Bolsonaro, se for candidato, pode não ir ao segundo turno nas urnas de 2022

Insatisfação com o governo Bolsonaro é grande e cresce a cada dia

Pedro do Coutto

O presidente Jair Bolsonaro tem pela frente dois obstáculos que terá que superar para tornar viável a sua candidatura à reeleição nas urnas de 2022: a falta de estabilidade do seu governo e a perspectiva – revelam Pedro Venceslau e Bruno Ribeiro, no Estadão de sábado, dia 3 – de que o PSDB, o DEM e o MDB estão se aproximando para firmar uma aliança capaz de disputar o pleito daqui a um ano e meio.

A afirmação foi feita pelo ex-prefeito de Salvador ACM Neto que sustentou a necessidade do surgimento de uma terceira força capaz de abrir a perspectiva de um candidato entre Lula e o atual presidente da República. Esta é uma questão essencial para fornecer uma oportunidade às forças que se consideram de centro em busca de um nome viável com potencial político para enfrentar uma batalha difícil, mas não impossível.  

LIMINAR DE FACHIN – A meu ver, Lula está assegurado no segundo turno de 2022 dependendo apenas do julgamento pelo Supremo, da liminar de Edson Fachin que anulou todas as condenações contra ele fixadas em Curitiba, por Sergio Moro. Na reunião mais recente da Segunda Turma, foi anulada a condenação do triplex devido a imparcialidade de Moro, por três votos a dois. Mas este foi um julgamento.

Para o segundo julgamento o debate será baseado na anulação ou não de todos os processos contra o ex-presidente, e o resultado favorável conta com os votos, é claro, de Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli.

O voto da ministra Cármen Lúcia no julgamento da Segunda Turma foi para viabilizar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva. Para mim ficou claro, uma vez que a tese do ministro Edson Fachin é de anulação das sentenças, transferindo o julgamento para a Justiça Federal de Brasília. A habilitação de Lula traz consigo um impulso no STF para neutralizar ações de extremistas contra o próprio Supremo e o Congresso Nacional.

GRANDES CHANCES – Lula, de todos os nomes, é o que maior contingente de votos possui. Basta lembrar que em 2019 ele transferiu 43% do eleitorado para Fernando Haddad. Pedindo voto para si mesmo, Lula poderá até ultrapassar esse percentual. Admito até que ele possa vencer direto no primeiro turno, já que a insatisfação com o governo Bolsonaro é muito grande e cresce a cada dia. Basta ler as cartas de leitores publicadas no O Globo, na Folha de São Paulo e no Estadão.

Pode-se também considerar as reportagens e comentários da imprensa, nas redes sociais da internet, nos programas de televisão, sobretudo da GloboNews. Por aí vemos o grau de rejeição ao governo. Dificilmente, Jair Bolsonaro poderá se recuperar. Ele se mantém numa posição política nada flexível.  

FRACASSOS DE GUEDES – Miriam Leitão, no espaço de sua coluna no O Globo, afirmou frontalmente que o governo acabou e apenas permanece sem apresentar fatos e disposições que o reanimem. Foi um artigo importante. Na síntese reflete tantos fracassos do ministro Paulo Guedes quanto a desarmonia nas bases do Executivo, agora também no Congresso através de posições explicitadas até pelo Centrão. Natália Portinari focaliza o tema no O Globo deste domingo e destaca o sintoma como início de um processo de desgaste dentro das próprias bancadas do governo no parlamento.

Outro fato que deve preocupar o Planalto está contido também no O Globo, reportagem de Bernardo Mello, Filipe Vidon e Rayanderson Guerra. Trata-se de incitamento por parte de lideranças de baixa patente das PMs sobre as tropa contra governadores adversários do Palácio do Planalto. O confronto visa medidas restritivas para tentar conter a pandemia, que foram adotadas por estados comandados por opositores de Jair Bolsonaro. Mais um setor, cujo movimento acrescenta intranquilidade ao panorama institucional do país.  A confusão é muito grande.

IMPASSE – Adriana Fernandes, no Estado de São Paulo, reproduz declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em relação  ao impasse que ocorre sobre o Orçamento para 2021. Na opinião de Campos Neto, a dificuldade entre o Legislativo e o ministro Paulo Guedes agrava a incerteza fiscal.

Um dos reflexos do panorama confuso que está se projetando na área econômica está assinalado por Júlia Moura e Eduardo Cucolo, na Folha de São Paulo de ontem. Um elenco de empresas listadas na Bovespa reduziram os seus investimentos de forma considerável. A redução decorre da falta de nível de consumo, já que ninguém pode produzir somente para estocar.

RETRAÇÃO NO CONSUMO – Tudo, inclusive a arrecadação tributária, depende, direta e indiretamente, dos níveis de consumo, da mesma forma que as receitas do INSS e do FGTS. A retração do consumo é uma consequência direta do alto nível de desemprego e do congelamento de salários que estão fazendo com que a renda do trabalho humano seja reduzida mês a mês pelas taxas oficiais de inflação.  

Esta colocação representa um desafio do governo para consigo mesmo.  Um desafio para Jair Bolsonaro no caminho das urnas de 2022. Por isso não será uma surpresa se ele não for ao segundo turno da sucessão presidencial, sucessão de si mesmo.  

20 thoughts on “Bolsonaro, se for candidato, pode não ir ao segundo turno nas urnas de 2022

  1. Correto Pedro, até aqueles ditos 30% de eleitores supostamente fixos está minguando. Daí o desespero e a radicalização do discurso. Foi um erro grasso de FHC apoiar a Reeleição. Seus artigos no Globo e no Estadão desse domingo, não tocam nesse espinhoso assunto para o sociólogo, no limiar de seus 90 anos.
    O presidente da nação só pensa nisso, a eleição de 2022. Quer de qualquer maneira ficar na cadeira, por mais quatro anos. Governar que é bom, nada. Está se lixando para a Pandemia, não muda seu comportamento frio e distante, nem que a vaca tussa.
    Governa para sua claque de zumbis morais e distantes da realidade fática.
    Será o Benedito, que diante do sofrimento das famílias, que vêem seus entes queridos indo embora desse mundo, ele ainda insiste no tratamento precoce e todo mundo trabalhando como se não tivesse acontecendo nada, somente porque sopraram no seu ouvido, que um baque na Economia, atrapalha seus planos de reeleição?
    Muito triste tudo isso.

  2. Enquanto o dr. Jair receita cloroquina para o “seu povo”, no Reino Unido a população pode fazer teste para Covid até duas vezes por semana e, o melhor, DE GRACA.

  3. A MÁSCARA CAIU. Basta de enganos e enganações, de direita, de esquerda e de centro. Chega dos me$mo$. Agora, temos que mudar o sistema podre, custe o que custar. BOLSONARO TEM QUE SAIR, MAS LULA NÃO PODE VOLTAR, coisa igual ou pior nem pensar, não são democratas, odeiam a alternância no poder enquanto afrodisíaco da democracia e amam a vitaliciedade nas tetas do erário enquanto atitude de déspotas. Por lá é fácil, basta fomentar a histeria popular, o difícil é tirar depois. Esse papo de que tem que apoiar o Lula para derrubar o Bolsonaro é treta, é mais 171 eleitoral, é mais uma mentira, é mais uma canalhice eleitoral oportunista. Serão mesmo todos farinha do mesmo saco podre, ou serão sacos da mesma farinha que é o sistema apodrecido, como diz o povo que sabe das coisas e que, infelizmente, tb está morrendo à mingua por causa do efeito manada que domina os inocentes úteis? Mais dos me$mo$ ? Mais um safo personalista, populista, narciso, oportunista, que, na política, só tem ambições, vaidades e interesses pessoais e que só usa a esquerda como estratégia eleitoral e que na verdade, além da casca, não tem projeto novo nenhum de país cujo ideal político é apenas se manter mamando em teta pública, e, até por isso, não quer mudar coisa nenhuma, sendo desmascarado pelo tempo ? Caraca, se é para terminar nisso, não precisava ter exposto as vidas de Marielle e Anderson a riscos de mortes. É como diz o velho sábio, no final tudo termina ampliado ou reduzido ao seu tamanho natural. https://www.brasil247.com/poder/freixo-defende-apoio-do-psol-a-lula-e-propoe-dialogo-entre-ciro-gomes-e-pt?fbclid=IwAR3QXJrMYfF6QwCh7LLb78tXtALSpweS_Wf4CnMQ1mwaGpPvsITTg47Jj_w

  4. Cartas de leitores do Globo, da foice e do Estadão? Minoria das minorias, tudo alienado, são piores que bolsonanistas.Muito cuidado imprensa, na eleição passada apostaram tudo na derrota, ridicularizando o Bozo, eis o resultado.

  5. Newton,

    Não posso mais continuar no blog!
    Alguém se passa por mim, e quer me deixar em situação desconfortável usando o meu nome para postar comentários que não são de minha autoria.

    O de cima, é outro que foi escrito por mim.

    Não dá mais eu ficar à mercê de bandidos.

    • Lamento, mas afirmo que não estou te entendendo. A que comentário você se refere, publicado em que matéria, a que horas?

      Não vejo ninguém usando teu nome. O comentário que havia eu deletei ontem.

      Por favor, explique-se melhor.

      Abs.

      CN

      • Deletaste o de anteontem e o de agora, que reclamei no texto acima.

        Agradeço as providências, mas é a segunda vez que isso acontece.

        Se eu precisar de ti dessa maneira, de ficares à minha disposição para anulares os comentários que não são meus, tu não vais fazer outra coisa.

        Logo, a solução é deletares os meus dados, pois são conhecidos e tem gente se passando por mim.
        Como que isso acontece não sei dizer, mas estou buscando a resposta, que servirá tanto prá ti quanto para os demais comentaristas.

        Abraço.
        Saúde e paz.

  6. Só para salientar,sem falsa modéstia, o 5° parágrafo já tínhamos retratado qd.Min.Fachim,fez a manobra,(deu o troco), em resposta ao alto comando,(Gen.Vilas Boas).

    Aguardaremos o longínquo dia 14.

    O objeto jurídico,
    vai prevalecer o juridiquês,ou uma saída “salomônica”.

    Na economia,o senhor Bolsonaro,agravou mais um pouco a combalida estrutura econômica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *