Enxugando gelo

Carlos Chagas

Na reunio da Comisso de Constituio e Justia, chamou a ateno o esforo incuo e desnecessrio dos senadores governistas para protelar os trabalhos, at evitando o depoimento de Lina Maria Vieira. De Ideli Salvatti, exigindo a apreciao de outras matrias, a Alosio Mercadante, confuso ao extremo, at Romero Juc, Gim Argello, Antonio Carlos Valadares, Magno Malta, Renan Calheiros e Almeida Lima, entre outros, deram todos a impresso de estar enxugando gelo. S fizeram irritar quem se encontrava diante das telinhas da TV-Senado aguardando o depoimento da ex-secretria da Receita Federal. Questes de ordem e dvidas sobre a competncia da Comisso de Constituio e Justia arrastaram-se por mais de duas horas e meia, antes que a depoente fosse chamada ao plenrio. A impresso foi de que os referidos senadores atuavam apenas para o presidente Lula tomar conhecimento de sua lealdade ao governo. Mais do que uma tropa de choque, constituram um exrcito de vento.

O contraponto aconteceu quando os nimos serenaram e a funcionria chegou ao plenrio. O senador Demstenes Torres concedeu tempo ilimitado para sua exposio inicial que, com todo o respeito, foi uma chatice. Dona Lina relatou sua vida profissional inteirinha, at chegar secretaria da Receita Federal, usando slides e referindo-se s inovaes por ela implantadas na arte de tomar dinheiro do contribuinte. Nesse perodo, muitos senadores dormiram.

Gilmar no d trgua

Mais uma do presidente do Supremo Tribunal Federal em sua guerrilha contra promotores e procuradores de Justia: em debate na Fiesp, esta semana, ele declarou que, no governo Fernando Henrique, parte do Ministrio Pblico foi o brao judicial de partidos oposicionistas.

Nomeado ministro da mais alta corte nacional por Fernando Henrique, Gilmar Mendes acrescentou que os promotores que assim agiram quando o PT era oposio deveriam pedir desculpas e at indenizar o estado por usar indevidamente o Ministrio Pblico para fins partidrios. Mas ressalvou ter a impresso de que agora isso mudou. Claro, os partidos oposicionistas hoje so outros. Inverteu-se a equao…

Hiptese remota

Circulou em Braslia a possibilidade de Henrique Meirelles entrar no PMDB e tornar-se candidato a vice-presidente da Repblica na chapa encabeada por Dilma Rousseff.

Trata-se de hiptese remota, praticamente invivel. Primeiro porque o PMDB j tem candidato. o presidente da Cmara, Michel Temer. Depois porque para a ministra Dilma, ainda desconhecida da maioria do povo, nada pior do que um companheiro de chapa tambm ignorado pela maioria do eleitorado. Nada que desabone os dois, claro, mas em se tratando de amanuenses, competentes funcionrios pblicos pouco afetos aos palanques, seria curioso ver como pediriam votos, mesmo apoiados pelo presidente Lula.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.