Declaração de Bolsonaro sobre o general Eduardo Ramos desagrada os militares no governo

General Ramos, ministro da Secretaria de Governo, está com covid-19 |  Poder360

Desprezado por Bolsonaro, Ramos continua ministro

Valdo Cruz
G1 Política

As declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre o ministro Luiz Eduardo Ramos desagradaram militares no governo e reforçaram as críticas do pessoal da ativa que era contra a participação de oficiais, mesmo da reserva, em postos civis.

Bolsonaro, na busca de justificar a troca de Ramos por Ciro Nogueira na Casa Civil, disse que ele não sabia falar a língua dos políticos.

ATUAÇÃO DE RAMOS – Interlocutores do agora ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência lembraram que foi Ramos quem fez toda articulação para atrair o Centrão para o governo Bolsonaro, garantindo as eleições do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), além de aprovação de projetos como a privatização da Eletrobras, marco do saneamento e autonomia do Banco Central, entre outros.

Nas palavras de amigos do ministro Luiz Eduardo Ramos, ele não vai, por lealdade, se queixar com o presidente da República. Ele costuma dizer, segundo esses interlocutores, que está no governo para cumprir uma missão e seguirá ao lado de Bolsonaro. Mas dizem que ele ficou “triste” com as afirmações porque cumpriu a missão dada pelo presidente de atrair o Centrão para o governo.

INGRATIDÃO – Militares da ativa classificam as declarações do presidente de “ingratidão”. Isso só reforça a posição deles, de que oficiais não deveriam participar de cargos civis no governo federal exatamente para evitar uma confusão entre Forças Armadas e a política do Palácio do Planalto.

Em entrevistas a rádios, Bolsonaro disse que fez a troca na Casa Civil porque Luiz Eduardo Ramos não tem muita familiaridade com a articulação política e seria o mesmo que colocar Ciro Nogueira para comandar militares.

Entre aliados do presidente, a avaliação é que Ciro Nogueira assume para melhorar a articulação política do governo, mas foi convidado principalmente por outro motivo. Garantir o apoio do Centrão a Bolsonaro num momento em que está enfraquecido e com sua reprovação em alta.

6 thoughts on “Declaração de Bolsonaro sobre o general Eduardo Ramos desagrada os militares no governo

  1. O “presidente” é um boçal nato. Só diz e faz besteira. Estou louco que cheguem logo as eleições para vê-lo fora da esfera de poder, se possível, com toda a filharada imbecil. As FFAA também não devem estar nada contentes com a imagem que ele está projetando do Brasil no exterior e no interior, entre os homens e mulheres inteligentes.

  2. O protesto da rapaziada da periferia de Sampa está dentro dos parâmetros da Constituição da República, e, prestados os esclarecimentos necessários às autoridades distritais, não faz sentido criminalizá-lo e muito menos prender os seus protagonistas, senão como ato de ignorância ao texto constitucional, a nosso ver. BORBA GATO, na verdade, é a expressão da antiga mentalidade doentia da elite delinquente que dominou e continua dominando SP e o Brasil, face à qual jamais resolveremos o Brasil para todos e todas e jamais seremos livres sem confrontá-la, vencê-la e enquadrá-la, definitivamente, que é o que estamos fazendo há mais de 30 anos com a RPL-PNBC-DD-ME, o projeto novo e alternativo de política e de nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. EM ASSIM SENDO, a mentalidade de Borba Gato que ainda impera em SP e no Brasil, infeliz e desgraçadamente, tal seja a mentalidade do psicopata louco por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, à moda todos os bônus para ele$ e o resto que se dane com os ônus, na verdade, é infinitamente pior do que a estátua de Borba Gato incendiada em São Paulo por jovens politizados da periferia, em ato de protesto estritamente político, independentes de partidos, contra um símbolo histórico nefasto para os dias atuais, com todos os cuidados necessários para não causar nenhuma outra espécie de dano senão apenas o do fogo e da fumaça no alvo de concreto, impressionante, mas de fácil e barata recuperação. O FATO É QUE O TEMPO DO BRASIL LAGARTA EXPIROU-SE. E, DORAVANTE, A SUPER BORBOLETA, VERDE, AMARELA, AZUL E BRANCO, VAI TER QUE VOAR, para o bem de todos e todas e não apenas em favor das elites delinquentes dos fundões bilionários roubados na cara dura do sangue, suor, vidas e lágrimas do povo, porque a chapa começou a esquentar. PORTANTO, o fogo e a cortina de fumaça que se levantou a partir dos pés de Borba Gato, em São Paulo, são elementares, Caro Watson, Freud os explicam, são emblemáticos, visam chamar a atenção do conjunto da sociedade para o sofrimento dos andares de baixo, e basta olhar para o ranger de dentes da cortina de ferro do sistema apodrecido, das ditaduras partidária, militar, sindical, midiática e econômica, para constatar que um simples ato de protesto político surtiu efeitos, posto que a mentalidade doentia das elites delinquentes que ainda impera e domina SP e o Brasil, sentiram a pegada política pedagógica, e, doravante, os psicopata loucos por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, que operam à moda todos os bônus para ele$ e o resto que se dane com os ônus, capazes de tudo e qualquer coisas para lograrem os seus intento$, que se multiplicaram no Brasil, ainda dominados por ele$, que se confunde com a mentalidade do famigerado centrão do super fundão eleitoral bandido, vão ter que começar a se reeducar politicamente para a vida em sociedade, por um novo tempo de responsabilidade social, posto que, com certeza, com o fogo no rabo de Borba Gato, já sentiram na própria carne um possível fogo revolucionário, em que pese a aversão dos rapazes politizados, protagonistas do ato, à violência e ao vandalismo, venham de onde vierem, até porque, creio eu, o sonho deles de transformação do nosso país, de modo a torná-lo melhor para todos e todas, é tb pela via pacífica e democrática, pela conscientização da população, e via urnas eletrônicas, se possível, porque evoluir é preciso. https://www.youtube.com/watch?v=cmcKC5okuI4

  3. É muito bem-feito para estes milicos desocupados, se o “queixoso” tivessem um mínimo de decência, melhor dizendo, de vergonha na cara pedia a “conta” e dava adeus ao “ingrato”, mas prova que não tem. Milico quando se mete a fazer serviço de paisano dá invariavelmente nisto aí, quando sai sai chorando. A falta de compostura de alguns ministros e ex-ministros do mito é mesmo vergonhosa.

    • Prova que os militares só querem holofotes, apoiaram um idiota incompetente, que lhes assegurou cargos e poder, mas vão perder por incompetentes, melhor assim.
      Tempos áureos da ditadura nunca mais.
      Em política são muitos infantis, pequenos, quase rastejantes, parecidos a vermes.
      É isso.

  4. Esse lá-lá-lá já está enjoando até hiena. Quem se aliou ao mula-sem-cabeça foram os militares, eles se submeteram ao presidente e o bajularam. Mourão está sendo tratado como cidadão de segunda classe, o Pazuello mostrou-se submisso e incapaz, agora o general-da-reserva Ramos é considerado apenas mais um qualquer dispensável (e aposto que o tal senhor ainda vai elogiar o seu algoz!)
    Suck it up!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *