Em “Prelúdio nº 2”, a simplicidade e a genialidade do compositor Luiz Vieira

Resultado de imagem para luiz vieira cantor

Aos 90 anos, Luiz Vieira teve sua obra regravada num novo CD

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

A letra de “Paz do meu amor (Prelúdio nº 2)” idolatra de uma forma poética a conquista do amor infindo pelo radialista, cantor e compositor pernambucano Luiz Rattes Vieira Filho. Um dos maiores sucessos de Luiz Vieira, que ele próprio gravou, em 1963, pela Copacabana.

PAZ DO MEU AMOR (Prelúdio nº 2)
Luiz Vieira

Você é isso: Uma beleza imensa,
Toda recompensa de um amor sem fim.
Você é isso: Uma nuvem calma
No céu de minh’alma; é ternura em mim.

Você é isso: Estrela matutina,
Luz que descortina um mundo encantador.
Você é isso: É parto de ternura,
Lágrima que é pura, paz do meu amor.

4 thoughts on “Em “Prelúdio nº 2”, a simplicidade e a genialidade do compositor Luiz Vieira

  1. Dois ícones: Boldrin e Luiz Vieira. Ele no programa Sr. Brasil, deixou todos emocionados
    https://youtu.be/6pPUZwaOt7o . Um hino a todos os enamorados.

    Soa como uma oração numa cerimônia de casamento. Duas belas interpretações: do próprio Luis Vieira, o autor e Taiguara que colocou toda a alma nesta declaração de amor.
    Luis Vieira, tem ainda outras grandes canções como Menino de Braçanã, Menino Passarinho.

  2. Menino de Braçanã –
    O próprio Luiz Vieira falou sobre a composição da toada. Braçanã é um distrito do município de Rio Bonito, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, onde morava o tio de Luiz Vieira, Sr. Augusto. Um menino costumava, com seu jumentinho, buscar farinha na casa de Augusto e retornava para casa no mesmo dia, sem atender aos apelos para que parasse, a fim de evitar supostas assombrações noturnas, conforme recomendação de sua mãe. O menino mostrava um crucifixo e dizia não ter medo de tais assombrações porque andava com Jesus Cristo em seu coração. Daí a inspiração para Luiz Vieira compor a música. O samba “Trem das onze”, de Adoniran Barbosa, sucesso em 1964, é uma paráfrase desta toada (pela qual Adoniran era apaixonado), feita com a devida permissão de Luiz Vieira. Braçanã passou a Jaçanã (bairro paulistano) e ficou a ideia da necessidade de voltar cedo por causa da mãe, conforme diz Adoniran na sua música.

    Menino do Braçanã
    Interpretação belissima também de Luis Gonzaga – o grande Gonzagão

    É tarde, eu já vou indo
    Preciso ir embora, ‘té amanhã
    Mamãe quando eu saí disse
    Meu filho não demora em Braçanã
    Se eu demoro mamãezinha Tá a me esperar
    Pra me castigar Tá doido moço
    faço isso, não
    Vou-me embora, vou sem medo dessa escuridão
    Quem anda com Deus
    Não tem medo de assombração
    e eu ando com Jesus Cristo
    No meu coração
    Os zoinho do menino marejô
    Quando seu pai viajô

    Quando seu pai viajô num avisô
    A seu filho quando que ia voltá
    Mamãe disse que foi Jesus quem levou
    O papai pra passiá
    Jesus Cristo
    Sempre sabe o que faz
    O menino ouviu isso e calou
    Debruçou-se num cantinho, pobrezinho
    Ai Deus meu, ai
    E os zoinho do menino marejô
    Marejôôô
    Marejô

    Compositor: Luis Vieira & Arnaldo Passos

    Ouçam também Guarânia da Saudade

    https://youtu.be/06sJnEfTSug

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *