Bolsonaro recebeu advogados de Flávio em reunião com Heleno e Ramagem para discutir relatórios do caso Queiroz

Charge do Iotti (gauchazh.clicrbs.com.br)

Juliana Dal Piva
O Globo

Uma reunião entre os advogados do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o presidente Jair Bolsonaro para discutir dados sobre “irregularidades das informações constantes dos Relatórios de Investigação Fiscal”, que citaram o filho mais velho do presidente, ocorreu no dia 25 de agosto deste ano, mas não teve registro na agenda oficial.

Nessa mesma reunião, estiveram presentes o ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, e ainda o diretor da Agência Brasileira de Inteligência, Alexandre Ramagem. O ministro do GSI também não registrou o encontro na agenda oficial. A reunião foi revelada pelo colunista Guilherme Amado, da revista Época, e confirmada pelo O Globo.

IRREGULARIDADES – Em nota, os advogados Luciana Pires, Juliana Bierrenbach e Rodrigo Rocca, que atuam na defesa de Flávio, informaram que levaram ao “conhecimento do GSI as suspeitas de irregularidades das informações constantes dos relatórios de investigação fiscal lavradas em seu nome, já que diferiam, em muito, das características, do conteúdo e da forma dos mesmos relatórios elaborados em outros casos, ressaltando-se, ainda, que o relatórios anteriores do mesmo órgão não apontavam qualquer indício de atividade atípica por parte do senador”.  

Segundo os advogados, “o fato foi levado diretamente ao GSI por ter sido praticado contra membro da família do Senhor Presidente da República”. Flávio Bolsonaro é investigado pelo Ministério Público do Rio desde julho de 2018 por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa junto com seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

A investigação foi instaurada a partir de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentações atípicas em 75 assessores e ex-assessores de deputados estaduais na Assembleia Legislativa do Rio. Um dos funcionários citados era Queiroz com transações atípicas num total de R$ 1,2 milhão.

PROVA – Segundo o colunista Guilherme Amado, depois da reunião com os advogados em agosto, GSI, Abin, Receita Federal e o Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados)foram mobilizados para encontrar alguma prova que apontasse irregularidade nos relatórios produzidos sobre Flávio pelo Coaf.

No ano passado, Frederick Wassef, ex-defensor de Flávio, chegou a levar ao Supremo Tribunal Federal uma discussão sobre a quebra de sigilo bancário e fiscal sem autorização judicial por meio dos relatórios, o que seria ilegal. O STF, no entanto, não deu aval para a tese, mas não discutiu o mérito dos relatórios  sobre Queiroz e Flávio.

AGENDA – A reunião com os novos advogados de Flávio ocorreu no dia 25 de agosto no fim da tarde, depois das 18 horas. A agenda oficial do presidente registrou uma reunião com a ministra Tereza Cristina até às 18 horas e Bolsonaro ficou sem compromissos até às 20 horas, quando tinha como compromisso a abertura de congresso. Já o ministro Augusto Heleno registrou apenas uma audiência no Palácio do Planalto entre 17h30 e 18 horas.

No mesmo dia em que se encontraram com o presidente e o ministro, a defesa de Flávio também peticionou na Receita Federal e no Serpro pedidos de investigação interna para identificar servidores que tenham feito pesquisas sobre o filho do presidente. Os advogados acreditam que dados sigilosos da Receita Federal foram cedidos ao Coaf sem amparo legal. Procurado, o Palácio do Planalto não retornou.

13 thoughts on “Bolsonaro recebeu advogados de Flávio em reunião com Heleno e Ramagem para discutir relatórios do caso Queiroz

  1. Eu quero (como leitor) que o blog coloque em discussão:” Anvisa autoriza importação de 6 milhões de doses da CoronaVac”. Ué, a ANVISA não era o quintal do Bozo? O resto é matéria requentada para satisfação de alguns esquerdopatas.

  2. O presidente do Sindifisco, Kleber Cabral, desmontou a tese maluca apresentada pela defesa de Flávio Bolsonaro ao GSI, segundo a qual o senador seria alvo de um grupo da Corregedoria da Receita do Rio, que “estaria alimentando órgãos de controle, entre eles o Coaf, com dados sigilosos sobre políticos, empresários e funcionários públicos”.

    […]

    “Nos preocupa muito que essa teoria mirabolante que está sendo vendida pela defesa do senador seja usada como pretexto para intervenção indevida na Receita Federal. Vários órgãos foram acionados pela defesa de Flávio Bolsonaro para apurar uma teoria conspiratória. Uma coisa é o servidor alegar que está sendo perseguido pela Corregedoria, outra é o senador achar que isso tem pertinência com o caso dele.” (O Antagonista)

    Ou seja, apesar do aparato montado pelo seu Jair, ordenando órgãos do governo a procurar indicios de ilegalidades, mais uma vez será comprovado que essa família vive de mentiras.

  3. Uma fonte vazou que os advogados disseram ao Bozo que o gato subiu no telhado. Aí o Bozo tonto como sempre, perguntou: Que gato? Qual telhado?
    Voltarão na semana que vem
    depois de pararem de rir. para

  4. “OPOSIÇÃO QUER CPI SOBRE ENVOLVIMENTO DO GOVERNO NA DEFESA DE FLÁVIO E PEDE AO STF AFASTAMENTO DE HELENO

    Parlamentares acionarão PGR e cobrarão informações do GSI e do Ministéiro da Economia sobre plano de defesa de senador” (Época)

  5. Bom dia , leitores (as):

    Senhora (es) Juliana Dal Piva ( O Globo ) ,Carlos Newton e Marcelo Copelli , poxa se o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) é tão inocente como tanto apregoa pelos quatro cantos do país , e por qual cargas d’água seu pai – presidente Jair Bolsonaro esta fazendo o diabo para protege-lo ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *