Brasil tem saída, mas é preciso que os generais enquadrem o lobby dos banqueiros

Imagem relacionada

Charge do Duke (dukechargista.com.br)

Carlos Newton

Já comentamos diversas vezes, aqui na “Tribuna da Internet” a ardilosa manobra do mercado financeiro para manter o Brasil subjugado a seus interesses. Não é por mera coincidência que o maior problema do país – a dívida pública – jamais seja discutido pela equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro ou pela mídia, que está em estado de falência e não pode enfrentar os interesses de um de seus principais anunciantes – os banqueiros.

A ocasião é propícia para que haja essa discussão, porque a crise econômica chegou a uma fase terminal. Se fossem empresas privadas, a grande maioria dos Estados e Municípios já estaria em situação técnica de falência, e a União não tem condições de ampará-los. Diante dessa realidade sinistra, o que propõe o ministro Paulo Guedes? Alguém lembra?

PLANO B – O que Guedes propôs é bestial, como dizem os portugueses – sua solução seria aumentar as dívidas dos Estados. O superministro propõe que a União avalize novos empréstimos aos governos estaduais, a serem obtidos junto a bancos estrangeiros. A única exigência é de que os Estados entreguem um plano de contenção de despesas em quatro anos — coincidindo com o mandato do atual governador.

Nesse Plano B, a União autoriza o governador a tomar emprestado o equivalente a cerca de 40% desse total a ser economizado. Ou seja, a solução mágica de Guedes é aumentar a dívida pública bruta, que já passou de todos os limites.

Mas o cobertor é curto e deixa de fora os municípios. O ministro então apresenta o Plano C, que é mais bestial ainda – a desvinculação dos orçamentos estaduais e municipais, que deixariam de cumprir a obrigação de gastar percentuais mínimos em educação e saúde. Ou seja, Guedes propõe a deterioração ainda maior dos serviços de educação e saúde, sem contemplação.

ALGO DE PODRE – Será que os militares que se encontram hoje no poder (e demonstram tanta preocupação com seus soldos e aposentadorias…) ainda não perceberam que há algo de podre neste reino shakespeariano. Eles sabem que o maior problema brasileiro é a dívida pública bruta, que inclui governo federal, estaduais municipais e INSS. Então, por que aceitam que essa questão estratégica e decisiva continue sem ser discutida?

Por que fingem acreditar que, aprovando a reforma da Previdência, a crise econômica será debelada? Sinceramente, não posso entender esse procedimento dos chefes militares. Será que o único interesse deles é manter privilégios das Forças Armadas, pouco se incomodando com os interesses nacionais? Não posso acreditar que estejam agindo assim deliberadamente. Seria crime de lesa-pátria, seria jogar no lixo o ensinamento do almirante Barroso – “O Brasil espera que cada um cumpra seu dever”.

###
P.S. 1
Ainda há tempo. Bolsonaro nada entende de economia, Guedes dá uma volta nele com a maior facilidade. Mas os generais são preparados. Fizeram curso de Estado Maior e a Escola Superior de Guerra, não podem nos decepcionar.

P.S. 2 – Se os generais bobearam, a equipe econômica lhes passará a perna e o Brasil continuará refém da dívida pública e dos interesses dos banqueiros. Pessoalmente, eu torço para que os generais acordem. Mas já tenho dúvidas se eles realmente querem defender os interesses nacionais. (C.N.)

13 thoughts on “Brasil tem saída, mas é preciso que os generais enquadrem o lobby dos banqueiros

  1. O “Lobby dos Banqueiros” existem desde FHC, porque os generais nada fizeram desde então? Porque fariam agora?

    A julgar pelo seu comentário, parece que tivemos vários “idiotas completos” na presidência e vice-presidência da República nas últimas três décadas, até chegarmos ao ponto que chegamos. E parece que tivemos mesmo !!!

    • Caro Luiz Fernando Souza POA\RS … bom dia!

      Também sou paraquedista kkk simples soldado de 1965 … guarda de honra (segurança) do General Comandante do então Núcleo da Divisão Aeroterrestre … que depois se tornou em dos líderes da linha-dura do Exército … em 1965, participei de várias reuniões do Estado Maior Paraquedista … e os assuntos, é claro que não vou relatar; porém, eram de interesses principalmente da nossa tropa combativa … e, quando a coisa começou a esquentar – se começou a tratar da Política Nacional, sim, senhor!!!

      Porém, creio não ser ainda a hora de contar tudo que sei!!

      Caro CN … há um porém seríssimo no Governo Bolsonaro … CADÊ OS ALMIRANTES??? a Marinha é que é a fundadora da PÁTRIA!!! !!! !!! e a Revolução de 1964 custou a chamar a Marinha, lembra não??? ??? ???

      Um aperto de mão!!!

  2. Notícia de hoje em O Antagonista diz que Gilmar Mendes é alvo de investigação da Receita Federal.
    O Brasil precisa livrar-se de três ministros do STF pelo impeachment, Toffoli, Lewandowski e Gilmar.
    O Brasil precisa abolir a PEC da bengala, urgentemente. Com isso mais três ministros do STF saem Celso de Mello o juiz de merda segundo Saulo Ramos, Marco Aurélio e Rosa Weber.
    Se isso não ocorrer o governo de Bolsonaro será subornado pelo STF.
    Por último os Bancos só com tarifa paga todos seus custos administrativos. Todos. Sim é quem revogou o artigo 192 da CF de 1989 foi o queridinho do PT , o Lula é bom que se diga. Essa é a verdade.

  3. A república 171 crentista-militarista dos bolsonaro e seus milicianos, ratos e assassinos, tb já era, já queimou na largada, e só otários não estão enxergando isso, “data venia”. Há 2 anos. O HoMeM falou e disse. Chamou o General na chincha. “Aos olhos da cidadania e do tribunal imparcial da história do brasil, na hora do julgamento em última instância, definitivo para os próximos 100 anos, de nada valerá o “mea culpa” da globo e cia, em relação ao apoio à famigerada ditadura militar, alicerçada na corrupção e devorada pela dita-cuja, se ela continuar apoiando governos corruptos em troca de “verbas publicitárias” milionárias, ainda que fazendo discursos com sinais trocados à massa ignara. O nivelamento por baixo, aliás, propício a golpes baixos, infelizmente, levou o país à ruína, e se não tomarmos providências urgentes, seríssimas, poderemos regredir ainda mais, até em velocidade ainda mais acelerada do que o atual andar da carruagem, quiçá ao nível até mesmo do Haiti, até porque o descontrole sobre tudo já é assustador. Autoridade, sem autoridade moral, como sucede no governo federal, p. ex., já há algum muito tempo, não é um bem mas, isto sim, um grande mal. Sem honestidade, verdade, sinceridade e pelo menos um mínimo de disciplina sadia não se chega a lugar novo e bom algum. A mudança que agora se impõe ao Brasil tem que ser inédita, radical e de grandes proporções para recuperarmos o tempo perdido, que não é pouco, e avançarmos em direção ao primeiro mundo. E nesse processo de transformação do país, as bandas honestas das forças armadas, quer queiram quer não queiram, serão instadas a jogar o papel mais importante de toda a sua existência. ” Jamais seremos geradores de alguma instabilidade ” ? A instabilidade aí está, General, e não é de hoje, mas há cerca de 127 anos, para não precisar retroagir ao Império e à Coroa. Urge, isto sim, fazermos a mudança de verdade: séria, estrutural, radical e profunda para resolvermos a instabilidade permanente e, por conseguinte, gerarmos pelo menos 100 anos de estabilidade para o país e o povo brasileiro. E o pior é que, ao parece, não poderemos contar com a ajuda do partidarismo-eleitoral e do golpismo-ditatorial e seus tentáculo$, velhaco$ (veículos de comunicação corruptos a bordo), que, infelizmente, alienados, ou alienígenas, ou doentes e enlouquecidos pelo ganho fácil do fundo partidário, das vantagens, dos privilégios, do monopólio eleitoral e das propinas, não conseguem arredar pé sequer um centímetro da guerra tribal primitiva, permanente e insana, por poder, dinheiro, vantagens e privilégios, sem limite$, à moda tudo para elle$ e o resto que se dane, completamente cegos e insensíveis ante o calvário da população, por culpa dos me$mo$. https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/280891/Chefe-das-For%C3%A7as-Armadas-v%C3%AA-Brasil-%C3%A0-deriva.htm?fbclid=IwAR2y1BF6ANVaXK-P03jS7sWfjmEg5gTNF3Cp9xsGSoPzS-srpbwuv9yjIZk

  4. Sr Newton;
    Os Militares não são preparados para atuarem na Economia.
    General Geisel, homem inteligente, foi um desastre na Economia.
    General Figueiredo, primeiro aluno no Colégio Militar, também foi muito mal na Economia, levando o Regime Militar ao seu ocaso.

    • Você lembrou bem, amigo Victor Martins. Figueiredo foi tríplice coroado, sempre em primeiro lugar. E você tem razão em dizer que os militares não são preparados para atuar na Economia. É aí que mora o perigo. Estou apenas tentando alertá-los para não se curvarem diante dos banqueiros. É preciso salvar este país, antes que seja tarde demais.

      Abs.

      CN

  5. Generais, nada mais é que um simples fato de o Brasil continuar a existir ou desaparecer para sempre recortado em estados corporativos estrangeiros, com uma leva de 200 milhões de escravos tupiniquins na bandeja….

  6. Caro Newton, assino artigo, NR, a Esperança, é o cumprimento do “grito do Almirante Barroso: O Brasil espera que cada um cumpra ser DEVER, ganhamos a batalha, Se esse congresso, renovado em 47%, aprovar essa reforma, sem “Auditoria” nas contas, o brasileiro será escravo dos banqueiros, e o riso de virar uma Venezuela brevemente, é fatal. 57 milhões, está sendo traído em seu voto de Esperança de um Brasil Soberano, justo e Digno , para seu povo. Esse crime Hediondo do banqueiro Paulo Guedes, acaba com o Brasil. Auditoria na Divida Pública, mostrará uma queda de 70% ou mais, conforme foi feita no Equador, a Drª Maria Lucia Fattorelli, tem mostrado esse crime contra a Cidadania trabalhadora. Auditoria Já, para salvar o Brasil!!

  7. Quem vai enquadrar os banqueiros?
    Os generais de pijama?

    É pra ser engraçado?

    Não sei se morro de rir ou apenas acho graça!

    Os generais de pijamas já conseguiram o que queriam: bocarras pra encher as burras de dindin.
    Agora, curtindo adoidados as mordomias com que sempre sonharam, ficarão caladinhos e inertes pois seus parentes e aderentes não têm raiva de dinheiro, nem de corporative card, nem de diplomatic passport, nem-nem…
    If you know what I mean!

    Vade retro, sanguessugas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *