Candidatura de Sergio Moro é a que mais irrita e preocupa os petistas e os bolsonaristas

A data de filiação de Moro | VEJA

Só falta Moro tirar a caneta do bolso e assinar sua filiação

José Carlos Werneck

A candidatura de Sergio Moro à Presidência da República em 2022, pelo Podemos é dada como certa pelos integrantes do partido, e a filiação é aguardada para novembro, quando o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública prometeu responder ao convite que lhe foi feito pela legenda, por estar livre da multa contratual com a consultora internacional Alvarez & Marsal, à qual presta serviços nos Estados Unidos.

O partido acredita que o nome de Moro é o mais viável entre os que já surgiram para encarnar a chamada terceira via, ou seja, uma alternativa diante do cenário da nociva e cruel polarização entre Lula e Jair Bolsonaro.

FILIAÇÃO – Segundo a colunista Bela Megale, de O Globo, o ex-juiz da Lava-Jato Sergio Moro já teria decidido que vai mesmo concorrer às eleições de 2022. O Podemos, partido pelo qual Moro vai se aventurar nas urnas, já teria até marcado para o dia 10 de novembro seu evento de filiação, que deve acontecer no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

Diz a jornalista que Moro teria batido o martelo sobre sua filiação quando esteve no Brasil, no mês passado, para uma rodada de conversas sobre seu futuro político. No ato de filiação, o ex-juiz já estará desligado da empresa Alvarez & Marsal, onde trabalha hoje. Até o fim de outubro, Moro tem inclusive eventos públicos representando a companhia.

O Podemos não descarta que o ato de filiação também possa incluir o anúncio da pré-candidatura de Moro à Presidência. Há, porém, a possibilidade deste anúncio ser feito mais para frente.

LAVA JATO – A candidatura de Moro é considerada uma forma de obter os votos de todos aqueles que defenderam a extinta força-tarefa da Lava Jato, liderada pelo então juiz federal Sergio Moro, em Curitiba.

Na reunião ocorrida recentemente na capital paranaense, com membros do Podemos, participaram do encontro a presidente do partido, deputada Renata Abreu, e os senadores Alvaro Dias, Flávio Arns e Oriovisto Guimarães.

Moro ficou de dar a resposta ao partido até o dia 15 de novembro, duas semanas depois do término de seu contrato, nos Estados Unidos, com a consultoria empresarial Alvarez e Marsal, que não permite que ele exerça atividade política durante a vigência.

TEM CHANCES – Integrantes do partido mostraram a Sergio Moro que há, no País, uma demanda pelo seu nome e que muitos eleitores anseiam pela volta do discurso anticorrupção.

Pesquisas realizadas a pedido de simpatizantes de Sergio Moro mostraram que sua candidatura tem possibilidade de crescimento. Justamente por isso, é a que mais preocupa e irrita tanto a bolsonaristas quanto a petistas, o que é excelente para o Brasil.

20 thoughts on “Candidatura de Sergio Moro é a que mais irrita e preocupa os petistas e os bolsonaristas

    • Não existe “politicamente” burro, isso é uma invencionice de petista que espalha as brasas da corrupção que queima os seus lombos para pegar incautos na esquina.

      Quem pode ser mais burro que o apedeuta Luiz Inácio? Ninguém.

      Basta ver o fato do ex presidiário entrar em conluio com uma empreiteira para fazer duas cozinha iguais em imóveis que “não são seus”.

      Quer mais ou é mole?

      Conta outra.

  1. Depende do Podemos; se encarnarem uma verdadeira Revolução Democrática com a eleição de ‘massa crítica’ para poder governar, aí sim; mas, se ficar igual ao ‘tosco’ que teve que ‘arriar’ as calças para os corruptos de sempre, então será politicamente burro como escreveu o irmão Ricardo+Sales.

    • Se Moro aliar -se à Simone Tebet será imbatíve, e só, vence, também.

      Mesmo se Bolsonaro e Luiz Inácio, tirarem as máscaras, e se unirem, não vencem.

      Até hoje, muitos, não perceberam que os dois são a mesma coisa, ou seja, dois matutos metidos a malandros que disfarçam às suas semelhanças tão mal que até as práticas de deboche ao povo se tornam claras demais.

      A única diferença que um é ex e o outro futuro presidiário.

      Notaram?

  2. O povo brasileiro, assim como os judeus, espera por um Messias. Este que esta ai, o Jair, não deu, “bateu na trave”,
    Quem sabe um outro, que ainda não tenha os vícios da política, venha e de uma arrumada nesta esculhambação chamada de república.
    O Sergio Moro, seria um bom nome, mas tem que antes combinar com o eleitorado, para deixar essa “catréfa” que hoje infelicita o pais, toda em casa.
    Vamos eleger gente nova para todos os cargos, porque um presidente novo, com essa bandidagem de volta a Brasília, vai ser apenas “chover no molhado”.
    Tudo novo no parlamento e também lá no pretório dos excelsos.

  3. Mister Moro, é liberal,conservador, progressista,ou caipira do Paraná.??

    Quem sabe olhando com lupa é o Sherlock da CIA.

    Mas qual seu projeto de governo.???
    Qual suas déias ?

    Qual sua bagagem ?

    Mínimo que seja como Vereador ou Prefeito.????

    Como gostam de sofrer essa gente,a procura de um milagreiro…

  4. Se Moro não atender aos desmandos da esquerda e se eleger, não governa.
    Farão com ele o que fazem com Bolsonaro.
    Ele gosta de refrescar os tucanos e escarmentar os petralhas. Hehehehe

  5. A bata dele está assando.
    Se for experto se candidata a qq cargo que lhe dê foro previlegiado. Vai precisar. Após o último julgamento ainda pendente (o dos caças Gripen) Moro vai ter que pagar os 580 dias de cadeia do Lula.

  6. Quando ouço o argumento:

    “Qualquer um é melhor que qualquer um dos dois – referindo-se ao ex-sinistro amoral -, defensor do “excludente de ilicitude” e “perdoador” das roubalheiras do sinistro Lorenzoni

    … é dar destino ao próprio voto como se fosse algo para se dar descarga.

    De todo modo, as boas e puras almas que foram capazes de votar num notório criminoso miliciano -por que não votariam em quem se acumpliciou com tal criminoso?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *