pequenos Negócios ( Micro e Pequenas Empesas) que necessitam “Renascer”.

    Dentro da maior Disciplina Fiscal POSSÍVEL devemos ativar a Economia dando a Todos os Brasileiros capacidade de ativar a DEMANDA. Uma das maneiras seria criar uma Isenção de Todos os Tributos por 2 Anos das Micro e Pequenas Empresas que fossem RECRIADAS, e as outras um Pagamento de um Imposto Fixo até o limite do Faturamento. Assim o Micro-Empresário que pagará no Ano um Imposto Fixo +- Leve, iria trabalhar ao máximo para “aproveitar” o Imposto Anual pago.

    A Transferência de Renda para os INVISÍVEIS (Bolsa Família) deve ser mantida, mas conforme Fonte de Financiamento não Inflacionária, e com carácter não Permanente.
    Tem toda Razão nosso ilustre Colega Sr. FRANCISCO BENDL quando diz que se deve exigir CONTRA-PARTIDA do Beneficiário, exigindo que suas Crianças sejam Vacinadas, tenham Aula, Cursos de Aperfeiçoamento de Trabalho, etc, etc.

    Acho que o pior já está passando, a Usina Siderúrgica Nacional já religou o Alto-Forno 2 e outros seguem por esse bom caminho, e temos dois poderosos MOTORES para recuperação:
    Juros Básicos NEGATIVOS que também puxam para baixo os ainda altos Juros Comerciais, e o Câmbio agora livre do atraso Inflacionário que deixava o REAL muito sobre-valorizado, o que incentiva muito a Exportação.

    Agora é fazer as outras Reformas no CONGRESSO para reduzir os Custos de Produção das Empresas e aumentar um pouco a Tributação da alta Renda. Diminuir um tanto a Tributação do CONSUMO e aumentar a Tributação da RENDA.

    O Brasil é um País muito viável, com seus 220 Milhões de Habitantes temos muita Gente de grande Capacidade em todos os Setores, e muito Espaço para crescer.
    Devagar vamos chegar lá.
    Esse Ano da Pandemia Covid-19, os Poupadores, maioria dos Empresários especialmente Pequenos, teremos PREJUÍZO, uns os mais sacrificados, mas a partir de 2021 haverá boa RECUPERAÇÃo e recuperaremos nossos Prejuízos atrasados, começando novo Ciclo.

    Mas não devemos descuidar da importante DISCIPLINA FISCAL que não deve ser RÍGIDA, mas deve ser uma Orientação de longo Prazo, cada vez mais precisa. Nesse ponto o Min. PAULO GUEDES tem toda razão. O Gov. BOLSONARO/MOURÃO faz muito bem em seguir isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *