Bolsonaro errou, ao não apoiar a tese desenvolvimentista do general Ferreira

Resultado de imagem para general oswaldo ferreira

Ferreira bateu de frente com Paulo Guedes e pediu o boné

Flávio José Bortolotto

No caso do general engenheiro Oswaldo Ferreira, que desistiu de participar do governo, deve ter havido foi uma disputa acerca da forma de financiar as obras importantíssimas do Ministério da Infraestrutura, especialmente muitas já iniciadas e paralisadas. O general Ferreira seria o futuro ministro. Tocador de obras, queria um financiamento como faz a China, via Letras de Crédito do Tesouro, mas o economista e banqueiro Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda, vetou, propondo financiamento que é mínimo, conforme o ortodoxo Orçamento Federal, que é a mixaria de cerca de 0,25% do PIB.

Nessa disputa ganhou a ortodoxia do futuro Ministério da Fazenda. O sistema de financiamento de sua infraestrutura e rearmamento nacional que a China usa, com Letras de Crédito do Tesouro Chinês, é uma forma heterodoxa geradora de uma dívida em moeda nacional, na qual o devedor é o Tesouro chinês, e o credor é o mesmo Tesouro chinês.

DÍVIDA NULA – Ora, uma dívida na qual o governo deve para ele mesmo, só existe na contabilidade porque na prática é nula. Desde que essa emissão de Letras de Crédito do Tesouro seja toda usada em obras que não exijam importações (nas quais seriam necessários US$ Dollares), que também é o caso Brasileiro, e desde que a quantidade de Letras de Crédito do Tesouro não desequilibrem demais a balança da oferta e demanda de bens em geral, o que geraria inflação quando não existisse mais capacidade ociosa na economia, o que não é o caso da China e muito menos do Brasil onde temos 30% a 40% de capacidade ociosa e desemprego/subemprego.

A nosso ver, o presidente Bolsonaro escolheu o caminho pior, especialmente nesta época de alto desemprego, ao seguir a ortodoxia financeira do Ministério da Fazenda, ao invés de optar pela boa ideia do general Oswaldo Ferreira, que seria muito mais produtiva para a economia nacional.

NOVO CHANCELER – Completamente exagerado o artigo da jornalista Eliane Oliveira em O Globo, dizendo que é “estarrecedora” a escolha do novo Chanceler, diplomata Ernesto Araûjo.

Ora, o novo Chanceler, em seus escritos, defende a tese de que a globalização reduz em muito a autonomia das nações, desindustrializa nivelando os salários para baixo, e só beneficia as gigantescas corporações, especialmente as financeiras, que são as maiores de todas, prejudicando o povo das nações industrializadas que se transformam em rust belts (cinturões de ferrugem), e principalmente países como o Brasil que necessitam progredir , amarrados que são por ONGs xiitas ecológicas que impedem o desenvolvimento socioeconômicos.

Isso não tem nada que ver com utilizar inteligentemente os recursos finitos da espaçonave Terra, evitar poluição, etc. Se cortarmos uma árvore e plantarmos dez, o meio ambiente ganha, mas os ecólogos xiitas das ONGs não entendem assim.

41 thoughts on “Bolsonaro errou, ao não apoiar a tese desenvolvimentista do general Ferreira

  1. Quem pode ser contra o ideal, afinal o ideal é ideal.
    Acontece que não estamos sozinhos e se aprisionar pelo ideal deu, dá e dará prejuízos como a história comprova, a países que com ele se contaminou.

    Enfim, o mundo tem centenas de países que concorrem entre si para que o capital, que se sabe não tem pátria, invista neles.
    O Paraguai mesmo está aí crescendo com muitas de nossas empresas se mudando para lá,etc,etc,etc……
    .É pegar ou largar, como se diz naquilo que movimenta o progresso: o mercado.

    Esse é o problema de um país cheio de fóbicos :
    Se a China quiser fazer uma super ferrovia aqui para explorá-la durante 50 anos , o que produziria um avanço considerável na nossa economia com milhões de empregos diretos e indiretos, logo aparecem eles, os fóbicos para impedir os nossos miseráveis, desempregados, de sair da miséria.

      • Prezado Sr. MARIO JR,
        Nada contra Investimentos Externos no Brasil, cientes porém de que eles nos levam até um certo patamar que é +- onde estamos. Para dar o “pulo do gato”, para nos tornar uma Economia Desenvolvida e portanto Capitalizada, onde é abundante o Capital e escassa a Mão de Obra, só com Empresas com Matriz no Brasil (Capital Nacional) porque são as únicas que criam Tecnologia Nacional e Capitalizam aqui dentro 100 Pc.
        Não existe “almoço grátis”, Nós temos que fazer o esforço de criar o nosso próprio Capital.
        Abrs.

    • Ele não é mesmo uma gracinha, como diria Hebe ? Quem fez de tudo para impedir o Trem Bala rasgando o Brasil de ponta a ponta, não deixando-o sequer sair do papel ? Cambada de sem-vergonha, bando de copia e cola. E como é que vamos fazer isso agora, com esse maluco puxa-saco e subserviente de Washington e inimigo de Pequim ?

  2. Fico abismado como não deixa de aparecer os apóstolos da intervenção do Estado. O que o articulista está falando é que dinheiro nasce igual a mato, tem que rir. Até parece que não vimos este filme recentemente com Cabral no Rio de Janeiro. O Estado se meteu a fazer do Rio um canteiro de obras com dinheiro público, deu no que deu. Que horror! Parabéns Paulo Guedes pela inteligência e por não cair no papo furado deste general que deve entender de obras e não entende M nenhuma de economia.

    • Prezado Sr. ANTONIO,

      A nosso ver, depois que os Países abandonaram o PADRÃO OURO, os Governos Federais que tem Banco Central, podem sim criar Dinheiro do Ar Fino, ou criar Dinheiro como mato como o senhor diz.
      Foi para isso que se abandonou o PADRÃO OURO, e é isso que os EUA, China, e outros poucas Nações Soberanas e SABIDAS, mais fazem.

        • Prezado Flávio obrigado pela resposta, mas ainda continuo a discordar cordialmente de sua posição, pois não concordo com dinheiro público em obras devido aos últimos acontecimentos no país. Abraços

          • Prezado Flávio não podemos comparar a situação do Brasil com os EUA principalmente por causa dos juros exigidos pelo mercado. Veja que apesar de nossa dívida ser maior em termos de PIB que a dívida americana, o mercado cobra caro devido a nossa insegurança jurídica. EUA e China pagavam juros negativos há pouco tempo. Abraços

  3. Então essa seria a razão pela qual o general Ferreira resolveu recolher-se ao seu mundo, o desenvolvimentismo? É o que Bortolotto afirma com todas as letras, “Bolsonaro errou, ao não apoiar a tese desenvolvimentista do general Ferreira.”

    Não se trata de afirmar que que Bolsonaro acertou. Bortolotto foi em cima: errou.

    E por que errou? Ora, porque não fez aquilo que em inúmeros artigos Bortolotto não cansa de afirmar: o que ‘salva’ esse país é o desenvolvimentismo. Este tem, claro, que vir com dinheiro do Estado, aquele que no regime militar, ou revolução, ou golpe, que seja, fez.

    Guedes fez muito bem.
    Bolsonaro acertou em cheio.
    E eu com todas as letras afirmo: General Ferreira, pelos seus relevantes serviços prestados, pela sua capacidade, seus profundos conhecimentos, sua relevância na área de infraestrutura, meus sinceros parabéns, tiro o chamou por você.

    Quanto a política, visão estadista, entendimento de que o futuro não está na linha de pensamento de sua competência, o senhor não apenas errou, mas equivocou-se e mais, se tivesse vencido, o senhora teria sido o algoz de um desastre econômico.

    O senhor de política é muito ruim. É uma pena.

    • Prezado Sr. EDUARDO,

      A nosso ver, o Governo Federal pode e deve usar o Crédito Soberano da Nação para financiar o Desenvolvimento Nacional, a começar pela sua Infra-Estrutura
      Desde que todo o Crédito criado pelo Banco Central alavancado pela expansão múltipla deste Crédito pelo Sistema Bancário na proporção normal de 5 : 1. seja usado dentro do País, sem Importações.
      Foi para isso que se abandonou o PADRÅO OURO.
      Abraços.

  4. NADA DE NOVO NO VELHO FRONT agora com 129 anos de mais dos me$mo$, direita, esquerda e centro, volver, exceto a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, que desfilou nas ruas do país em Junho de 2013, com a força das ideias e da utopia enquadrando a força das ideologias e das armas. Portanto, continuo ouvindo o eco do destino gritando desesperadamente nas ruas do país desde Junho de 2013:” Leão, Leão, Leão, Revolução, a Mega-Solução.” A verdade como Ela realmente é, como diria o saudoso Nelson Rodrigues. Hélio Fernandes, uma lenda ainda viva do jornalismo nacional, 98 anos de idade, matou a cobra, mostrou o pau e a cobra morta ao concluir que “a História do Brasil é inundada e conspurcada por golpes e mais golpes. O primeiro aconteceu em 1889, quando República foi dizimada por dois marechais cavalarianos, que mal podiam subir num cavalo.” O fato é que a republica que ai está, infelizmente, já nasceu 171, com dois tumores malignos a tiracolo que não a deixam fazer outra coisa na vida senão cuidar das suas doenças congênitas, tipo massa falida, tais sejam o golpismo ditatorial e o partidarismo eleitoral manivelados por seus tentáculos, velhaco$, e o resto que fique para as calendas gregas resolverem. E agora, cada vez mais nivelada por baixo, surge sob o teto da dita-cuja, em pleno século 21, terceiro milênio, mais impostor político temporal, bipolar ao que parece, um cruzamento de capitão com deputado carreirista do baixo clero, paraquedista, que, como tal, usando até o santo nome de Deus em vão, atirou-se de paraquedas não da ponte Rio-Niteroi ao mar, mas, isto sim, sobre as nossas cabeças, com o PT-PCdoB-PSOL-PDT dando-lhe o maior apoio servindo de escada do mesmo. E o pior de tudo, com os votos de 57 milhões de gente sem noção nenhuma do processo político histórico, ao que parece, dando conta de que a dita-cuja 171 não tem mais jeito mesmo, sob o teto da qual nem orar e rezar adianta mais, até porque quanto mais se reza e se ora mais assombrações 171 aparecem. E daí a gente chega à conclusão de que realmente chegou a hora de passarmos este país à limpo, via Revolução Redentora, da política, da nação e da população, tendo em vista a necessária extirpação radical dos cânceres congênitos da nação, como pede o destino cujos gritos das ruas ainda ecoam em todo o Brasil: ” Leão, Leão, Leão, Revolução, a Mega-Solução , sem partidos, sem golpes, sem violência “. O fato é que a república 171 do golpismo ditatorial e do partidarismo eleitoral,, dos quais somos todos vítimas, reféns, súditos e escravos há 129 anos, chegou a um ponto de degradação generalizada e de transpiração de decadência terminal por todos os seus poros que não podemos perder mais tempo com governos que sabemos de antemão que implicará apenas em mais tempo perdido. https://www.brasil247.com/pt/colunistas/geral/375264/%E2%80%9CLiberdade-liberdade-abre-as-asas-sobre-n%C3%B3s%E2%80%9D.htm

  5. Eu prefiro a sensibilidade, a lealdade, a honestidade, a sinceridade e a amizade da Rússia e da China, porque tenho nojo de 171. Cá entre nós, os EUA é maior 171 da história da humanidade. Os caras conseguem vender ao mundo inteiro papel pintado a peso de ouro. E os otários estocam bilhões, trilhões, quatrilhões de dólares como se ouro fosse. E cadê a inflação norte-americana face ao excesso de emissão de papel moeda para o mundo inteiro ?

    • Luiz Felipe vc deveria usar esta idéia como tese de doutorado em uma Universidade de economia, faria muito sucesso. O mundo todo está errado e o V. Sa. correto. Quanto a inflação americana, ela começa a mostrar a sua face e é o maior drive para uma recessão para 2019. Abraços

      • Não sei se o mundo inteiro está errado, mas que capitalismo X comunismo, manivelados pelo economês dos me$mo$, tornou isso aqui um inferno eu tenho certeza, às vezes da vontade até de dizer: ” pare o mundo que eu quero descer”, à moda Sílvio Brito.

        • Até para “descer” você terá que agir como capitalista. Afinal, não há lanche grátis e nem ‘descida’ sem que alguém pague.

          Esquenta não, não desça, pague e viva feliz. Ainda não descobriram uma melhor opção, exceto comunistas e seus irmãos siameses, socialistas. Mas a maior parte morreu de fome. Menos a Nomeklatura, claro. Essa é capitalista até quando desce para verificar o número de mortos.

    • Incrível, não Felipe! E o mundo inteiro compra papel pintado, troca papel pintado, se locupleta com papel pintado, cria com papel pintado e a conta não tem fim…

      O mundo deve gostar muito de papel pintado. Você compra papel pintado verde ou vai de rublo ou yuan?

      • A coisa é tão boa que tb recisamos meter a nossa colher de pau nessa história, digo o nosso papel pintado nesse demência global tb, competir com o dólar e com o euro, porque temos espaço para isso. E só podemos fazer isso onde temos algum valor, por ora, tal seja a nossa própria região sul-americana. Daí a necessidade de copiarmos o sucesso da Confederação Europeia e do Euro, frente aos EUA, começando pela nossa própria confederação brasileira, com a criação do Latino como moeda de circulação regional e mundial, e com isso atrair os nossos hermanos para a nossa confederação sob o nosso controle, como propõe o HoMeM com a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de nação, a reinvenção do Brasil e da política nacional, a revolução redentora, da política, da nação e da população, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, inserido firme e forte na era da globalização, porque evoluir é preciso. E se não entenderam eu desenho.

        • Sabe quando faremos uma Revolução dessa magnitude com pigmeus políticos, como parece ser o caso dos bolsonarianos, como diz o Temer ? Nunca.

  6. O general Oswaldo Ferreira, que era dado como certo para ser o futuro ministro da Infraestrutura, disse a O Globo que não tem a “menor pretensão” de ocupar um cargo na Esplanada dos Ministérios.

    “Eu não tenho problema com ninguém. Não existe: ‘Ah, o general Ferreira queria…’ Eu não queria nada. Estou fazendo o que sempre fiz. Não tenho a menor pretensão de ser nada no governo. Vou continuar fiel às minhas colocações.”

    Ferreira disse também que não existe rivalidade entre os grupos que gravitam em torno de Jair Bolsonaro.

    “Não existe rivalidade de ninguém. O presidente eleito precisa da equipe dele, que está trabalhando. Não procure crise porque ela não existe. As pessoas gostariam que eu ficasse, mas eu tenho minha posição já expressa há muito tempo. Eu quero viver minha vida, eu tenho outras coisas para fazer na vida.”

    https://www.oantagonista.com/brasil/nao-tenho-menor-pretensao-de-ser-nada-no-governo/

    • O Euro pode mais, porque tem a seu lado uma confederação europeia, face à qual os norte-americanos se desesperam, estão perdendo o controle das coisas e a prevalência do dólar, paulatinamente, com a China e Rússia correndo por fora, daí a tentativa de cooptar a Inglaterra, que começou a abrir os olhos em relação ao “Brexit”.

    • Sábio ou vidente o Bortolotto. Vão ter que fazer muito mesmo para poder chegar à verdinha das americanas.

      Alguém aí trocaria uma Apple + Gates + Amazon (acho que juntas deve dar uns 3 tri em valor de mercado) pelo magnatas russos ou… como é que chama aquele senhor dos olhinhos puxados que venda pra caramba? Ah! Sim! Alibaba.

      Eu tenho uma ideia: puxem o tapete do Estado chinês e vamos ver se o Alibaba subsiste!

  7. É temos de tomar cuidado esse presidente, é um imbecil, não sabe fazer nada, e ninguém consegue entender como um imbecil da categoria dele sem dinheiro sem partido sem tempo de tv, sem uma corrente militante, sem nada sem cérebro chegou onde chegou, o minimo que os expert podem fazer ´é ficar calados para não passarem mais vergonha, deem tempo ao tempo
    . muito palpiteiro sem noção

  8. Amigo Bortolotto,

    Não perca seu tempo com esse tipo de comentarista de antolhos, que não tem a mente aberta para aprender nada. É a mesma coisa do que lançar pérolas aos porcos, como dizia Jesus Cristo, que se encontrasse algum comunista, o chamaria de irmão.

    \\\\\\\\abs.

    CN

  9. Bem, não sei se Bortolotto está certo ou não, mas o general errou.
    Acho que a política no exército é diferente da política dos demais lugares, só pode ser.
    Se Oswaldo Ferreira tem a melhor proposta ele tem que convencer muitas pessoas, não apenas Bolsonaro, que só é ditador nos delírios dos petistas.
    Política tem que ser feita assim, com acordos e conversas.

  10. Bortolotto, você sabe que não sou de parabens,mas sou obrigado a te elogiar, sobre uma notícia que só acredito porque você está escrevendo.

  11. Caraca, vc não conhece nem a história do Brasil, pra dizer um bobagem dessa, pois, na verdade, foi sempre a famigerada direita que sempre desgovernou o Brasil, há 518 anos, até porque o PT nunca foi de esquerda.

  12. Delfim parece que continua sendo uma das mentes políticas mais lúcidas, mais realistas e mais sinceras deste país, não obstante a idade já avançada.

  13. Prezado Sr. ANTONIO SANTOS AQUINO,

    O senhor é dos mais antigos dos Comentaristas/Escritores desde o tempo do Jornal TRIBUNA DA IMPRENSA, impressa.
    O senhor conhece muito de nossa História e sabe interpretá-la.
    O senhor é Trabalhista ( Nacionalista-Desenvolvimentista e Estatista), e nós somos Lacerdista ( Nacionalista- Desenvolvimentista-Intervencionista Privatista). Portanto concordamos em 2/3.

    A nosso juízo o Economista Dr. DELFIM NETTO, (90), deu muito mais lucro a Economia do Brasil, do que eventuais prejuįzos, pela sua luta pela nossa INDUSTRIALIZACAO via Empresas de Matriz no Brasil.

    Abração.

  14. A tão decantada globalização econômica é boa apenas para os ricos. principalmente para os super-ricos, e ruim para os pobres, do primeiro, segundo e terceiro mundos. O corolário da globalização será uma diminuta plutocracia mundial, rodeada e servida por um imenso precariado formado pelos despossuídos de todas as nações. A jornalista Anne Applebaum, num artigo de 2011, apresentou Dubai como um vislumbre dessa nova civilização globalizada:
    https://www.washingtonpost.com/opinions/the-new-world-in-dubai/2011/06/03/AG0EmVdH_story.html?noredirect=on&utm_term=.152a2db72e98

  15. Como não sou versado em Economia, fiquei meio confuso com a afirmação do ilustre colunista de que “uma dívida na qual o governo deve para ele mesmo, só existe na contabilidade porque na prática é nula.” E aqui está a razão da minha dúvida: esses papéis emitidos pelo Tesouro não são trocados por dinheiro de investidores? E qual o investidor que vai emprestar a um governo do qual espera calote? Nem um ingênuo como eu. Não nos esqueçamos que a China tem mais de 1 trilhão de dolares em bonds do Tesouro Americano. Só isso já é uma bom sinal de que os empréstimos tomados pela China têm lastro.
    Ademais, quem pode garantir que depois do Bolsonaro não tenhamos um tipo Temer, ou Dilma, ou pior: o condenado de Curitiba! (Que Deus nos livre dessas pestes!)

    • Prezado Sr. S. de TOGA,

      O mecanismo de criação de Crédito Soberano da Nação seria um curto-circuito do que o tradicional que o senhor descreveu.

      A Secretaria do Tesouro Federal emite R$ 1 Bilhão em Letras de Crédito do Tesouro. Em vez dessas Letras serem vendidas no Open Market ( trocadas pelo Dinheiro dos Investidores), elas iriam diretas para o Banco Central onde seriam um Ativo, em correspondência o Banco Central creditaria R$ 1 Bilhão em Reservas no Tesouro, que poderia repassar esse R$ 1 Bilhão para a Rede Bancária que através da expansão multipla do Crédito na proporção normal de 5: 1, geraria um Crédito de R$ 5 Bilhoes no Mercado.

      Daí que, no caso das Letras de Crédito, o Tesouro deve para o Banco Central, sendo ambos do Governo Federal.
      Por isso se diz que nesse caso o Governo deve para ele mesmo.
      Abração.

  16. Bastante esclarecedor o que escreveu. Os números realmente são esses 500 bilhões do BNDES para parceiros empresariais e obras inacabadas deixaram o país na pior crise fiscal desde o calote do Collor.

  17. É preciso ter um pouco de cautela sobre essa proposta de emissão de títulos do Tesouro. É que, se não houver credibilidade sobre o título e não houver pagamento de juros, duvido que o mercado iria comprá-los. Pois precisam ser trocados por dinheiro para aquisição de insumos ou serviços. Seria bom ficar longe de soluções mágicas, por enquanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *