Desprezo pelas vítimas da covid mostra que o coração de Jair Bolsonaro é frio e insensível 

Governadores ignoram Bolsonaro e dizem que manterão serviços fechados |  Poder360

Jair Bolsonaro se comporta com uma frieza impressionante

Vicente Limongi Netto

Lamentável e triste que o presidente Jair Bolsonaro não tenha se manifestado, “sem emitir sequer uma nota de pesar”, pela  morte do senador Major Olímpio, conforme registrou a colunista Denise Rothenburg, no Correio Braziliense deste sábado (20/03).

Pelas atitudes patéticas, insensíveis, destrambelhadas,  grosseiras, desagregadoras, bizarras e debochadas do chefe da nação desde que começou a quadra dantesca da pandemia, isso mostra, a meu ver, que a facada da qual foi vítima o então candidato à Presidente da República serviu apenas para alimentar forte apelo eleitoral. O coração de Bolsonaro continua é frio e insensível.

Na verdade, o presidente é dominado pelo rancor e pela amargura. Sua falta de desprendimento, sinceridade e gestos de grandeza do presidente vem refletindo negativamente na vida desse tumultuado e infeliz Brasil. Não é o país que sonhamos para nossos netos.

UMA BOA NOTÍCIA –  Quero participar das homenagens no próximo sábado, dia 27, ao jurista, acadêmico, professor, ex-ministro, ex-senador, cidadão do mundo Bernardo Cabral, que completa 89 anos de idade.

Cabral pode olhar para o passado e ver que o tempo não se foi em vão. Pelo caminho, deixou marcos de realizações que representam contribuições para o Brasil e para a coletividade.

Mais um aniversário de Bernardo Cabral é sempre uma data cheia de significados. Espero que o Brasil possa contar com o talento e a experiência de Cabral por muitos anos.

UM NOVO LIVRO – Bernardo Cabral encontrou tempo, na avassaladora pandemia, para lançar novo livro, “Você Sabia?”. Pelo selo da Academia de Ciências e Letras Jurídicas do Amazonas. Coordenação editorial de Júlio Antônio Lopes e capa e projeto gráfico de Carlos Melo.

Bernardo explica que “jamais imaginei o século 21, exatamente em 2020, que seria eu, a contragosto, com minha mulher, Zuleide, filho Júlio, netas e bisnetas, espectadores desse brutal covid-19”.

###
HELIO FERNANDES SABIA QUEM É BERNARDO CABRAL

Nessa linha, recordo, com prazer, o que o nosso amado e saudoso Helio Fernandes escreveu sobre Bernardo Cabral em março de 2010. 

“Bernardo Cabral representou sempre o Amazonas pensando no Brasil. Cultura notável, títulos e mais títulos na sua área de advogado e jurista, mas em outras, bastante diversas, diversificadas, diferentes. É brilhante em todas.

No dia 26 de março de 1981, às 4 da madrugada, quando a Tribuna ia pelos ares, Bernardo logo estava lá diante dos escombros, lamentando e revoltado. Ao lado de Sobral Pinto, doutor Barbosa Lima, meu amigo Alceu Amoroso Lima e tantos outros. 

Cassado, não recuou. Quando foi descassado, fez carreira notável. Agora, no Amazonas, foi convidado a voltar ao Senado, duas vagas e apenas um vencedor, o governador. Disse NÃO, seus planos são o de viver e estar com os amigos. Esse é um objetivo já alcançado, mas que tem no mínimo, no mínimo, mais 22 anos para consolidar”

18 thoughts on “Desprezo pelas vítimas da covid mostra que o coração de Jair Bolsonaro é frio e insensível 

    • Írio: Estamos vivendo os horrores da Idade Média aqui e agora. Os sinais são tão evidentes, que somente o espírito de avestruz não enxerga o que acontece diariamente.
      A Gripe Espanhola, foi um desastre que matou 35 mil brasileiros. Hoje estamos no limiar de 300 mil, uma hecatombe.
      Só falta a implantação da Inquisição. Já tem por aí, um Torquemada pronto para agir.
      A Democracia corre perigo.

    • Meu deus do céu! Período pior deve ter sido sob Hitler, my friend. Mas o Bozo não fica muito para trás em insensibilidade, ódio, idiotice.

    • Pelo contrário, major Olímpio, seguiu as pegadas do povo, que o elegeu.
      Um parlamentar deve satisfação aos eleitores, mais ninguém. Quem traiu o povo, foi aquele que não cumpriu as promessas que fez, para se eleger. Uma delas é que não aceitaria um novo mandato. Estamos esperando sentados, o projeto que extinguiria o segundo mandato para presidente, governadores e prefeitos.
      Vice não se sente traído, Sr. Ricardo?

  1. Exatamente Limongi, o presidente não tem nenhuma solidariedade humana. O Lema Deus acima de tudo é uma falácia. Seu comportamento não e de um cristão. Usa-o pensando apenas nos votos dos evangélicos.
    Seu foco é a perpetuação no Poder, pensa em 2022 e até em mandatos perpétuos. Age como um Imperador.
    Falta-lhe o espírito de solidariedade humana.
    Em relação ao Relator da Constituição de 1988, a melhor do Brasil, Bernardo Cabral, todas as honras e loas, ainda é pouco, pelo que esse ilustre amazonense fez pelo país.
    E ainda mais, ser elogiado por Helio Fernandes, o maior jornalista de todos os tempos, um gigante da imprensa, olha, é a suprema glória.

  2. Nós temos visto que insensível são alguns jornalistas , ministros , governadores , prefeitos entre outros políticos e autoridades …
    Bolsonaro naquele vídeo que foi expostos na reunião se mostrou preocupado com o povo , quem não viu é negacionista .

  3. Fonte : Blog BRASIL SOBERANO E LIVRE (pode ser encontrado na internet)

    PSIQUIATRA PROPÕE A INTERDIÇÃO DE BOLSONARO POR PROBLEMAS MENTAIS E A SUSPEIÇÃO DO PROCURADOR-GERAL

    Por Carlos Newton

    O Dr. Ednei Freitas, um dos mais renomados psiquiatras e psicanalistas do pais, que é articulista da Tribuna da Internet, enviou para as Comissões Executivas do PDT, PSB e para os deputados que também estão habilitados no Inquérito 4.831 do Supremo, que investiga o presidente Jair Bolsonaro, uma mensagem na qual sugere que peticionem arguindo a suspeição e/ou impedimento do procurador-geral da República, Augusto Aras, pelas razões que constam do artigo publicado aqui na TI pelo jurista Jorge Béja.

    Além disso, o Dr. Ednei Freitas pede que seja arguida também a insanidade mental do investigado Jair Messias Bolsonaro, conforme autoriza o artigo 149 do Código de Processo Penal. Neste ponto, como psiquiatra e psicanalista, ele indica quais as doenças mentais que Bolsonaro demonstra ser portador.

    RAZÕES DA SUSPEIÇÃO – Na mensagem aos partidos e parlamentares, o psiquiatra carioca envia o artigo publicado por Jorge Béja, que justifica a suspeição por ter sido o procurador indicado fora da lista tríplice votada pelos procuradores de todo o país, desprezando a tradição, que é fonte de Direito Consuetudinário.

    Alem disso, disse o jurista, “sem acanhamento, Bolsonaro declarou, publicamente, que no caso de uma terceira vaga para ter assento no Supremo Tribunal Federal, seu preferido, seu favorito, seu predileto é Augusto Aras. A declaração pegou tão mal que o próprio Aras se sentiu “desconfortável”. Sim, “desconfortável”, pois foi a essa a palavra, o substantivo, o sentimento que o doutor Augusto Aras externou a respeito da declaração do presidente”.

    “Um procurador-Geral da República que declara sentir-se “desconfortado” para o desempenho do cargo, no tocante à primazia, à exclusividade, de decidir sobre o oferecimento, ou não, de denúncia-crime contra o presidente da República, ou se autodeclara impedido, ou se autodeclara suspeito”, frisou Béja, citando as diversas leis e regulamentos que impõem essa declaração.

    INSANIDADE MENTAL – Em seguida, o psiquiatra Ednei Freitas discorre sobre o estado de saúde do presidente. “Como médico, psiquiatra e psicanalista há quase cinquenta anos, observo “in oculi” e por meio das imagens, falas, gestos, atitudes, ações e reações que os noticiários diariamente mostram, que o investigado Jair Messias Bolsonaro demonstra ser portador de insanidade mental”, disse o especialista, acentuando haver motivos para interdição, segundo o artigo 149 do Código de Processo Penal.

    ”Sobre o número de mortes causadas pelo Coronavírus-19, o presidente deu resposta agressiva: “E daí? Lamento. Eu sou Messias, mas não faço milagres”. A soberba, todavia, revela-se no uso de outras expressões que depois utilizou: “eu sou a Constituição”, “tenho a caneta”, “o presidente sou eu”, “quem manda sou eu”, afirmou o Dr. Freitas, acrescentando que o presidente não estava a fazer blague. “

    As atitudes habituais permitem supor possível Transtorno de Personalidade Paranóide (antigamente chamava-se Psicopatia Paranóide), objeto de classificação internacional de doenças da Organização Mundial de Saúde, em livro específico sobre doenças mentais.

    SINTOMAS CLAROS – “Nessa classificação, o Transtorno de Personalidade Paranóide tem por características a indiferença insensível face aos sentimentos alheios; uma atitude flagrante e persistente de irresponsabilidade e desrespeito a regras; a baixa tolerância à frustração; a incapacidade para experimentar culpa e propensão a culpar os outros”, assinalou o psiquiatra, acrescentando sintomas como “combativo e obstinado senso de direitos pessoais; tendência a experimentar autovalorização excessiva e preocupação com explicações conspiratórias”.

    Depois de citar diversos exemplos do comportamento anormal do presidente, o Dr. Ednei Freitas enviou aos deputados e parlamentares o link do artigo do dr. Jorge Beja na Tribuna da Internet, publicado nesta quarta-feira, dia 3. Confira aqui.

    Tribuna da Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *