Bolsonaro tem muta sorte e vai escapar da imprensa mundial na reabertura da ONU

As opiniões do presidente

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Carlos Newton

O presidente Jair Bolsonaro está sempre provando que é um homem de sorte. A pandemia, por exemplo, serviu de justificativa e livrou-o da quebra da “regra de ouro”, pois o Congresso autorizou formalmente o governo a se endividar para pagar gastos de custeio, como salários, luz, telefone, manutenção etc, além de despesas de educação e saúde.

A pandemia também chegou a seu favor no caso do auxílio emergencial de R$ 600 para cada adulto brasíleiro prejudicado e R$ 1,2 mil para mulheres que chefiam famílias. O governo só queria liberar R$ 200 mensais e olhe lá… Mas o Congresso subiu para R$ 600 e a decisão acabou aumentando a popularidade do presidente, que parece o Gastão, primo do Pato Donald – para ele, tudo que dá errado acaba dando certo.

SORTE NA ONU –  Bolsonaro também deu sorte com a decisão das Nações Unidas, que resolveram fazer uma abertura virtual de sua próxima Assembleia-Geral. Assim, justamente quando sua popularidade no exterior chega abaixo de zero, devido ao menosprezo à pandemia e ao desmatamento da Amazônia, o presidente brasileiro vai se livrar do impiedoso assédio da imprensa estrangeira.

Assim, Bolsonaro apenas gravará seu pronunciamento e enviará à ONU, defendendo-se das críticas que o governo tem sofrido por conta do comportamento do presidente em relação à pandemia, assim como responderá aos ataques pelas queimadas na Floresta Amazônica.

DIZEM OS NÚMEROS – Levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostra que, do início de 2020 até 12 de setembro, foram mapeados 60.675 focos de incêndio na região, 8% a mais do que o registrado no mesmo intervalo de 2019, com 56.085 ocorrências. É o maior índice desde 2010.

ONGs e ambientalistas criticam duramente Boisonaro, alegando que ele está permitindo o aumento da degradação da Amazônia. Já foi  até lançada uma campanha mundial intitulada “Defund Bolsonaro”, que sugere o corte de financiamentos ao governo do Brasil.

Hoje, Bolsonaro é uma das personalidades mundiais mais ansiadas pelos jornalistas. Mas ele foge das entrevistas. Só fala a repórteres amestrados, especificamente de veículos da mídia que apoiem seu governo de forma cega e incondicional, como o SBT e a Record.

###
P.S. – A maioria da mídia internacional leva Bolsonaro no deboche, como figura caricata que ele realmente é. Há informações de que, na ONU, o presidente vai alegar que seu governo é rigorosíssimo com os crimes ambientais. O mundo inteiro cairá na gargalhada. Será Piada do Ano, com toda certeza. (C.N.) 

18 thoughts on “Bolsonaro tem muta sorte e vai escapar da imprensa mundial na reabertura da ONU

  1. O nosso patético presidente é incansável na sua missão de desclassificar e ridicularizar o país frente ao mundo, agora, não contente com escandalizar a opinião mundial com sua política de meio ambiente, vai rebaixar o Brasil ao seu mesmo nível intelectual, já que, após quatro meses de procura, não se conseguiu encontrar um médico ou cientista habilitado para assumir o Ministério da Saúde, sendo obrigado a nomear definitivamente um general intendente para a missão.
    Vai ser difícil explicar lá fora.

  2. Carlos Newton, apenas importante lembrança:

    1) O governo propôs liberar R$ 200 mensais;

    2) o Congresso, para capitalizar politicamente o eleitor propôs R$ 500;

    3) Bolsonaro – certamente orientado por algum assessor esperto politicamente – cobriu o lance do Congresso subindo para R$ 600.

    Com isso, capitalizou politicamente a desgraça da epidemia, aumentando sua popularidade na faixa mais numerosa de eleitores, os necessitados de baixa escolaridade.

    Durante a campanha, sua popularidade também aumentou com desgraça inusitada, que só acontece no Brasil, diria o saudoso Tim Maia: um Bispo deu uma facada no Messias..

    De fato, a história atual do Brasil é uma autêntica comédia-dramática..

  3. Não importa o que dizem lá fora. Importa o que pensa o povo brasileiro, são eles que votam.

    Diziam só coisas boas do Lula, até títulos de doutor recebeu. Mas na sua gestão, terras brasileiras foram vendidas a países estrangeiros. As forças aramadas reverteram várias dessas vendas.

    Bolsonaro na ONU vai falar o que tem que falar, gostem ou não gostem. O presidente não esta nem aí para o que pensa esse pessoal.

  4. Conheci Paulo Coelho em nossa juventude, em no bairro de Botafogo, zona sul do Rio de janeiro.

    Sou mais velho que ele cerca de seis anos, o que faz muita diferença na infância e na juventude.

    Lembro que ele estudou no Colégio Santo Inácio e que sua família pertencia a uma classe social considerada alta e que ele, em sua juventude, teve diversas crises de depressão e foi internado por seus pais, várias vezes, para tratamento psicológico.

    Teve ainda problemas com drogas, o que era rotina na turma da rua das Palmeiras, onde era assíduo frequentador.

    Ele gostava de coisas exóticas e mergulhou fundo no movimento hippie e no estudo de ciências paranormais.

    Era um bom ser humano, uma pessoa de comportamento pacífico com os amigos e desde cedo gostava de escrever, pois quase todo dia aparecia com um papel escrito por ele.

    Seus amigos de infância e juventude em Botafogo ficaram muito felizes com o sucesso de Paulo como escritor.

    Agora, o fato que tomo ciência muito me entristeceu, pois representa um ato contra todo o sofrido povo brasileiro.

    Não tenho ciência de seu estado de espírito no momento que escreveu o infeliz texto, mas penso que deve estar arrependido, pois Paulo não possui o perfil de traidor da pátria em que nasceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *