Bolsonaro quer “radicalizar” na segurança, e Haddad ironiza a proposta dele

Resultado de imagem para bolsonaro e haddad

Na propaganda, a guerra das acusações se intensifica

Deu em O Globo

O programa eleitoral dos candidatos à Presidência no rádio deixou de lado as menções à corrupção, à atuação em cargos políticos anteriores e ao suposto risco da implementação de governos autoritários, para focar os ataques em propostas diversas. Enquanto Jair Bolsonaro (PSL) defendeu “radicalizar” na questão da segurança pública, Fernando Haddad (PT) disse que a proposta do rival é o “salve-se quem puder” e propôs mais participação do Estado no combate à criminalidade.

O candidato do PSL começou o horário eleitoral com a premissa de que a esquerda quer aumentar o poder dos sindicatos e “liberar o aborto e as drogas”. Ele destacou que é contra o imposto sindical obrigatório e “a favor da vida”. Nas palavras da campanha de Bolsonaro, “o PT ainda não percebeu, mas o país mudou”.

SEM PROMESSAS – A propaganda do PSL frisa que “o povo não quer mais saber de promessas que não são cumpridas” e propõe um “consenso de governo totalmente diferente”, a favor da família e do Brasil.

– Você tem que jogar pesado na questão da segurança pública. Não podemos mais, você pai, você mãe, ficar preocupados se seu filho vai voltar para casa. Precisamos radicalizar nesta questão. O futuro está em nossas mãos – destacou o presidenciável, embora a Procuradoria-Geral da República já tenha avisado que vai se opor ao projeto do militar de tornar imunes, sem investigação, policiais que matarem em serviço.

No programa de rádio, Haddad afirmou que o projeto de segurança do rival vai causar “mais violência” e representa o “salve-se quem puder”. Para ele, a saída é envolver mais o governo federal na segurança pública. “Quem tem que oferecer segurança é o Estado. Na minha proposta, a Polícia Federal vai começar a atuar na segurança pública referente a organizações criminosas” – propôs o petista.

PROVOCAÇÃO – A propaganda do PT começou com uma provocação: “E aí, Bolsonaro, vai ficar tocando o terror e se fazendo de santo na campanha ou vai debater com o Haddad?”, um referência à ausência do adversário em encontros na televisão com a justificativa de sua recuperação após ataque a faca em Minas Gerais, no mês passado.

15 thoughts on “Bolsonaro quer “radicalizar” na segurança, e Haddad ironiza a proposta dele

  1. Muamar Kadafi, o ex-ditador que doou para a campanha petralha com provas robustas fornecidas por Antonio Palocci.

    Dever-se-ia escrever um artigo sobre a obrigatoriedade da justiça em cassar o Partido dos Trambiques imediatamente !!!

  2. A criminalidade deve ser severamente combatida especialmente nos postos mais elevados: figurões, juízes do STF que vendem a alma em troca de vantagens. O Bolsonaro deveria manter essa bandeira para obter o apoio necessário. Ato Inicial do governo: acabar como PT – antes de cortar relações com a Venezuela.

  3. E ninguém da grande mídia fala do milhão de dólares do Kadafi para campanha do Lula?
    O mesmo vale para a mesada de 100 mil para o Toffoli.
    Falam de WhatsApp.
    WhatsApp falar ao telefone por escrito.
    Não há como impedir. Foi uma das melhores invenções da comunicação digital. Querem voltar para os sinais de fumaça? Apito, sinalização com bandeiras? Aí pode!
    Francamente.

  4. “Quem tem que oferecer segurança é o Estado.”

    -Entao porque, mesmo depois de treze anos de governo petista, ainda não ofereceu?

  5. Como Haddad pretende usar a PF para combater o crime organizado em cada cidade ou bairro do país? Em toda administração petista que se conhece, o crime floresceu. Até mesmo eleitores petistas concordam com isso, pois sentiram nas suas ruas o efeito de se eleger gente do PT para administrar seu município ou estado. Quanto a insistência do petista em relação aos debates, concordo com a visão do CN, é mesmo por sorte de Haddad que Bolsonaro não vai, pois o PT ao longo de seus 4 mandatos, dois escândalos mundialmente conhecidos, mais outras fontes de investigação, dão fartíssima munição para qualquer um debater com Haddad até o natal, o mantendo nas cordas sem deixar que se levante. Basta que seu debatedor não tenha “rabo preso” para falar o que foi notícia em todo mundo.

  6. Hoje se entende os porquês de o PT ser uma organização criminosa, infestada de bandidos, assassinos, ladrões, estelionatários, corruptos, perdulários e irresponsáveis!

    Desde que ascendeu ao poder, o objetivo era roubar o país e explorar o povo, conforme lograram êxito por muitos anos.
    Logo, uma das atitudes que deveriam pôr em prática, e com muita competência por mais que o cidadão não gostasse, seria a opção em defesa de meliantes, de criminosos, colocando-os sempre como vítimas da sociedade.

    Da mesma forma o PT agiu com os pobres, pois assim que Lula ampliou o Bolsa Família, que jamais foi projeto petista, distribuindo esse benefício para milhões de pessoas não anexou a contrapartida, ou seja, a obrigação do estudo e de conseguir trabalho para os necessitados, devolvendo a dignidade perdida pela esmola oferecida.

    E, o mais grave, deixou de lado o mecanismo que evitaria o crescimento da população pobre, miserável, que aumentou com as administrações petistas, o Planejamento Familiar, isto é, a Maria não “produzindo em escala industrial” mais filhos a cada ano.

    Foi o benefício em troca de votos; foi a defesa de assassinos, pedófilos, estupradores, estelionatários, ladrões, traficantes, também em troca de votos.

    Lula está preso, assim como foram condenados TODOS os tesoureiros petistas, alguns ministros, parlamentares, senadores … comprovando um comportamento antissocial, de assalto às instituições, de domínio sobre o povo e país.

    Haddad não pode fugir dessa premissa petista, desta ótica difusa com relação ao criminoso, então acusa Bolsonaro porque declarou que será rígido com o crime, com o presidiário.

    Ora, bolas, quem está preso é o amo e senhor petista, Lula, que talvez perca a sua cela especial, haja vista não ter curso superior, o mesmo com amigos seus, que igualmente estão na cadeia!

    Haddad sabe que a população carcerária não quer Bolsonaro, e por motivos óbvios, então segue defendendo o bandido, o crime, alegando formas de tratamento não só ineficientes como possibilitando que o crime se estenda, se espraie mais ainda, que o preso é um ser humano e deve ser tratado com respeito e dignidade!

    Concordo, se o preso tivesse nos presídios PETISTAS maneiras de se corrigir, tais como o trabalho, o estudo, a ocupação natural e necessária para qualquer preso, seja homem ou mulher.

    Haddad é contraditório, como é o seu partido, e também mentiroso.

    Fala em tratamento adequado ao bandido, mas o despreza e o humilha em prisões infectas, imundas, sem água, latrinas que se possa usar, e uma população detida em celas onde não caberia um terço dos detidos no mesmo espaço!

    O objetivo de Haddad, o dissimulado, é o voto do familiar desse condenado; dos parentes e amigos do preso; da facção criminosa solta que o detido faz parte, e pelo fato de o PT ser uma dessas facções de criminosos da mais alta periculosidade!

    Haddad fala macio, educado, a sua voz é a mesma por mais que o seu discurso seja inflamado.

    No entanto, os perdigotos expelidos estão contaminados, pois venenosos, suas palavras são mentirosas, e suas intenções as piores possíveis e imagináveis.

    O Brasil precisa muito de Bolsonaro, da sua coragem, de dizer o que o povo quer que seja feito por ele e pelo país.

    O povo quer que o novo presidente, Jair Messias Bolsonaro, o coloque no seu devido lugar de importância no governo, e não candidatos que defendam aqueles que os prejudicam, que os roubam, que os matam, que os estupram, que sejam pedófilos, e ainda obtém a compreensão e tolerância petistas, justamente pela identidade entre as facções criminosas, de ceifar a vida de inocentes!

    Haddad é um bandido inescrupuloso, cruel, sádico, um torturador.

    Mandalete, estafeta, marionete de Lula, Haddad ainda quer ser visto como uma pessoa boa, honesta, capaz, mas beija a mão do ladrão e genocida, e lhe pede licença até para ir ao banheiro.

    Será este o presidente que queremos?
    Dependente das decisões de um CRIMINOSO??!!

    • Sr. Francisco, o que o senhor escreveu é a mais pura realidade do que vem acontecendo há anos no país. Achincalharam com a nação de tal maneira que não sei como e quando se recuperará.

  7. Estou vendo nesta campanha eleitoral, simplesmente. troca de acusações, ofensas. Um clima de guerra verbal. Até nas redes sociais é o que vejo. Muito triste.
    Peçanha pergunta “Como Haddad pretende usar a PF para combater o crime organizado em cada cidade ou bairro do país?” Nenhum dos dois candidatos abordaram este tema. Nem este nem outro assunto de interesse da população, como o desemprego que só cresceu com o temeroso.
    Um concurso para um professor numa universidade, sendo dois os candidatos, nunca presenciei um ofendendo o outro para ocupar a única vaga. A discussão é para avaliar quem tem maior e melhor qualificação. Tudo, com respeito, sem ofensas, calúnias, difamações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *