Bolsonaro rebate Trump e afirma que o governo não manipula a cotação do dólar

Trump acusou Brasil de promover desvalorização ‘maciça’ do real

Guilherme Mazui
G1

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira, dia 4, que o governo não está “aumentando artificialmente” a cotação do dólar. Na segunda-feira, dia 2, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que Brasil e Argentina “têm presidido uma desvalorização maciça de suas moedas”.

De acordo com Trump, agricultores norte-americanos estariam sendo prejudicados, já que, com o real e o peso valendo menos em relação ao dólar, exportações de Brasil e Argentina ficam mais competitivas.

VALORIZAÇÃO ARTIFICIAL – A declaração do presidente dos EUA levantou avaliações no mercado financeiro de que o governo brasileiro poderia estar valorizando o dólar de forma artificial. Em novembro, o real foi a quarta moeda no mundo que mais perdeu valor na comparação com o dólar.

Bolsonaro negou a possibilidade de o governo estar interferindo na cotação, ao ser questionado sobre o tema por jornalistas na porta da residência oficial do Palácio da Alvorada. “Nós não queremos aqui aumentar artificialmente, não estamos aumentando artificialmente o preço do dólar”, afirmou Bolsonaro.

GUERRA COMERCIAL – De acordo com o presidente, um dos motivos da alta da moeda norte-americana nas últimas semanas é a guerra comercial entre EUA e China. “O mundo está globalizado. A própria briga comercial entre Estados Unidos e China influencia o preço do dólar aqui”, disse Bolsonaro.

Ao acusar Brasil e Argentina de desvalorizarem suas moedas, Trump disse que iria restaurar a sobretaxa sobre o aço e o alumínio vendido pelos dois países. A sobretaxa nas tarifas foi aplicada pelo governo dos EUA no ano passado, em relação a vários parceiros comerciais, mas Brasil e Argentina obtiveram, em agosto, uma espécie de “alívio” nos preços.

“MUY AMIGO” – Bolsonaro, que diz ter uma boa relação com o presidente norte-americano, afirmou nesta quarta-feira que acredita que Brasil e EUA chegarão a um “bom termo” com relação ao aço e ao alumínio.

“Eu acredito no Trump, não tenho nenhuma idolatria por ninguém, tenho uma amizade, não vou falar amizade, não frequento a casa dele nem ele a minha, mas temos um acordo, com contato bastante cordial”, afirmou Bolsonaro. Questionado se ficou decepcionado com Trump, Bolsonaro disse que não, pois o norte-americano ainda não “bateu o martelo” sobre a taxação.

SEM RESSENTIMENTOS – “Não tem decepção porque não bateu o martelo ainda. Não é porque um amigo meu falou grosso numa situação qualquer que eu já vou dar as costas para ele”, disse Bolsonaro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
O discurso de Bolsonaro sobre a sua “amizade”, ou melhor, o seu tímido e eventual contato com Trump, reflete um grau de submissão criticado não somente no Brasil.  O inglês “The Guardian” comparou a intenção do presidente americano em taxar a importação de aço brasileiro como “um tapa simbólico” na cara de Bolsonaro. Já o “Financial Times” apontou um “golpe embaraçoso” para o Brasil. O francês “Les Echos”, por sua vez, desdenhou do entusiamo persistente de Bolsonaro em relação ao “colega” americano. Já é hora de Bolsonaro aterrissar e voltar para o mundo real. (Marcelo Copelli)

17 thoughts on “Bolsonaro rebate Trump e afirma que o governo não manipula a cotação do dólar

  1. O Governo norte-americano, possui órgãos de segurança que “parabolicamente captam” e não dão sinais conforme ordens superiores do “Senhor do Eventos” recebidas e emprendidas como no Caso WTC, contra seus próprios compatriotas!
    PS. Que Trump, à exemplo e com abalizadas instruções de Bush derrube qualquer outro arranha céu, ou vá contactar o Prefeito de Laurentino cidade de meu Estado, povoada por descendentes de italianos e denominada “A Capital Mundial do Aço”,
    título brincalhão, originário do diálogo comumente ouvido de seus cidadãos, ante qualquer pergunta:
    Aço que sí, ou: Aço que nô!

    • Com Trump ainda se pode conversar pois tem lado e inteligência.
      Pior seria com os ladrões morales, castro, maduro e outros tiraninhos de merda da África com os quais lyiz inacio e dilma tinham relações promiscuas e de remessa do nosso dinhriro sem nenhuma contrapartida dr garantia.
      Viva Trump, amigo do Brasil !

  2. PIB crescerá 2,4% em 2020 e 3,5% em 2021, diz Bank of America

    De acordo com as projeções do Bank of America, o PIB brasileiro deve fechar 2020 com uma alta de 2,4%. Em 2021, a alta seria de 3,5%.

    “O governo tem se esforçado para melhorar o ambiente de negócios do Brasil, e teremos outros ajustes”, afirmou o banco, em comunicado divulgado hoje.

  3. O entusiasmo de Bolsonaro quanto aos EUA é o mesmo de quem tem bom senso em negócios e não pela infantilidade, que a nossa midia tablóide explora, de que se pensa que existe amizade entre países.
    O entusiasmo se dá pelo fato de que é melhor negociar com os EUA do que com os miseráveis países de esquerda da América Latina e África que só nos deu prejuízo com o nefasto governo do PT.

  4. Bolsonaro, conhece os “bons e maus ventos”, entende e sabe como cair e levantar-se, pois treinado paraquedista!
    Já o pesado Trump, se “o cairem”, soerguer-se-á?

  5. O GLOBO – 04/12/2019

    Líderes mundiais são filmados rindo de Donald Trump durante cúpula da Otan

    É possível ouvir Trudeau reclamando da extensão das entrevistas coletivas do americano; em resposta, Trump disse que líder canadense tem ‘duas caras’

    O Globo e New York Times
    04/12/2019 – 07:56 / Atualizado em 04/12/2019 – 16:32

    https://oglobo.globo.com/mundo/lideres-mundiais-sao-filmados-rindo-de-donald-trump-durante-cupula-da-otan-24116815

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *