Debate foi frio, mas o reflexo no voto não pode ter sido igual a zero

Resultado de imagem para debate na band

Boulos, do PSOL, provocou Jair Bolsonaro, do PSL

Pedro do Coutto

O debate levado ao ar pela Rede Bandeirantes de televisão na noite de quinta-feira, foi frio e certamente não apresentará reflexo maior junto ao eleitorado. Entretanto algum efeito produziu, partindo-se do princípio de que o reflexo não pode ser igual a zero. Vamos ver se o Ibope e o Datafolha divulgam pesquisas neste fim de semana. Aí, sim, poderemos ter o resultado concreto do confronto. Mas vale acentuar que foi o primeiro de uma série de enfrentamentos que serão transmitidos pela televisão. Além disso, valeu a manchete principal de O Globo, edição de ontem, além de ter recebido destaques na Folha de São Paulo, no Estado de São Paulo e no Valor.

O debate apresentou poucos resultados concretos embora tenha sido muito bem conduzido pelo jornalista Ricardo Boechat. O sistema colocado em prática foi muito bom, partindo de perguntas e respostas formuladas entre os candidatos e pelos jornalistas convidados a participar.

CIRO GOMES – Em matéria de desenvoltura, a meu ver, as intervenções de Ciro Gomes foram as mais observadas, apesar da promessa de cobrir as dívidas dos 63 milhões de brasileiros inadimplentes nos mercados comercial e bancário, um compromisso impossível de cumprir.

Não se pode criticar o desempenho de Marina Silva, de Geraldo Alckmin e de Henrique Meirelles. Marina Silva e Alckmin estavam embalados pelo resultado de pesquisas que apresentam percentual em seu favor. Mesmo caso de Bolsonaro, que se encontra em primeiro lugarno cenário sem candidato do PT, mas Henrique Meirelles está muito abaixo da escala do voto.

Aliás, por falar em pesquisa, acredito que nenhuma delas poderá fornecer resultado capaz de espelhar a sociedade brasileira, sem que nela esteja presente o candidato efetivo do PT.

É INELEGÍVEL – Lula já se convenceu de sua inelegibilidade, tanto assim que em declarações ao O Globo de ontem afirmou em carta colocada à divulgação que o direito do povo foi violado no campo do debate promovido pela Rede Bandeirante. A afirmação não é verdadeira, o direito do povo não foi violado e sim deixado em aberto pela vacilação do próprio PT. O Partido dos Trabalhadores, ao formalizar a indicação de Lula para as urnas de outubro, deixou um espaço aberto que criou uma indefinição quanto à manifestação popular.

Tanto assim que num lance inédito no campo político, a legenda apresentou dois candidatos a vice e nenhum nome capaz de substituir o de Lula na maratona eleitoral deste ano. Afirma-se que o substituto seja o ex-prefeito da cidade de São Paulo Fernando Haddad. Mas sem um pronunciamento efetivo do ex-presidente, deixa dúvidas quanto à escolha final de sua legenda.

CUMPRINDO PENA – Lula, inclusive, não poderia se pronunciar oficialmente, pois se encontra condenado pela Justiça e cumprindo pena na prisão. Entretanto. o PT terá que se definir até o próximo dia 15. Nesse ponto então deve homologar Fernando Haddad com Manoela D’Avila de vice.

Somente a partir daí o Ibope e o Datafolha terão condições de realizar uma pesquisa completa.

17 thoughts on “Debate foi frio, mas o reflexo no voto não pode ter sido igual a zero

  1. Debate morno com participação um pouco mais, pouco menos, dos candidatos, à exceção do inacreditável Cabo Daciolo (o que é aquilo?), e do bufão -saltitante do tal Boulis-Bobo que deram um show de estupidez, de breguice, de despreparo e tudo o que um presidente da república não pode ser.

  2. Os debates deveriam ser feitos apenas com os candidatos relevantes, como nos Estados Unidos. Mas aqui o excesso de candidatos e de regras, com réplicas, tréplicas, perguntas mais longas que as respostas, torna os debates cansativos de se assistir.

  3. O caráter morno do debate é compreensível, se tratando do primeiro, os candidatos estão medindo o terreno, foi o primeiro ato oficial de campanha, acho que a partir de agora as posições vão se clarear melhor.

    As pessoas têm que se conscientizar que esquerda, direita, social-democratas, democratas-cristãos, liberais, leninistas, fascistas, etc., etc., sempre vão existir. É ilusão pretender a simples eliminação física, o desaparecimento daqueles que pensam diferente.

    O que é legítimo, numa sociedade democrática, é a busca pela hegemonia, através do debate público, da disputa política civilizada, que pode levar, e requer sempre, a um certo grau de consenso, ainda que provisório.

    E por aí que se resolve a tão falada e decantada questão da governabilidade, pretexto para justificar as velhas práticas do balcão de negócios.

    Sobretudo levando em conta as condições econômicas do país que o próximo presidente eleito vai encontrar, saber fazer essa costura é fundamental, para recolocar o Brasil nos eixos.

  4. Virgílio, os bancos gostam de dividir a riqueza, mas dividir entre eles.

    Tive um professor na faculdade que disse a seguinte frase e não era “esquerdista”, era diretor de multinacional.

    Frase: a verdadeira revolução é a revolução do estômago.

    Já não estaríamos nesta revolução???

    E a solução é combater a causa porque não combatendo a causa ficaremos combatendo a consequência eternamente.

  5. Aqui no TI uns Matusaléns propagavam todos os dias que “Bolsonaro vai ser destruído nos debates”, quem lembra?.

    Roda Viva.
    GloboNews.
    Band.

    Até o momento nada aconteceu de fato, pois todos estão enrolados no sistema de corrupção, e somente o Bolsonaro pode d fato num debate apontar o dedo na cara dos outros é falar com propriedade.

    • Alex, todos sabemos que o poder econômico governa a maioria dos países, quando não eles destroem a pessoa do presidente.

      Mas aqui era meio que disfarçado, a maioria do povo não entendia isso, agora está escancarado.

      Um candidato dizer que as leis trabalhistas precisam beirar a informalidade, que toda sua prole está na política, que se aposentou/reformou pelo exército com 16 anos de atividade, atividades essas que não condizem com um militar, nunca poderia estar bem colocado nas pesquisas. Só aqui no Brasil.

      • Se um presidiário notório safado pode, porque o Bolsonaro não pode?
        Todos que meteram a mão na grana da saúde, educação, investimento foram obrigados pelo poder econômico?

        • Sr. al, concordo contigo em parte, presidiário tem de ficar no presídio, mas nós temos dezenas de políticos que deveriam estar atrás das grades não é mesmo?

          Mas a justiça é mais rápida e justiceira com o PT, já com o psdb e a turma do Temer, é uma tartaruga.

  6. Na próxima eleição para governador de SP, já podem incluir as intenções de voto para Marcola. Vai virar moda presidiário tentar vencer alguma eleição.

  7. Hoje não da mais para um presidenciável vir ao debate dizer eu vou fazer isso,fazer aquilo. Suas ideias dependerão da vontade de um congresso que tem no sangue o DNA da corrupção.Acredito que cada um, de acordo com sua indignação deveria esclarecer essa verdade aos telespectadores e dizer apenas os vícios políticos que não repetirá e os erros que não irá cometer… No mais será tudo balela,conversa fiada e mentiras decoradas para a época.É preciso mudar o discurso.

  8. Não entendi nada , é o lula que tem que se convencer que não poderá concorrer a presidente ?
    Onde fica a tal lei da ficha limpa ?
    Esse país , essa justiça é um grande circo só falta cobrir com a lona !!

  9. Senhor Pedro do Coutto:

    1) O que o senhor quis dizer com ” as intervenções do CIRO foram as mais observadas ? Se for um elogio, por que o senhor não o faz claramente?

    2) ” é impossivel cumprir a promessa de ajudar na dívida de 63 milhões de brasileiros” , porquê?
    Não é tão simples e tão possível ajudar os banqueiros com o Proer, por exemplo?

  10. Ciro é muito inteligente, raciocínio rápido, observador.

    Sabe que precisa causar impacto junto ao povo pobre, em dificuldade, inadimplente, nicho petista de votos.

    Como fazê-los balançar com a sua candidatura, e colher dividendos com um plano de governo?

    Ora, prometendo que tirará os inadimplentes do Serasa, disse e olhando fixamente para a TV!

    Acho até que pode, que terá como dar um jeito, MENOS eliminar dos cadastros dos credores o devedor!!!

    Se o Zé deve no Itaú ou Bradesco, o seu nome continuará como devedor nos bancos, da mesma forma se é inadimplente em uma loja ou nos bancos estatais.

    E, Ciro esquece ou faz de conta, que existe uma troca de informações entre o sistema financeiro que nada tem a ver com Serasa ou SPC, a respeito dos nomes das pessoas quanto à pontualidade nos pagamentos.

    Mais:
    O devedor de um banco só não está no Serasa e SPC, como o seu nome está comprometido no Banco Central!

    Por mais que o Ciro tenha boa vontade com essas pessoas – e quero pensar desta forma, e não que esteja sendo um mero demagogo -, as dificuldades serão tantas, que ocasionará medidas que os credores estão deixando de lado:
    Protesto de Títulos e mover ação na Justiça pelo atraso nos pagamentos!

    Ciro vai impedir o protesto e o processo contra o devedor?!

    Tipo da promessa que foi feita sem pensar no que disse, então a irresponsabilidade surge de imediato, a mentira, o deboche, o descaso pelo desespero do povão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *