Dois suplentes no Senado, em debate bastante grosseiro

João Pedro (do PT do Amazonas, há 3 anos exercendo um mandato que não conquistou), tentava fingir que defendia José Dirceu. Foi contestado por ACM Júnior (que também exerce um cargo para o qual não foi eleito, mas ocupa desde que o pai RENUNCIOU para não ser cassado, e recuperou, com ele na garupa).

Nada surpreendente, o fato de não terem votos, nem da baixaria, da gritaria e da hipocrisia. O espantoso é que os dois gritavam se insultando: “Sou SENADOR DA REPÚBLICA”. Que República.

Deputado distrital renuncia

Foi Brunelli Junior, o que fez a “oração”, (calúnia e difamação) por ter recebido a propina do mensalão. Nenhuma surpresa, sabendo-se que ele é do PSC. “Partido” controlado pelo lobista Eduardo Cunha e o ex-Anthony Mateus. E no qual caberiam perfeitamente Cabral e Picciani, basta verificar as acusações contra os dois.

Memórias diplomáticas

Dizem que o chanceler que vai completar 8 anos no cargo, e só é conhecido no exterior, vai escrever um livro, contando coisas que só ele sabe. Para os que não sabem quem é, seu nome, Celso Amorim. Deve começar as revelações pela Embrafilme, presidida por ele, um dos grandes escândalos dos anos 80.

Durante quase 1 ano contei tudo que se passava por lá, não puderam responder uma linha sequer, era tudo documentado. Incluindo o seu apelido de “quitandeiro”, nem desapreço nem desprezo pela classe. Era “a cara” do Amorim.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *