Ciro, que foi Ministro da Fazenda, joga certo. Mas será apenas ele?

Vicente Limongi Netto:
”Creio que Ciro Gomes joga certo o jogo presidencial. É preciso mostrar que tem cérebro nas decisões. Ciro se mantendo na disputa, amplia seu leque pessoal de barganha e tira do anonimato o partido dele, que, na verdade, não sei nem qual é. Agora, pingentes políticos correligionários de Ciro aparecem no noticiário, botando banca e exigindo mundos e fundos. Os bestalhões de sempre. Reféns dos holofotes fáceis. Ciro sabe que nos próximos meses terá que decidir; fica no jogo ou se afasta para ajudar mais a candidata Dilma. Ciro também tem consciência que com Dilma vencedora, dificilmente deixará de ser ministro, se credenciando para novos embates. Ajudando a vencer Serra, Ciro crescerá muito junto à eleita Dilma e a Lula. Dilma, por sua vez, tratará o Ceará a pão-de-ló”.

Comentário de Helio Fernandes
Não há dúvida, Limongi, só restou ao Ciro a possibilidade e a esperança de apostar no futuro. Tendo sido prefeito e governador no Ceará, ficou sem expectativa lá, mudou o domicílio para São Paulo. Mas como eu disse sempre: marquetismo, que faturou alto, e não candidatura para valer.

Se tivesse cacife eleitoral no Ceará, disputaria uma vaga no Senado, 8 anos de mandato, que maravilha viver. Indo para São Paulo, eleitoralmente ainda mais desfavorável, só restou essa hipótese de “ajudar” Dona Dilma, o que ninguém consegue entender. Mas foi o que sobrou.

Terminando, Limongi: tudo isso, essas opções só podem ser lembradas, imaginadas, jogadas, por causa da idade dele. Se tivesse a idade, digamos, do Serra, nem opção nem esperança.

Serra hoje, tem mais 16 anos do que Ciro. E como este já foi Ministro da Fazenda, quem sabe não repete o cargo com Dona Dilma? Embora esta sonhe com Delfim Netto para o cargo.

Só que desistirá desse Delfim, tomando conhecimento de três coisas. 1 – Lendo seu registro de nascimento. 2 – O espantoso empréstimo para a construção da Ponte Rio-Niterói, com juros que até os ingleses (emprestadores) se envergonhavam. 3 – O Relatório Saraiva, (feito pelo Coronel do mesmo nome) montado quando Delfim era embaixador na França (na época, revelado por este repórter com exclusividade).

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *