Celso de Mello vê “aparente prática criminosa” em conduta de Weintraub na reunião ministerial

Decano aponta o destacado grau de incivilidade de Weintraub

Rosanne D’Agostino
G1

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), viu possível crime de injúria em declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, no vídeo da reunião ministerial de 22 de abril divulgado nesta sexta-feira, dia 22. “Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”, disse Weintraub no vídeo.

Na decisão em que retira o sigilo da gravação, o decano (mais antigo ministro) do tribunal determina que todos os ministros do Supremo sejam oficiados para que, caso queiram, adotem as medidas cabíveis.

PRÁTICA CRIMINOSA – “Constatei, casualmente, a ocorrência de aparente prática criminosa, que teria sido cometida pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, que, no curso da reunião ministerial realizada em 22/04/2020, no Palácio do Planalto, assim se pronunciou em relação aos ministros do Supremo Tribunal Federal”, escreveu Celso de Mello na decisão.

Segundo o ministro, a declaração “põe em evidência, além do seu destacado grau de incivilidade e de inaceitável grosseria, que tal afirmação configuraria possível delito contra a honra (como o crime de injúria)”.

INVESTIGAÇÃO – A gravação da reunião foi incluída no inquérito aberto pelo STF, a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), para investigar se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal.

“A gente tá perdendo a luta pela liberdade. É isso que o povo tá gritando. Não tá gritando pra ter mais Estado, pra ter mais projetos, pra ter mais… o povo tá gritando por liberdade, ponto. Eu acho que é isso que a gente tá perdendo, tá perdendo mesmo. A ge… o povo tá querendo ver o que me trouxe até aqui. Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF”, disse o ministro da Educação.

14 thoughts on “Celso de Mello vê “aparente prática criminosa” em conduta de Weintraub na reunião ministerial

  1. Boa noite.

    O Ministro Celso de Mello como já dito por mim aqui, está totalmente suspeito neste inquérito ao se reportar aos Ministros militares a virem “depor debaixo de vara”. E agora querendo “fazer busca e apreensão” do celular do Presidente.

    Trocando seis por meia-dúzia, mesmo assim está suspeito.

    Sem cabimento, devemos aguardar, e que ele mantenha tal decisão se tiver coragem. Com a palavra o General Augusto Heleno…

    OBS: Já mudaram o foco.

    • Errado.

      Celso de Mello não decidiu nada. Apenas repassou um pedido de partidos políticos ao PGR. Esse é o trâmite. O PGR é quem vai decidir.

      Vá se informar melhor antes de escrever
      besteira.

    • Vai sonhando Douglas…
      Vai sonhando…
      Suas lentes precisam de uma revisão.
      Ora vem com hipótese de suspeição (violação à garantia de imparcialidade) de ministro , mas tem como exemplo a conduta de outro que já fez inúmeras ameaças à democracia e a resolução de seus problemas de acordo com as leis.
      Vai ler um livro

  2. Por que com a palavra do general Heleno? Ele é o que para ter a última palavra num problema que envolve a vontade do povo? Não venha com ameaça que não cola. Lembre-se: não somos mais 70 milhões em ação…

  3. Segundo “Saulo Ramos”, Celso Mello é um juiz de merda! Não gosto do Weintraub,, mas o “indecoroso” foi porta-voz da maioria dos brasileiros: “bando de vagabundos togados, enroscados até a raiz do “C” com partidos políticos. Gentalha! Aguardo processos…

    • Descordo completamente!
      Francamente, Nelson(!)
      O que devemos esperar de autoridades do Estado é responsabilidade.
      Num exemplo tirado de outras democracias sem dúvida um ministro integrante do governo que falasse tais palavras pediria para deixar o cargo no dia seguinte.
      Particularmente os juízes falam demais, em minha opinião.
      E para piorar, no caso do STF, a exposição ainda é maior pela transmissão das sessões – nenhuma outra corte é tão transparente.

  4. Celso de Mello, juiz de merda, segundo Saulo Ramos.
    Prolixo, pedante e enfadonho.
    Tem 222 áulicos para lamber-lhe as botas.
    Detesta os militares, é um crápula.
    No fim do ano se aposenta com benesses e benefícios espúrios.
    Já remeti um e-mail para este tipo, dizendo quem ele é.
    Sem caráter, jamais poderá se comparar ao General Afonso de Albuquerque lima, meu pai, que não se pejou assinar o AI 5, em 68, por um Brasil melhor.
    Quem viveu à época, sabe do que o Brasil se livrou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *