Polícia Federal pressiona o governo para priorizar combate à corrupção

Wilson Lima
iG Brasília

Os delegados da Polícia Federal (PF) pretendem, a partir do mês de abril, pressionar o governo federal a priorizar e intensificar as operações de combate à corrupção em todo o Brasil. A intenção é formalizar um documento que sugira concentração das atribuições dos policiais federais nessa linha de investigação. A proposta será apresentada à atual direção da PF e ao Ministério da Justiça.

Os delegados vão discutir como definir essas atribuições de forma mais clara durante o VI Congresso Nacional dos Delegados de Polícia Federal (CNDPF). O evento ocorrerá entre os dias 2 e 5 de abril em Vila Velha, Espírito Santo. A expectativa é de que pelo menos 250 delegados participem do encontro.

Segundo o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Marcos Leôncio Ribeiro, os delegados tentam discutir com a direção do órgão uma política de priorização de funções. “Para sermos eficientes, temos de ser mais seletivos”, disse Ribeiro.

LAVAGEM E DESVIO

Os delegados querem que os policiais federais priorizem investigações contra corrupção (o que envolveria também lavagem de dinheiro e desvios de recursos públicos), grupos criminosos transnacionais ou interestaduais. Os demais crimes, como por exemplo furtos de cargas, nesse modelo, perderiam prioridade dentro do órgão. “O foco deve se basear no que a sociedade espera”, declarou Ribeiro.

Os delegados também querem discutir essa “nova PF” com o Ministério Público e com o Congresso Nacional. Eles pretendem estimular que parlamentares apresentem projetos de lei que definam essas prioridades para a PF nos próximos anos.

Hoje, a Polícia Federal acumula várias atribuições. Elas vão desde questões administrativas, como a emissão de passaportes, a investigações de tráfico de drogas, crimes contra a corrupção e sobre falsificação de dinheiro. Dados do órgão apontam que, no ano passado, foram realizadas 301 operações especiais. Destas, 56 foram específicas para combater a corrupção.

Ao todo, o órgão instaurou em 2013 108 mil inquéritos. Destes, cerca de 12 mil eram relacionados a crimes de corrupção, desvio de recursos e lavagem de dinheiro. Esses inquéritos, conforme a PF, apuram irregularidades que chegam a R$ 15 bilhões em movimentações.

Na atual gestão, tanto delegados quanto agentes já se manifestaram contra o tratamento mais intenso dado pelo governo para o combate ao tráfico de drogas, o monitoramento das fronteiras e o apoio aos grandes eventos, como as visitas do papa Francisco e a Copa das Confederações.

Apesar de pretender pressionar o governo a intensificar o combate à corrupção, os delegados querem discutir com a sociedade a nova missão da PF. “Temos de estabelecer e planejar a Polícia Federal do século XXI e essa discussão terá a participação da sociedade”, disse Ribeiro.

Rússia reconhece Crimeia como estado independente e soberano

Deu no IG

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, reconheceu a estratégica Península da Crimeia como “um país independente e soberano” nesta segunda-feira, poucas horas depois de a região ter declarado que se separou da Ucrânia.

Putin discursará para as duas Casas do Parlamento russa sobre a situação da Crimeia na terça-feira. As medidas desataram as sanções mais duras do Ocidente contra a Rússia desde a Guerra Fria — com Washington e a União Europeia (UE) retaliando com congelamento de bens e proibições de viagem e com o presidente dos EUA, Barack Obama, prometendo “aumentar o custo” se o Kremlin não recuar.

Esquerda X direita

 João Alberto Kirsch

Com quase 60 anos, o sujeito percebe a idiotice de se polarizar a política mundial em contra ou a favor. Pelos comentários acima, o fato de ter afrontado os EUA torna a Rússia, e o Putin, heróis mundiais. Pela lógica Venezuela, Irã, Cuba trilham o mesmo caminho.

Mesmo detestando o “american way of life”, e suas hipocrisias históricas, porque isso me faz amar o Putin, o Chávez ou quem quer que seja o ditador? Porque um genocídio de esquerda é melhor do que da direita? O que os russos estão fazendo é diferente do que os americanos já fizeram???

Alguém que está achando a crise na Ucrânia linda, quase romântica, como disseram o Suplicy e o Caetano sobre o terrorismo dos black-blocs, poderia fazer o favor de responder, sem me acusar de pertencer a um grupo de interesses de um ou outro lado?

Condenado no mensalão é preso em operação da Polícia Federal

Condenado no mensalão é preso em operação da PFFausto Macedo
Estadão

O ex-sócio da operadora Bônus-Banval, Enivaldo Quadrado, condenado ao cumprimento de penas alternativas no processo do mensalão, está entre os presos na operação Lava-Jato, deflagrada nesta segunda-feira, 17, pela Polícia Federal para desarticular uma rede de lavagem de dinheiro em seis Estados e no Distrito Federal.

De acordo com as investigações, operações financeiras suspeitas ligadas às organizações superam o valor de R$ 10 bilhões. Ao todo, a PF já cumpriu 24 mandados de prisão durante a Operação. Ao menos R$ 5 milhões foram apreendidos pela polícia.

Entre os presos está o doleiro Carlos Habib Chater. Veículos de luxo também foram apreendidos, além de dinheiro em espécie – a quantia ainda não foi informada.

 
Entre os pertences apreendidos pela PF estão relóg

Obama parece bem consciente dos limites do que os EUA podem fazer para retaliar contra a Rússia

MK Bhadrakumar
Indian Punchline

Quando um especialista em Rússia, de grande reputação, Stephen Cohen, da New York University, diz que os EUA estão a dois passos de uma Crise dos Mísseis de Cuba e, pela primeira vez, a três passos de uma guerra contra a Rússia, as coisas parecem sombrias. Cohen insiste: “Temos de conseguir pôr em andamento uma negociação…

Mas os EUA estão-se preparando para confronto militar com a Rússia? Parece, mais, que está em andamento uma campanha diplomática para isolar a Rússia. Os telefonemas do presidente Barack Obama a seus contrapartes, o chinês e o cazaque, na 2ª-feira, não são coisas de rotina.

Os EUA esperam empurrar China e Cazaquistão para posição de neutralidade. Obama tocou numa corda sensível para ambas as capitais, Pequim e Astana – a santidade da integridade territorial dos estados-nações.

Significativamente, Obama conclamou o presidente Nurusultan Nazarbayev, do Cazaquistão, a assumir papel “ativo” na crise da Ucrânia. Depois disso, a imprensa-empresa norte-americana tem insinuado que Nazarbayev teria cancelado visita marcada a Moscou, na 3ª-feira.

“LEGITIMAÇÃO”

No que tenha a ver com os EUA, a visita do primeiro-ministro do governo de Kiev, Arsenyi Yatsenyuk, à Casa Branca e ao Capitólio na quarta-feira, é o fecho da história, quero dizer, significa que o novo governo de Kiev recebeu legitimação internacional.

Em resumo: a partir desse ponto, se o referendo na Crimeia seguir adiante como planejado, haverá pouco o que discutir com a Rússia. Na 5ª-feira, Yatsenyuk deve falar ao Conselho de Segurança da ONU em New York, ao mesmo tempo em que uma delegação do Congresso dos EUA, liderada pelo irascível senador McCain chega a Kiev.

Preveem-se discursos fortes. Outra vez, o real significado da Resolução aprovada na Câmara de Deputados dos EUA na 3ª-feira, condenando a “intervenção” russa na Crimeia, está no grande apoio que recebeu. Baseado nisso, o establishment político de Washington exige que Obama seja duro no caso da Ucrânia.

Mas até aqui, além de declarações fortes, há bem pouco que os EUA possam fazer para deter a Rússia. Até aqui, as sanções não têm capacidade para realmente cortar fundo.

SOBERANIA

Enquanto isso, o Parlamento em Kiev invocou as promessas de segurança feitas por EUA e Grã-Bretanha em 1994, como garantidores da soberania da Ucrânia, para que usem todas as medidas, inclusive militares, para conter a “agressão” da Rússia. Tecnicamente, se militares de EUA e/ou Grã-Bretanha se envolverem, a OTAN estará automaticamente envolvida.

Na 2ª-feira, a OTAN também anunciou sua intenção de mobilizar equipamento aéreo embarcado de reconhecimento [orig. AWACS] na Polônia e na Romenia, “para aumentar o conhecimento situacional da aliança”. Na 3ª-feira, a Rússia iniciou manobras massivas envolvendo uma divisão aérea embarcada em condições de combate simulado.
Mas… o que mais podem fazer EUA ou OTAN?

O fato que não podem alterar é que o exército ucraniano não obedecerá ordens dos novos líderes em Kiev.

Mais importante: os comandantes militares ucranianos que foram treinados na Rússia  e mantêm relação muito próxima com seus contrapartes russos, jamais combaterão contra forças armadas russas.

INTERVENÇÃO MILITAR???

Isso significa que, se EUA ou OTAN quiserem intervir militarmente em futuro próximo, terão de agir eles mesmos, quer dizer, terão de pôr os próprios coturnos em solo, como se diz.

Dito em termos simples, é ideia inconcebível, num momento em que dois terços da opinião pública britânica opõe-se a qualquer intervenção do Reino Unido na Ucrânia.
Em termos ainda mais claros, portanto, se o referendo na Crimeia decidir a favor de uma integração à Rússia, e se Moscou aceitar a integração, nada haverá que EUA ou seus aliados da OTAN possam fazer para impedir. O governo Obama parece bem consciente dos limites do que os EUA podem fazer para retaliar contra a Rússia.

(artigo enviado por Sergio Caldieri)

Advogados dos mensaleiros estudam pedir revisão criminal e até buscar tribunais internacionais para livrar os réus


Deu em O Tempo

Mal o Supremo Tribunal Federal (STF) decretou o veredicto final para o processo do mensalão, alguns dos principais criminalistas do país, defensores de réus do processo, já estudam medidas que poderão manter em aberto o caso, pelo menos formalmente. Eles planejam recorrer a pelo menos duas linhas de ação: revisão criminal e levar a demanda às cortes internacionais.

“Todos os recursos cabíveis para demonstrar a inocência do meu cliente serão apresentados no momento oportuno”, disse o criminalista José Luís Oliveira Lima, que defende o ex-ministro José Dirceu. “Respeito a decisão do STF, mas discordo do seu fundamento. Ficou demonstrado de maneira cabal, com prova documental e testemunhal, a total improcedência da acusação”, completou.

Para Oliveira Lima, a absolvição de Dirceu do crime de quadrilha “atingiu o cerne, o coração da denúncia e irá contribuir para o recurso que no futuro será apresentado”. José Dirceu foi um dos oito réus que entraram com embargos infringentes e tiveram direito a um novo julgamento pelo crime de formação de quadrilha. Todos foram absolvidos na segunda etapa.

O advogado Marcelo Leonardo, que defende Marcos Valério – condenado como o operador do mensalão –, disse que se houver apelação à corte internacional irá “mostrar que o STF julgou a causa em instância única em relação a pessoas que não têm foro de prerrogativa de função”. “O Supremo violou a garantia do duplo grau de jurisdição”, afirmou, em referência ao fato de seu cliente não possuir foro privilegiado.

O criminalista Alberto Zacharias Toron, defensor do ex-deputado João Paulo Cunha, declarou: “Neste caso (mensalão), não temos nulidade, talvez venhamos a ter alguma prova nova. Estamos estudando a possibilidade de pedir revisão por condenação contrária à evidência dos autos”. Anteontem, João Paulo Cunha foi absolvido da acusação de lavagem de dinheiro.

ESTRATÉGIA

O advogado Luiz Fernando Pacheco, defensor de José Genoino, tem outra estratégia. “Não pretendemos ingressar com pedido de revisão, por enquanto. A instituição Supremo é multissecular, perene. Mas os seus membros vão passar. E quando passarem as paixões políticas que os contaminaram nesse julgamento absolutamente injusto, aí vai ser a hora de entrarmos com revisão criminal.”

Genoino também foi absolvido do crime de formação de quadrilha, assim como os colegas petistas José Dirceu e Delúbio Soares, tesoureiro do partido à época do esquema do mensalão.

Auditoria interna sobre propinas na Petrobras vai atrasar…

Danilo Fariello 
O Globo

BRASÍLIA e RIO – A conclusão da auditoria interna aberta pela Petrobras, no início de fevereiro, para apurar denúncias de pagamento de propina a dirigentes da estatal por funcionários da SBM Offshore, empresa holandesa de aluguel de navios, deve atrasar 15 dias em relação ao prazo inicial previsto, de 30 dias. A informação foi repassada ao ministro-chefe da Controladoria Geral da União, Jorge Hage, pela direção da Petrobras. A CGU espera as conclusões desse inquérito para avançar no trabalho de investigação das denúncias.

— Estou calculando que antes do fim do mês de março a Petrobras esteja nos remetendo o resultado final dessa investigação interna — disse Hage ao Globo.

Na semana passada, a CGU colocou um de seus servidores em contato com autoridades da Holanda e deverá enviar a Washington, na próxima semana, outro representante para propor convênio entre os países na investigação das denúncias de suborno. A CGU que firmar com esses países acordos de cooperação para acelerar a apuração do caso.

Segundo ele, não há previsão de cooperação internacional em processos administrativos, como o atual, entre os países envolvidos, mas apenas acordos na esfera criminal. Por isso, a CGU antecipou-se em demandar desses países esses acordos bilaterais para troca de informações ao longo da apuração das denúncias, o que ainda precisa passar pelo crivo das autoridades de EUA e Holanda.

No caso dos EUA, não apenas o Departamento da Justiça, mas também a SEC, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) americana, passou a investigar o caso por conta da participação da SBM na bolsa americana. O governo brasileiro quer cooperar com as investigações do exterior e também obter o apoio desses países nas investigações sobre o envolvimento da Petrobras no caso.

ESTRATÉGIAS

— Eles ÉG(EUA e Holanda) ainda não nos pediram nada, o Brasil é o país demandante dessas cooperações. Estou pedindo informações, mas, na verdade, eles ainda não têm praticamente nada. Mas amanhã ou depois terão e, quando tiverem o procedimento em andamento, poderei pedir a eventual oitiva de uma testemunha, a eventual tomada de um depoimento e uma eventual medida de busca e apreensão que seja mais viável ser feita lá do que por nós — disse Hage.

Minoritários da Petrobras, Eletrobras e da OGPar (petroleira de Eike Batista) estiveram reunidos em São Paulo por dois dias esta semana, a fim de traçar estratégias para denunciar supostos crimes cometidos pelas empresas.

Estiveram presentes no encontro desembargadores e procuradores federais. A ideia é reunir documentos e denunciar as empresas à Security Exchange Comission (SEC).

DOIS CASOS

No caso da Petrobras, estão na mira dos acionistas o suposto pagamento de propina pela SBM e o caso da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, sobre a qual recaem suspeitas de superfaturamento.

A polêmica envolvendo a Petrobras e a empresa holandesa SBM Offshore veio à tona em fevereiro deste ano, quando a mídia holandesa publicou reportagem levantando suspeitas de pagamento de propinas pela SBM à estatal brasileira.

Segundo denúncia de um ex-funcionário da SBM, a companhia mantinha um esquema de suborno em vários países para obter vantagens em contratos de afretamento e operação de plataforma, que teria alcançado a cifra de US$ 250 milhões. Desses, US$ 139 milhões teriam sido repassados à Petrobras.

(Colaborou Danielle Nogueira)

PMDB pode virar oposição a Dilma em 13 Estados

Deu em O Tempo

Em crise com o PT e o Planalto, o PMDB poderá fechar alianças regionais com Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) em até 13 Estados. Nas últimas semanas, à medida que se intensificaram as rusgas entre governo e peemedebistas, avançaram negociações em Estados como Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

Além deles, em Minas Gerais, Roraima, Amapá, Piauí, Rio Grande do Sul e Paraná há focos de tensão que poderão levar os peemedebistas desses locais a também seguir com Aécio ou Campos. Na Bahia, em Pernambuco e no Acre, já está definido que o PMDB, principal legenda da base do governo Dilma Rousseff, integrará coligações que farão campanha para um dos dois adversários da petista.

Em Minas Gerais, o presidente tucano no Estado se reuniu na semana passada com o diretório do PMDB mineiro e formalizou o convite para compor a aliança que tem o ex-ministro Pimenta da Veiga (PSDB) como cabeça de chapa ao governo. Rachado, o PMDB não deu uma resposta direta, nem demonstrou tendência hegemônica de sim ou de não ao convite.

No Rio Grande do Norte, berço político do presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), o PMDB deverá se aliar ao PSDB, abrindo palanque para Aécio. O próprio Alves é cotado para a disputa. O PMDB do Rio, que rompeu com o PT após o partido lançar o senador Lindbergh Farias para disputar o governo contra o atual vice-governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), também acena com o apoio a Aécio, embora o governador Sérgio Cabral insista em garantir que o partido no Estado fará campanha para Dilma.

PALANQUE DUPLO

No Ceará, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, quer ser candidato a governador com apoio do Planalto, mas conversa com o tucano Tasso Jereissati, possível candidato ao Senado. Eunício afirma que apoiará a reeleição de Dilma, mas que não vê problema em se aliar ao PSDB de Tasso. “Não concordo com alianças locais diferentes das nacionais. Mas, já que a legislação dá essa possibilidade, o PMDB não teria problema em formar chapa com qualquer sigla”, argumenta o senador cearense.

O mesmo ocorre na Paraíba, onde o PMDB abriu conversas com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que rompeu recentemente com o governador Ricardo Coutinho, do PSB de Eduardo Campos.

Lula não é “candidato”, mas seu Instituto vai coordenar a candidatura de Dilma

José Carlos Werneck

Essa é especialmente destinada à “velhinha de Taubaté”!

Segundo a Agência Estado,a campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição vai “importar” um diretor do Instituto Lula para a equipe. A ideia é sintonizar os planos da candidata e de seu antecessor, e das agendas de ambos nos palanques. Lula afirmou a dirigentes petistas que, também, atuará como “vendedor ambulante” da gestão Dilma em reuniões individuais com empresários, sindicalistas e representantes de movimentos sociais descontentes com o governo.

O PT quer que Clara Ant, diretora do Instituto Lula, organize os compromissos do ex-presidente com a equipe da campanha. Em 2010, ela foi a coordenadora do grupo que cuidava dos subsídios para o discurso de Dilma, com  todos os pormenores dos programas governamentais de Lula.

Até agora, porém, nem Dilma nem Lula definiram quem fará a “ponte” do Instituto Lula  com a campanha. Atualmente, Clara dirige, em São Paulo, o projeto Iniciativa África e coordena a agenda do ex-presidente.

Gilberto Carvalho, chefe da Secretaria-Geral da Presidência, , deve ser o único ministro a integrar a equipe da reeleição. Ele tentará apaziguar a tensa relação de Dilma com os movimentos sociais e aproximá-la da Igreja Católica e dos evangélicos. É, o mesmo papel que tem,agora,no Governo, mas a preocupação maior da campanha, no momento, é a aproximação com setores que se afastaram do PT, para conter os protestos populares durante a Copa do Mundo.

O chefe de gabinete de Dilma, Giles Azevedo, deixou sexta-feira, o Palácio do Planalto e, na próxima semana, se reunirá com dirigentes do PT. No núcleo da campanha, ele ficará responsável pela agenda da candidata, em conjunto com o Instituto Lula. Giles acompanha Dilma desde a época em que ela foi secretária de Minas, Energia e Comunicações do Rio Grande do Sul no governo Olívio Dutra.

Tudo bem. A cúpula do PT tem se empenhado para desfazer rumores sobre divergências entre Dilma  e Lula. Na quarta-feira de Cinzas, o Instituto Lula divulgou foto dos dois em encontro no Palácio da Alvorada, com  coordenadores da campanha. Ambos estavam sorridentes e de mãos dadas.

O escritório político da equipe da reeleição, em Brasília, deve ficar pronto no próximo mês. e ocupará dois pavimentos do Edifício Embassy Tower. Lá ficarão o presidente do PT, Rui Falcão, e auxiliares como Giles, Charles Capella e Alessandro Teixeira, que cuidará do programa de governo de Dilma. Capella e Teixeira trabalham na Casa Civil e deixarão os cargos na próxima semana.

O jornalista Franklin Martins, ex-ministro de Lula, chefiará a comunicação da campanha, incluindo o monitoramento das redes sociais. Ele terá equipe própria, que trabalhará em outro imóvel.

Dirigentes do PT declararam que a estrutura da campanha será menor do que a de 2010, quando o partido alugou cinco imóveis, em Brasília. Agora, além do comitê, haverá uma casa que servirá de estúdio para o marqueteiro João Santana gravar os programas eleitorais de rádio e TV.

Ministério Público investiga possibilidade de suborno no caso Portuguesa


O promotor do Consumidor, Roberto Senise Lisboa, afirmou em São Paulo que solicitou ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) extratos de “mais de uma dúzia” de pessoas que poderiam estar envolvidas no caso que culminou com a escalação irregular do meia Héverton, da Portuguesa, na partida de 8 de dezembro, contra o Grêmio, no Canindé. Por conta da infração, a Portuguesa perdeu quatro pontos em julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e acabou rebaixada para a Série B da competição em 2014.

O COAF deverá enviar à promotoria extratos com movimentações acima de R$ 100 mil dos investigados. O promotor disse que não pode, neste momento, divulgar os nomes de quem terá o sigilo bancário quebrado. De acordo com o promotor, já é possível dizer que há movimentações acima do limite de R$ 100 mil entre os envolvidos no período em questão.

“Estamos fazendo uma investigação cível para saber se houve tráfico de influência (suborno) para que o jogador Héverton fosse escalado ou ainda permanecesse no banco de reservas. Também investigamos se houve patrocínio infiel, ou seja, um advogado atuando em um caso de interesses conflitantes”, disse o promotor.

Segundo ele, a promotoria entrou nesta sexta-feira com um recurso de agravo de instrumento por conta da negativa do pedido de liminar que buscava anular as decisões do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, que puniu Flamengo e Portuguesa com a perda de quatro pontos no Brasileiro do ano passado, por terem entrado em campo com jogadores irregulares, ainda que as publicações não tivessem sido públicas na data dos jogos. O pedido foi negado pelo juiz da 43ª Vara Cível de São Paulo, Fábio Coimbra Junqueira.

De acordo com Senise, houve omissão em nove questões colocadas na petição inicial. “A ação prosseguirá e na próxima semana deverá ser avaliada novamente. Para o Ministério Público, é evidente que o parágrafo 35 do Código de Defesa do Estatuto do Torcedor não foi levado em conta.

O código prevê que as decisões proferidas pelos órgãos da Justiça Desportiva devem ser, em qualquer hipótese, motivadas e ter a mesma publicidade que as decisões dos tribunais federas. As entidades de que trata o caput farão publicar na internet, em sítio da entidade responsável pela organização do evento (no caso, a CBF). Senise lembra também lembra que houve prejuízo aos torcedores e ao clube por conta dessa não observância.

Caso Banif

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) está investigando há cerca de um mês a relação do Banco Interamericano do Funchal (Banif), ex-patrocinador de camisa da Portuguesa, com ex-dirigentes do clube.

De acordo com o promotor, quando o ex-presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa, assumiu o clube pela primeira vez, em 2005, a Lusa passava por fortes dificuldades financeiras, com dívidas trabalhistas e falta de capital de giro.

A partir de então, o presidente e o vice-presidente, Roberto Cordeiro, passaram a receber empréstimos em suas contas de pessoa física e repassavam esse dinheiro para o clube. O esquema teria durado mais de oito anos, envolvendo também Luís Iaúca, que teve participação na gestão a partir de 2008.

Operações semelhantes eram feitas pelo banco com outras empresas e há fortes indícios de ilícitos financeiros, o que será investigado pelo Gaeco. No início do ano passado, o banco entrou na Justiça para executar uma dívida de R$ 42,8 milhões contraída por Da Lupa. O ex-presidente sempre negou que tomou empréstimos em seu nome para administrar a Portuguesa.

(Matéria enviada pelo comentarista Paulo Peres)

Nem tão otimista nem tão pessimista com a seleção

12

Tostão
O Tempo

Na semana passada, vi muitos jogos bons e ruins, pela Copa do Brasil, pela Libertadores e pela Liga dos Campeões da Europa. Há comentaristas que acham todos os bons jogos e todos os bons jogadores maravilhosos, geniais, extraordinários. Há também o contrário, que todos são medíocres. Procuro não ser tão otimista nem tão pessimista.

Queria ver Ganso e Pato juntos, contra o CSA, de Alagoas. Nesta formação tática, com Pato pelo centro e próximo de Luis Fabiano, Pabon e Osvaldo pelos lados, além de dois volantes, não há lugar para Ganso, pois ele não é um volante nem um armador pelos lados.

Muricy não deve estar dormindo para tentar arrumar lugares para Pato, Ganso e Luis Fabiano. Se não conseguir, vai ficar nervoso. Os repórteres que se preparem para as entrevistas.

Às vezes, as coisas acontecem de estalo, de surpresa, sem planejar. Aí, cria-se uma teoria, até ser desmentida. Teorias explicam tudo, mas só são compreendidas na prática.

LIBERTADORES

Na Libertadores, Grêmio e Newell’s Old Boys, dois fortes candidatos ao título, fizeram um jogo de boa técnica, com organização tática, porém, excessivamente previsível. O Grêmio voltava todo para marcar, mas pouco chegava à frente. Barcos ficou isolado. Não vi a tradicional marcação por pressão, o abafa, característica do Grêmio, quando joga em Porto Alegre. O time argentino, com Banega e Maxi Rodríguez, reservas da seleção, tocou muito bem a bola, mas ameaçou pouco.

Na Liga dos Campeões da Europa, o Barcelona, mesmo sem brilhar intensamente, foi melhor, contra o forte Manchester City. O time catalão perdeu a marcação por pressão, uma grande qualidade da época de Guardiola.

Diego Costa, depois de muitas caneladas na estreia pela seleção da Espanha, brilhou na vitória do Atlético de Madri sobre o Milan. Há duas teorias sobre o futuro de Diego Costa na seleção. Uma é que o time troca muitos passes e só enfrenta defesas fechadas, sem espaço nas costas dos defensores, para o veloz jogador receber a bola na frente. Outra é que, com Diego Costa, ótimo nas jogadas aéreas e nas penetrações, a Espanha vai dar um salto de qualidade. Veremos!

COPA DE 70

Isso me lembra a Copa de 1970. No início, Zagallo achava que a seleção precisava de um atacante alto, forte, para receber a bola dos grandes craques que vinham de trás e finalizar. Por isso, convocou Dario e Roberto. Depois, mudou de ideia. Fui um centroavante armador, um pivô, que tentava facilitar e trocar passes com Pelé, Gerson, Rivelino e Jairzinho.

Mas se Roberto tivesse entrado em meu lugar, antes de sair o gol contra a Inglaterra — ele entrou logo depois —, poderia ter feito o gol da vitória, continuado no time e sido titular da seleção campeã do mundo. Aí, Zagallo, como qualquer outro técnico, diria: “Não falei?”.

Tristezas e sonhos na parceria de João Bosco e Aldir Blanc

O psiquiatra, escritor e compositor carioca Aldir Blanc Mendes, na letra de “O Rancho da Goiabada”, em parceria com João Bosco, mostra que os bóias-frias, apesar de enfrentarem um trabalho pesado durante a semana, em seus momentos de folga, através da bebida, transformam suas tristezas em sonhos.

“O Rancho da Goiabada” faz parte do LP Tranversal do Tempo, gravado por Elis Regina, em 1978, pela Philips.
O RANCHO DA GOIABADA
João Bosco e Aldir Blanc
Os bóias-frias quando tomam umas biritas
Espantando a tristeza
Sonham com bife-a-cavalo, batata-frita
E a sobremesa
É goiabada cascão com muito queijo

Depois café, cigarro e um beijo
De uma mulata chamada Leonor ou Dagmar
Amar
O rádio de pilha, o fogão jacaré, a marmita, o domingo
O bar
Onde tantos iguais se reúnem e contando mentiras
Pra poder suportar

Ai, são pais-de-santo, paus-de-araras, são passistas
São flagelados, são pingentes, balconistas
Palhaços, marcianos, canibais, lírios, pirados
Dançando dormindo de olhos abertos à sombra da alegoria
Dos faraós embalsamados

           (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

Crimeia proclama independência da Ucrânia e dissolve unidades militares

Da France Presse

Simferopol – O Parlamento da Crimeia proclamou nesta segunda-feira (17/3) a independência da península da Ucrânia e a nacionalização de todos os bens do Estado ucraniano em seu território, e pediu a união à Federação Russa. Os 85 deputados aprovaram por unanimidade as medidas, após a vitória esmagadora (96,6%) dos partidários da adesão à Rússia em um referendo no domingo (16/3).

Em texto, aprovado pelo Parlamento em Simferopol, a Crimeia afirmou que a república do país “pede às Nações Unidas e a todos os países do mundo seu reconhecimento como Estado independente”. “A Crimeia pede à Rússia que a aceite como um de seus membros”, completa. O primeiro-ministro da Crimeia, Serguei Axionov, afirmou que a península fará parte da Rússia a partir de 30 de março, apesar de ter anunciado previamente que o período de transição levaria pelo menos um ano.

NA FEDERAÇÃO RUSSA

Uma delegação do Parlamento da Crimeia viajará nesta segunda-feira a Moscou, onde o Parlamento russo pretende votar nesta segunda-feira a integração da Crimeia à Federação Russa. A nacionalização de todos os bens do Estado ucraniano na Crimeia pode incluir as bases militares cercadas desde o fim de fevereiro por civis pró-Moscou e soldados enviados pela Rússia.

No momento, o presidente do Parlamento da Crimeia, Volodimir Konstantinov, anunciou a dissolução de todas as unidades militares ucranianas com base na península. “Aqueles (militares) que desejam viver aqui poderão fazê-lo. Examinaremos a questão entre aqueles que prestem juramento às novas autoridades”, disse.

A crise entre a Presidente Dilma e os políticos “descontentes” (PARTE II)

José Carlos Werneck

Todas as pesquisas, feitas até hoje, que avaliaram o desempenho do governo da presidente Dilma Rousseff também apontaram aqueles itens que a população acha que devem ser corrigidos, e é aí que Dilma deve concentrar seus esforços para conseguir apoio do eleitorado.

A presidente deve prestar atenção nos dados abaixo transcritos de uma pesquisa feita ,em 2012, e fazer os necessários acertos nesses itens:

A área com pior avaliação é a de impostos. A carga tributária brasileira foi desaprovada por 65% da população, seguida pelas áreas de saúde (63%) e segurança pública (61%).

As altas taxas de juros cobradas nos empréstimos também são motivo de profundo descontentamento para aqueles que têm de fazer empréstimos em estabelecimentos financeiros.

No Brasil, o”spread’ bancário é risível, o que inclusive desestimula a poupança e é sabido que nenhum país consegue ter uma economia autossustentável sem uma poupança interna robusta.

Os bancos brasileiros cobram dos tomadores de empréstimos  juros de agiotas e remuneram os poupadores com taxas ridículas.

Quanto aos juros praticados pelos bancos brasileiros, Dilma já deu a resposta quando determinou a redução das taxas por parte dos estabelecimentos governamentais, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, medida que já foi posta em prática com total apoio da população.

A presidente tomou algumas medidas, embora ainda muito tímidas, no que diz respeito a nossa carga tributária, uma das mais altas do mundo, com o agravante que a população tem um péssimo retorno daquilo que lhe é cobrado por parte do Governo.

A população também clama por melhores serviços de Segurança, Saúde e Educação Públicas.

Realmente nossos serviços públicos de Educação, Saúde e Segurança são de péssima ou nenhuma qualidade e representam uma verdadeira ofensa a todo o povo brasileiroCO

CORREÇÃO

São esses os pontos que o eleitor brasileiro gostaria que o Governo fizesse com urgência a correção devida, e a população está coberta de razão e não está pedindo nada além de seus direitos para uma qualidade de vida digna.

Está mais que provado e aprovado que a presidente Dilma Rousseff não precisa do apoio desse amontoado de ninguém, que atende pelo nome pomposo de Base Aliada.

A aprovação pessoal da presidente Dilma Rousseff subiu cinco pontos percentuais e atingiu 77%, de acordo com pesquisa Ibope encomendada,em 2012, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) . Na pesquisa anterior, o índice dos eleitores que aprovavam a maneira de Dilma de governar era de 72%.

Cito esses dados,porque que a consulta ocorreu logo em seguida ao auge de uma das crises  do Governo com a Base Aliada, quando o Governo sofreu derrotas em votações importantes e a presidente trocou os líderes do Governo na Câmara e no Senado para tentar solucionar o impasse, o que fez cair por terra todas as previsões catastróficas dos adeptos da tese da ingovernabilidade, sem o apoio da Base Aliada.

COMPARAÇÃO A LULA

Em relação ao ex-presidente Lula, Dilma apresentou maior popularidade em comparação com os dois primeiros anos dos dois mandatos de seu antecessor. Em março do segundo ano do segundo mandato, Lula tinha 73%. A melhor avaliação de Lula, no mesmo período, foi obtida em março de 2003, quando chegou a 75%. No último Ibope de seu governo, em dezembro de 2010, o ex-presidente obteve 87% de aprovação.

Esta pesquisa mostrou que assuntos críticos para o governo,à época, como os conflitos com a base aliada e a votação do Código Florestal, foram pouco lembrados pelos entrevistados na consulta. A crise com a base foi lembrada,apenas, por 4% dos eleitores,o que mostra que o povo não dá a menor importância para as sinistras figuras do toma lá,dá cá.

O Brasil precisa de alguém, que sem disparar um único tiro e usando só a caneta, desmantele um esquema, viciado e bolorento, que há muitos governos está encastelado na política brasileira, para tristeza, desânimo e desilusão dos cidadãos de bem.

A população sempre aprova medidas tomadas pela presidente Dilma Rousseff, desmontando os velhos feudos da política brasileira. Dilma deve continuar firme em seus propósitos saneadores. A presidente, certa vez, afirmou que iria fazer uma “faxina” em seu Governo. Com a “crise’ que surgiu, tem agora uma excelente oportunidade. Vai precisar de muito desinfetante, água e sabão!

(Conclui amanhã)

Miro condena loteamento de ministérios “em troca de alguns minutos de televisão”

José Carlos Werneck

O deputado federal do PROS, Miro Teixeira , pré-candidato ao governo do Estado do  Rio   de Janeiro, criticou o loteamento de ministérios pelo Governo Federal, “em troca de alguns minutos na televisão”. “A chantagem se manifesta e o governo se curva. Faz um povo fraco. Não tem acordo programático. Eles só fazem acordo pornográfico. Tem que tirar as crianças da sala”.

As declarações foram feitas no Rio,na abertura do Seminário Regional Programático da aliança PSB, PPS e Rede Sustentabilidade. Eduardo Campos, governador  de Pernambuco, a ex-senadora Marina Silva e Roberto Freire presidente nacional do PPS, também, estiveram presentes ao encontro.

Este é o segundo evento regional,promovido pela coligação  e vai ser um fórum de debates  de temas atinentes ao Sudeste do País, além de,questões como Economia para o Desenvolvimento Sustentável, Educação, Cultura, Inovação, Políticas Sociais e Urbanismo. Até 26 de abril próximo, serão realizados seminários regionais em Goiânia, Recife  e Manaus, para o lançamento,em junho,  do Programa de Governo da aliança.

PMDB acusa PT de tramar para crescer enfraquecendo a base aliada

Antonio Rafael Costa

As derrotas impostas ao governo na Câmara durante a semana passada escancararam o descontentamento da base com a reforma ministerial e a política de liberação de emendas do Palácio do Planalto. A rebelião, porém, traz em sua essência o temor de que o PT fragmente os partidos aliados e cresça nas eleições de outubro justamente sobre eles, para obter hegemonia no Congresso.

Segundo líderes de partidos aliados, ouvidos pelos jornalistas do “Estadão”, esse é, na verdade, o principal motivo da crise enfrentada por Dilma Rousseff na Câmara. Os parlamentares que dão sustentação à presidente acusam o PT de promover rompimentos em Estados-chave e buscar exclusividade na hora de faturar politicamente com ações do governo. Tudo para conseguir eleger sua maior bancada da história na Câmara.

Ao mesmo tempo, os petistas incentivam cisões internas nos partidos da base para provocar seu enfraquecimento. Por essa tática, o ideal para os petistas seria ter partidos com no máximo 60 deputados. Com isso, seu poder de fogo na hora das negociações cresceria significativamente. Hoje o PT tem a maior bancada da Câmara, com 87 deputados. A expectativa dos dirigentes petistas é elevar esse número para mais de 100 cadeiras.

PMDB SEM PERSPECTIVA

A segunda maior bancada da Câmara é a do PMDB, principal aliado dos petistas no projeto eleitoral de Dilma e detentor da vaga de vice na chapa petista. Hoje há 75 peemedebistas na Câmara. O partido, porém, não tem perspectivas de aumento. Teme, inclusive, perder espaço para o PT. Trata-se de uma previsão compartilhada por outros partidos da base.

Como a oposição já foi reduzida de forma substancial nas eleições de 2010 e sangrou ainda mais com o patrocínio do governo à criação de novas legendas, como PSD e PROS, só resta agora aos petistas crescer em cima dos próprios partidos aliados.

“O ponto principal é que querem crescer em cima da gente”, diz o líder do PTB, Jovair Arantes (GO). “Há um sentimento generalizado, que permeia todos os partidos, de que o PT trabalha ferozmente com um desejo até programático de ter uma maioria folgada de deputados federais”, afirma Moreira Mendes (RO), líder do PSD.

“Estão crescendo às custas do enfraquecimento da base. Todos apoiam o governo e se suicidam”, diz Eduardo Cunha (RJ), líder do PMDB e organizador do “blocão” que abriu guerra contra o Palácio do Planalto.

Entramos na Era Mappo do budismo, e tudo é impermanente

Antonio Rocha

A propósito da Era da Incerteza em que vivemos, descrita pelo economista John Kenneth Galbraith, lembro Nichiren Daishōnin (1222-1282), o monge budista japonês que previu que iríamos entrar na Era Mappo, e já estamos nela. Era da Impaciência em todas as coisas (as pessoas têm dificuldades de parar o carro no sinal vermelho e quanto mais rápida a internet e as tecnologias, mais nos desesperamos com Tempo)…

É também a Era de Autoridades, Lideranças e Elites Egoístas (não podemos generalizar)… Era de Apegos Extremados que tiram vidas e provocam muita dor… Era da Intolerância (em todas as áreas)… Era de Ódios crescentes…

Infelizmente o Materialismo está vencendo, mas como “Tudo é Impermanente”, disse Buda, dois terços da humanidade vão desencarnar em condições de muito sofrimento. Talvez no século 23 o planeta Terra esteja melhor (não é pessimismo, é realismo, apenas realidade, constatando o que é real).