Descompassos perigosos

Carlos Chagas

Conflito, propriamente, no h. Mas evidente o descompasso, capaz de confundir incautos, ingnuos e at malandros. Falamos das prvias eleitorais, duas delas divulgadas no fim de semana: a Datafolha e a Vox Populi.

Pela empresa paulista, Jos Serra dispe de 37% das preferncias e Dilma Rousseff, 23%. A concluso da Folha de S. Paulo, expressa em manchete de primeira pgina, foi de que a candidata do PT encurtou a diferena. Resultado: euforia entre os companheiros.

J a pesquisadora mineira mostrou que Serra tem 39% e Dilma, 18%, sem constar na consulta possveis candidatos vice-presidncia. Com estes, aleatoriamente indicados, a diferena cresce: o governador paulista com 44% e a chefe da Casa Civil com 21%. Festa no ninho dos tucanos, mas confuso generalizada para quem tenta analisar os nmeros com iseno.

Mas tem mais, para levar o eleitor perplexidade e desconfiana. Como quem no quer nada, os dois institutos de pesquisa indagaram em quem os consultados votariam espontaneamente, sem indicao dos candidatos. O Datafolha deu 20% para o presidente Lula e 8% tanto para Jos Serra quanto para Dilma Rousseff. O Vox Populi revelou 18% para o Lula, 11% para Serra e 7% para Dilma. Tendncias inequvocas em favor da continuao do primeiro-companheiro no poder. Um perigo que muitos fingem no perceber, mas diante do qual os institutos se defendem.

Os exemplos da famlia

De incio, o bvio: merecem estar na cadeia o governador de Braslia, Jos Roberto Arruda, e toda a quadrilha de deputados distritais, secretrios, assessores, empresrios e, dizem, at integrantes do Poder Judicirio. No tero sido os primeiros a enlamear a imagem da capital, mas a dimenso da roubalheira a que se lanaram no deixa dvidas a respeito do mal praticado. Marcaram o Distrito Federal com o ferro em brasa da corrupo, to utilizado na maioria ou at na totalidade dos outros estados.

Por certo parece insuficiente o argumento do mau exemplo, para explicar a lambana aqui promovida por esses abominveis governantes. Mas bastar para afastar a frustrao de uns tantos energmeros hoje empenhados em extinguir a capital federal porque, apesar de tudo, aconteceu aqui o que j acontecia ao nosso redor.

No ser por conta da devastao promovida por Paulo Maluf, alm de companheiros de Ribeiro Preto, Santo Andr e alhures, que se concluir deva So Paulo ser banido da Federao. Muito menos deve-se alterar o mapa do Brasil porque antigos governadores de Minas, Alagoas, Par e os demais estados foram flagrados com a mo nos dinheiros pblicos.

Vale o mesmo para o empresariado nacional. Justificariam o fim do capitalismo as centenas de empresas empenhadas em corromper, distribuir propinas e reservar comisses para obter contratos de servios pblicos?

Trata-se de ignorncia, m-f e senilidade vincular a bandidagem agora descoberta em Braslia sua criao e sua existncia. Sem esquecer que por ser a irm mais nova, a capital federal seguiu os exemplos da famlia…

Leque aberto

Caso o PMDB persista na tendncia de apoiar Dilma Rousseff, quem o partido indicar para companheiro de chapa da candidata? Michel Temer acaba de ser arcabuzado pelo presidente Lula com a tal lista trplice que ele espera receber de seus dirigentes. Henrique Meirelles? Edison Lobo? Srgio Cabral ou Nelson Jobim? Quem sabe Roberto Requio?

E o vice de Jos Serra, na hiptese de Acio Neves continuar intransigente? Inventaram a senadora Katia Abreu, como falaram em Jarbas Vasconcelos, mas o vazio ser grande, sem o governador de Minas.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.