“Bom dia, poetas velhos”, dizia o então jovem e revolucionário poeta Paulo Leminski

Paulo Peres
Poemas & Canções

O crítico literário, tradutor, professor, escritor e poeta paranaense Paulo Leminski Filho (1944-1989) invoca no poema “Poetas Velhos” uma reverência aos mais antigos.

POETAS VELHOS
Paulo Leminski

Bom dia, poetas velhos.
Me deixem na boca
o gosto dos versos
mais fortes que não farei.

Dia vai vir que os saiba
tão bem que vos cite
como quem tê-los
um tanto feito também,
acredite.

2 thoughts on ““Bom dia, poetas velhos”, dizia o então jovem e revolucionário poeta Paulo Leminski

  1. Versinhos Esparsos

    Às vezes me acontece,
    Quando estou só e a noite desce,
    De ficar muito triste – confesso.

    É quando me vem à lembrança
    Aquele amor a que fazia versos
    Nos meus tempos de criança…

    ===

    Deste-me o cálice do amor,
    Nao recusei, bebi.
    Depois, veio a indiferença,
    Tu me perdestes, eu te perdi…

    ==

    De repente, uma folha tremula e cai
    E, ao sopro do vento, em rodopios se vai…
    Assim foi nosso amor: aconteceu de repente,
    Como uma surpresa pra gente.
    Depois, lento se foi com o tempo,
    Como a folha ao sopro do vento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *