Em eterna campanha, Bolsonaro se esquece de que também precisa governar

Resultado de imagem para bolsonaro em Guarujá

Bolsonaro imita Dona Bela e só pensa naquilo: a reeleição

Carlos Newton

Ao invés de descansar e refletir durante o recesso de Carnaval, para cumprir sua missão de tirar esse país do lodaçal em que se encontra, o presidente Jair Bolsonaro continua a fazer campanha política. Assim como o Chapolin Colorado, seus atos são “friamente calculados”. no intuito de buscar amplo apoio popular e vencer a próxima eleição. E acredito que até consiga, devido à falta de opção do eleitorado e à divisão do país entre os que sonham com a volta de Lula da Silva e aqueles que abominam essa possibilidade.

Não há a menor dúvida – no momento, o Brasil esta divisão beneficia Bolsonaro por alguns motivos muito especiais, como ter se cercado de militares e até agora não haver denúncias de corrupção administrativa. É o que basta para muitos eleitores que não aguentavam mais os mensalões e petrolões que caracterizaram a era do PT.

UM IDIOTA COMPLETO – Propositadamente ou não, Bolsonaro se aproveita desse sentimento antiPT, que é uma verdadeira comoção social, e segue em frente, sempre em campanha.

Antes da eleição de 2018, fiz questão de abrir meu voto para Bolsonaro, mas não deixei de registrar que o considerava “um idiota completo”. O futuro veio mostrar que eu tinha razão em fechar a porta à Era do PT, que caminhava para transformar esse país numa ditadura sindicalista, embora muitos não percebessem essa realidade, e na atual gestão haveria duas vagas a preencher no Supremo.

Bem, com mais dois Toffolis na cúpula do Judiciário, a fatura ditatorial estava garantida. Não importaria mais o que o Congresso aprovasse, porque o Supremo consideraria a lei inconstitucional, caso não atendesse aos interesses dos ditadores petistas, no estilo Venezuela de Chávez y Maduro.

O SONHO ACABOU – A partir do governo de Michel Temer, o sonho da ditadura sindicalista acabou e não há mais recursos públicos para custear as manifestações “populares”. O Brasil está livre para exercer a democracia, mas o problema é que Bolsonaro não tem postura de estadista, deixou que os filhos e o guru virginiano atrapalhassem seu governo.

Até agora, com mais de um ano de gestão, é um drama shakespeariano, pois não se sabe se o presidente vai ouvir os ministros ou os filhos. Além disso, nesta campanha para a reeleição, Bolsonaro cria um problema atrás do outro, é um nunca-acabar.

Assim, o país vive dividido de diversas formas – entre os que amam ou odeiam Lula e o PT, entre os que adoram ou abominam Bolsonaro e o terraplanismo, e entre os que sonham com uma nova ditadura militar e os que não aceitam esse retrocesso. 

ERA DAS TREVAS – Reina o radicalismo na pátria amada, infelizmente. É a nossa realidade atual, com um quadro político inteiramente atípico e que merece reflexões de quem se interessa pelo país.   

O pior é perceber que Bolsonaro é um falso herói. Digam o que quiserem, o presidente tem demonstrado que não sabe unir, tem uma vocação irresistível para fazer inimigos, porque cultiva a mania de perseguição – uma paranoia que merece tratamento específico.

###
P.S. –
Nesse ponto, Bolsonaro e Lula se parecem. Ambos se julgam “perseguidos políticos”. A diferença é que Lula foi atingido pela Lei da Ficha Limpa, que ele próprio assinou, e não pode ser candidato. Mas teremos de continuar aturando Bolsonaro, seus filhos e ideólogos. (C.N.)

22 thoughts on “Em eterna campanha, Bolsonaro se esquece de que também precisa governar

  1. Prezado Carlos Newton,
    Vou emoldurar este artigo, pois é o mais cabal e perfeito que pude ler deste idiota.
    O boquirroto não tem cura, e ainda teremos muitos sobressaltos e dissabores.
    Estamos a deriva com este infeliz, que pro nosso azar, se acha a última bolacha do pacote.
    Cordialmente,
    José Luis.

  2. Em suma: A impren$a e a E$ querda são muito burros. Não entendem nada de estratégia, nem de midias sociais.

    Quanto a estratégia, todos os ministros do núcleo duro do governo são militares e estrategistas. Quanto as redes sociais, seus filhos e Filipe Martins são ‘experts’.

    O Bozo ganhou a eleição com um smartphone. Vai ganhar de novo com mais facilidade em 2022. Exceto se o próximo atentado contra sua for bem sucedido.

  3. CN, ótimo artigo.

    O nosso erro foi no primeiro turno das eleições passadas. Pelo nosso voto, escolhemos as piores opções para disputarem o segundo turno.

    Aí foi uma questão de escolha de Sofia. Nenhum dos dois candidatos reunia condições para fazer um bom governo. Bolsonaro pelas razões citadas e Haddad porque não reunia condições políticas e também porque era mais um poste político de Lula.

    Aqui estamos, divididos, A nossa economia estagnada, com um crescimento pífio. O desemprego nas alturas e diminuindo pela opção da informalidade e empregos precários. E muitos dizem que tudo é culpa do PT ou da oposição, esquecendo-se que já passaram quase cinco anos que o partido deixou o poder e que a oposição é minoria.

    Aí surgem as soluções mágicas. Dissolução do Congresso e do STF, como se isso fosse uma panaceia para todos nossos males.

    Por enquanto, há uma divisão dos adoradores de Bolsonaro e de Lula. Acho que a maioria da população não aprova nem um nem outro. Ou talvez essa minha percepção seja fruto apenas do meu desejo.

    Espero que nas próximas eleições usemos mais a razão do que a paixão para votar. Talvez só assim voltemos a ter alguma esperança como país.

  4. C.N. tem razão. A república sindicalista tb não deu certo no Brasil, assim como a república militarista, entre outras, que tb contribuíram para o país chegar ao estágio de degradação em que se encontra parecendo até um jumentinho sem mãe mais perdido do que cachorro caído de caminhão de mudança. O desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, em 2020, mostraram que o defeito do Brasil, ao que parece, continua sendo a tal lanterna na popa, como dizia um ex-ministro da dita-cuja dura, Roberto Campos, em relação à economia, que parece ser o problema da mentalidade do Brasil, que só ilumina para trás, só flerta com o passado, como fez na política, em 2018, ao invés de flertar com o futuro, como fez a Beija-Flor na Avenida Sapucaí que tb iluminou o passado mas que flertou com o futuro, lembrando tb a Mangueira que em sua fantasia tb encarou a realidade, gritando firme, forte, alto e em bom som denunciando a embromação: acorda Brasil, “não existe futuro sem partilha e nem Messias de arma na mão”, senão como empulhação.

    • “…e até agora não haver denúncias de corrupção administrativa.”

      -Ta de bom tamanho para mim. É até bom que seja um idiota mesmo, pois são os idiotas que pensam em “patriotismo” e não sabem roubar como os “expertos”.

      -Ou você prefere um intelectual te roubando bilhões ?
      -Estaria com saudades do Renan Calheiros no Ministério da Justiça?

  5. Caro C N

    Artigo perfeito mas o seu efeito é sentar e chorar.

    A casa esta pegando fogo, mas fugir para onde??

    Voltar para o campo onde os lobos que nos devoravam, acostumados a se fingirem de chapeuzinho , mas vermelhos, estão com a boca aberta e caninos sedentos de sangue?

    Para o lago, buscando no alem agua um paraíso, se os jacarés e crocodilos, da perigosíssima especie capa preta, não deixam nem os ossos dos incautos que buscam o seu caminho para fugir?

    Pedir aos mensageiros do reino, ” os Arautos da Democracia, que nos digam para onde ir, se na realidade são versões modernas e muito mais perigosas do flautista Hamelin e vai roubar nosso presente e nosso futuro, levando nossas crianças como vingança por nao seguirmos mais fielmente seus cânticos??

    Pedir socorro aos novos amigos do Oriente, muito solícitos e cheios de risinhos, mas que nos assustam pois , dizem que na realidade são, para a cultura ocidental, uma versao moderna, de Atila, aquele brincalhão de seculos atrás?

    Buscar socorro no além e rezar a Deus, nem pensar. Carta enviada ao seu representante maior, voltou carimbada com os seguintes dizeres: ” Não podemos atender atender, já estamos comprometidos com o fornecimento de gasolina” para alimentar a fogueira

    Pedir ao povo que está disperso na pradarias, que venha com seu numero, sua disposição, seu bom senso e sua vontade de busca rum futuro minimo, trazendo baldes, copos, conchas, qualquer coisa para diminuir o fogo e nos ajudar a combater todos estes perigos, nem pensar:

    Os donos do fogo, dizem que isto é um golpe baixo, que naõ entendem por que agora aparece esta recusa em continuar sendo consumidos pelo fogo, se sempre concordamos com isso?

    Pode ser que chorando e nos dizendo arrependidos por desafiar o poderoso Vulcano possamos nos salvar, mas a história diz que quem muito se abaixo mostra a bunda

    Abraços

  6. Bom dia , leitores (as):

    Senhores Carlos Newton e Marcelo Copelli , acontece que o Presidente Jair Messias Bolsonaro , pretende tão somente ” CONTURBAR e CONVULSIONAR ” o país , em proveito próprio e de seus comparsas , usando como pano de fundo as ” FORÇAS ARMADAS ” , por as esta expondo .

  7. Valenton Magnan, que foi presidente da Sociedade Médico-Psicológica francesa dividia em três graus (ou grupos) os degenerados hereditários.

    O primeiro grau de degeneração hereditária corresponde ao idiota. O segundo grau o imbecil e o terceiro – o mais perigoso – o débil mental. Esse terceiro grupo (débil mental) é composto pelos chamados “loucos morais”.

    Carlos Newton, ainda bem que Bolsonaro foi agraciado com o primeiro grau. Fico pensando se ele tivesse sido prestigiado com o terceiro grau, o de “loucos morais”.

    Ia fazer concorrência com muitos membros do Congresso Nacional e do STF, o que geraria forte onda de ciúme em Brasília, o túmulo moral do Brasil.

  8. Como dizia Mão Santa, atentai bem!
    Não deixem o homem se reeleger, reeleito vai encarnar os espíritos de Gengis Khan, Átila, Mussolini, Enver Hoxha, Mao, Stalin, Pol Pot e as avessas vai promover uma limpeza ideológica sem paralelo desde o Dilúvio.
    Atentai bem, está escrito na porta do inferno de Dante, vós que entrais, deixai aqui todas vossas esperanças. Não reelejam o Messias, votem no Barrabás!
    Ridendo castigat mores.

  9. Excelente artigo. Toca no maior problema do Brasil, a alienação política de parte dos eleitores, que acabam se transformado em fanáticos lulistas e fanáticos bolsonaristas).
    O artigo é tão esclarecedor que merecia ser artigo de primeira página das mídias.
    Bolsonaro sabe que não terá os votos dos eleitores mais esclarecidos, está trabalhando (nomeando evangélicos) para contar com os votos de cabresto da maioria do fiéis).
    Percebe-se que Bolsonaro, não está nem aí para a crise, ao contrário, suas atitudes aumentam a crise. Desde o meado de 2019 só pensa em reeleição, livrar seu filho de ser réu e implantar a ideologia de uma direita retrógrada.
    Reitero, foram 21 anos de ditadura que levou a maioria dos jovens da época à imbecilidade, que hoje forma a maioria dos adeptos do Bolsonaro.

    • Nelio

      Difícil discordar de suas observações.

      Mas…..

      Ou Bolsonaro é maluco e de horizontes muito curtos como você cita ou maquiavelico em alto grau e nos manipula o dia todo.

      O fato é que é uma usina de crises, sim mas o outro lado (oposição, congresso, judiciário, mídia, imprensa etc) pela sua afirmação são vestais emporcalhadas pela convivência com Bolsonaro.

      Por que nao dar Bolsonaro o mesmo tratamento que é dao a estes atores, passando a mão na cabeça., rindo de sua ações como se fossem meras travessuras?

      E por que não dar a estes atores a mesma vigilância impiedosa, asfixiante, sobre os minimos gestos, transformando tudo em final de mundo?

      por que não reconhecer que necessitamos mudar o que está ai e quem foi eleito para isso é Bolsonaro e tentar, pelo menos tentar, nao colocar tantas cascas de banana no caminho e esperar que consiga governar minimamente?

      Quem sabe assim , a imprensa e estes órgãos passem a ser fontes confiáveis de informações e passemos a acreditar minimamente em seus propósitos e assim nos livremos, do constante assédio performático das mídias sociais por Bolsonaro?

      Depois, veja o que nos espera.

      21 anos de ditadura, em que nao pudemos acessar livremente a doutrinação esquerdista disponivel, formou uma legiao de jovens imbecilizados, inclusive eu, pois nasci em 1957.

      Mas a ditadura terminou em 1985 ou até antes na realidade.

      de la para cá são pelo menso 35 anos.

      De livre doutrinação esquerdista , ampliada, consolidada, entranhada em toda maquina do Estado e não serviu nem para apagar a “lavagem cerebral da ditadura” ?

      Quer dizer que necessitamos mais 35 anos para “equilibrar” o mal causado na mente dos jovens em 21 anos??

      Bom isto mais uma vez vai comprovar que a esquerda é muito e absolutamente incompetente, pois no dobro do prazo, com o dobro de ferramentas, nao consegue fazer igual então………

      Só quem sabe…..

  10. Excelente artigo do Carlos Newton!

    Bolsonaro sequer começou a governar de verdade! Fica só fazendo joguinhos, intrigas, fofocas… morde e assopra, fala tolices e depois recua, paga micos homéricos… mas também sanciona coisas absurdamente erradas…

    Enfim, ele apronta alguma dia sim, dia não! Enquanto isso o país segue como um trem desgovernado.

    E para piorar, Bolsonaro ainda embarca no “nós contra eles”, tão disseminado quando a quadrilha lulopetista estava no poder.

    É difícil prever o resultado disso tudo. Mas certamente será péssimo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *