Bolsonaro diz que “se não for muito complexo” consegue formar legenda “em menos de um mês”

Mesmo com liberação do TSE, Bolsonaro ainda ignora entraves

Gabriel Shinohara
O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, dia 4, que se a coleta de assinaturas digitais para a formação do partido Aliança pelo Brasil não for complexa, formaria a legenda em um mês. Na terça-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu liberar o uso de assinaturas digitais para a formação de partidos.

“Vou tomar conhecimento hoje como fica a tal da modulação né, se é muito complexo ou não essa coleta de assinatura digital pela biometria, tem que saber como funciona isso aí, se não for muito complexo, a gente forma um partido, acho que menos de um mês a gente colhe assinatura”, disse.

REGULAMENTAÇÃO – No entanto, para que possa ocorrer na prática, o Tribunal ainda precisa regulamentar a questão e aguardar o desenvolvimento de ferramentas que possibilitem a coleta. Apesar do presidente mencionar a coleta por biometria, o TSE não tratou dessa questão no julgamento, focando-se apenas em coletas de assinaturas eletrônicas .

Também na terça-feira, o relator do projeto da lei Orçamentária, deputado Domingos Neto (PSD-CE), propôs aumentar o Fundo Eleitoral de R$ 1,8 bilhão para R$ 3,8 bilhões . O presidente se recusou a entrar no assunto para ter atritos com o Congresso e afirmou que é o parlamento quem decide esse tipo de questão.

SEM CONFRONTO – “Não vou entrar nesse detalhe, porque você vai me colocar em confronto com o parlamento. Geralmente, essas questões políticas é o parlamento que decide, raramente é uma participação nossa, do poder executivo. Assim foi meus 28 anos lá dentro, sempre o Executivo ficou mais como um assistente nessas questões aí”, disse.

Bolsonaro relativizou a importância dos recursos em uma campanha eleitoral atualmente. Segundo ele, o dinheiro não vai fazer mais diferença, mas sim a confiança do eleitor.

TECNOLOGIA – “Acredito que hoje em dia com a tecnologia que nós temos, o dinheiro em si não vai fazer mais diferença. Cargo majoritário, o meu, é mais a confiança que o eleitor tem vendo sua imagem, olhando para você e analisando a sua vida pregressa. Eu já vi deputado gastar R$ 15 milhões numa campanha e não chegar”, disse.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
Com o ano terminando, Bolsonaro está cotadíssimo para o prêmio Piada do Ano desta Tribuna. A cada entrevista, uma anedota. Mais fácil ele ligar para o Trump e o americano atender do que coletar assinaturas em um mês e formar partido, livre, leve e solto. Deve imaginar que governa o País das Maravilhas de Alice e de Charles Lutwidge. (Marcelo Copelli)

11 thoughts on “Bolsonaro diz que “se não for muito complexo” consegue formar legenda “em menos de um mês”

  1. Ante ontem assisti na Band News um repórter visitando algumas prefeituras do interior. Indo de gabinete em gabinete e perguntando se o prefeito estava, a resposta era negativa.
    Ontem na Globo News um repórter foi à Assembléia Legislativa e de gabinete em gabinete perguntava pelo deputado, a resposta era: não estava.
    O repórter ainda descobriu que funcionários que ganhavam de 20 a 30 mil reais, não se encontrava na casa em dia de sessão. Descobriu uma funcionária que ganhava 23 mil reais, vivia nos EUA, mas recebia seu salário mensalmente.
    Se acabar com todas as prefeituras e criar um novo sistema de administração municipal para acabar com essa mamata, o Brasil fará uma economia enorme. Idem para as Assembleias Legislativas.

  2. Uma das táticas da guerra é fazer o inimigo perder a vontade de guerrear.
    Nem a facada tirou o homem do combate, muito menos o gargarejo dos Cavaleiros de Granada que em altas madrugadas saiam em louca disparada brandindo facas e espadas, para nada.
    Essa dos Cavaleiros de Granada peguei do bom jornalista, Carlos Chagas, em sua memória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *