Feliz Natal! Mais de 25% dos municípios precisam de recursos extras para pagar dezembro e 13º salário

Resultado de imagem para prefeituras sem recursos charges

Charge do Léo Correia (blog bocadura.com)

Eduardo Rodrigues
Estadão

Mais de um quarto das prefeituras brasileiras ainda não têm recursos para pagar a folha de dezembro do funcionalismo, incluindo o 13.º. Levantamento realizado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que 26,8% ainda dependem de receitas extras neste fim de ano para fechar a folha de dezembro.

Como mostrou o Estado, os prefeitos pedem ao presidente Jair Bolsonaro a antecipação de R$ 5,3 bilhões referentes ao bônus de assinatura pelo megaleilão do pré-sal. A expectativa é usar o recurso para bancar contribuições previdenciárias de novembro, dezembro e sobre o 13º salário dos funcionários públicos.

EM ATRASO – Para não deixarem de pagar o funcionalismo, as prefeituras têm adiado os repasses para fornecedores. A pesquisa mostra que 48,3% dos municípios estão com pagamentos atrasados, o que deve elevar a inscrição de restos a pagar dessas administrações para 2020.

A maioria dos municípios (67,5%), no entanto, garante que depositará em dia os salários de dezembro, enquanto 5,2% já admitem que os pagamentos do mês serão feitos com atraso.

Mas o 13º deve ser pago a tempo do Natal em quase todos os municípios. Segundo a pesquisa da CNM, 51,6% dos municípios pagarão a gratificação natalina em parcela única e desses, apenas 5,2% relataram dificuldades em realizar o depósito até o dia 20 deste mês.

EM PARCELAS – Na fatia (47,9%) das prefeituras que pagarão o 13.º em duas parcelas, 6,9% já admitem que vão atrasar o pagamento. 

Com isso, apenas 45,3% dos prefeitos garantiram que irão conseguir fechar as contas do município em 2019, enquanto 15,7% deles já jogaram a toalha sobre o resultado deste ano. Outros 37,8% disseram ainda que esperam o repasse de receitas extras para fazerem os cálculos sobre as contas deste exercício.

A pesquisa foi realizada entre os dias 6 de novembro e 12 de dezembro deste ano, com a participação de 4.618 prefeituras, 82,90% do total de 5.568 municípios.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Caramba! Ainda é grave a crise econômica do país, embora quem assista ao Jornal Nacional esteja recebendo uma visão açucarada da “retomada da economia”. A reportagem mostra que mais de 25% dos Estados dependem de recursos extras do governo federal, que não tem condições de socorrer ninguém. O texto omite também que muitos Estados estão atrasando os repasses aos municípios, o que significa que a situação pode virar uma bola de neve, se não já virou. Por fim, se 40% das prefeituras dependem de repasses extras para fechar as contas anuais, isso significa que vão fechar no vermelho. E como costuma perguntar o CN: Mas quem se interessa? (Marcelo Copelli)

 

13 thoughts on “Feliz Natal! Mais de 25% dos municípios precisam de recursos extras para pagar dezembro e 13º salário

  1. Legado extremo do PT e Partidos e Seitas Bandidas Esquerdopatas !!! Destruíram o Brasil, Roubaram o Brasil por inteiro não precisam de Provas, a Nação inteira é uma Prova sem Contestações !!!!

  2. O bom e útil projeto de Bolsonaro em diminuir a quantidade absurda de municípios no Brasil, evidentemente que enfrentaria uma resistência poderosa do legislativo.

    Somente no RS, haveria 252 municípios A MENOS!

    Dito isso, de nada adianta, agora, acusar A ou B sobre em quem recai a culpa pela quase falência brasileira, que vem de algum tempo, tendo o PT acelerado o processo. o problema que gera angustia, indignação, revolta, é que os servidores dos poderes Legislativo e Judiciário estaduais não só não recebem em dia como seus vencimentos são integrais!

    Enquanto isso, professores, policiais, agentes penitenciários, da saúde … estão com seus salários atrasados e receberão o 13º em 12 parcelas, pelo menos no RS!

    Mais:
    enquanto um professor ganha em média 1.200,00 por mês, ascensoristas recebem mais de dez mil!
    quem lida com as máquinas de tirar cópias, o salário é em torno de 20.000,00!
    motoristas ganham mais de 6 mil;
    deputados estaduais mais de 50 mil, incluindo as verbas de indenização, um meio de roubarem mais os cofres do Estado e da União;
    Magistrados recebem proventos milionários, incluindo assessores, funcionários dos cartórios, o pessoal administrativo, em comparação aos servidores do Executivo.

    Ora, diante desta crise econômica e financeira, dane-se o barnabé, e salve-se aquele que é servidor de uma ou de outra casta.

    A flagrante injustiça; a inaceitável segregação; a diferença de tratamento dos poderes com seus funcionários, demonstram um país desigual, desumano, onde a isonomia constitucional é tão falsa quanto a nossa democracia!

    • Porquê será que novamente MC dá uma alfinetada no governo Bolsonaro, como se fora ele o culpado desta falência fosse municípios. Quando ele escreve que vendo o jn há notícias de ”retomada da economia ” , entre parênteses significa que ele põe dúvida. Oras sair de uma recessão de 3,6% e ir a um positivo de 0,6% é crescimento Copelli? Responda aí.

  3. Nos anos 60, os Funcionário Públicos eram chamados de Barnabés. Tinham estabilidade, mas ganhavam menos que os da Iniciativa Privada.
    Os Barnabés ficaram fortes politicamente. Agora, 80% dos brasileiros viraram concurseiros.
    E quem vai produzir impostos pra pagar esta conta?

  4. Assisti na televisão que têm prefeituras que arrecadam apenas o suficiente para manter a câmara municipal.
    Para combater a corrupção, o toma lá dá cá, o corporativismo, tornar as eleições mais baratas e fazer uma economia vultuosa, devia-se acabar com as câmaras municipais e as assembleias legislativas.
    Criar-se-ia apenas um órgão com concursados que não tivessem ligações com partidos, para substituir as câmaras de vereadores e as assembleias legislativa.
    Seria criado uma lei que regulasse a arrecadação, distribuição da receita e os projetos prioritários. Tudo fiscalizado e controlado por esse órgão apartidário.
    Evidente que jamais farão isso, a mamata não pode acabar. De qualquer forma, sonhar ainda não é proibido

  5. Decisões de muitos anos atrás, estão cobrando a conta.
    Benesses, critérios de aposentadorias, concedidos lá atrás levam um longo tempo para ocasionar problemas, mas agora foram materializados. Muitos desses benefícios foram cortados, porém, assim como demoram os efeitos danosos, também assim ocorre com os efeitos benéficos.

    Li há pouco tempo que o número de funcionários públicos nos últimos trinta anos mais que dobrou. E onde se concentrou esse aumento? Nas prefeituras. No mesmo artigo, o levantamento de salários gerais mostra que os menores salários estão no executivo, aumentam no legislativo e os maiores estão no poder judiciário.

    Eis um link que demonstra o aumento do número de municípios.

    https://monografias.brasilescola.uol.com.br/direito/o-superdimensionamento-numero-municipios-pos-redemocratizacao.htm

  6. NÃO GOSTO DO BOLSONARO MAS, SE ELE CONSEGUIR REDUZIR DRASTICAMENTE O NÚMERO DE MUNICÍPIOS DESTE PAÍS, APOIAREI O ATO. E, SE ELE FIZER O MILAGRE DE REDUZIR PELA METADE O NÚMERO DE PARTIDOS E DE POLÍTICOS (de vereadores a senadores), PODE ATÉ ACONTECER DE, UM DIA, EU VOTAR NELE.

  7. Enquanto isso este ano o governo federal manteve as insencoes fiscas de temer no valor de 350 bi e para o ano que vem orçamento bolsonaro serão mais 338 bi de isenç~~oes,somadas dão 688 bi,verba suficinte para alavancar a economia,e não estou colocando o que se paga de juros e amortizações da divida,colocando 2018 e 2019 deve passar de 800bi,o problema não é a corrupção que deve ser combatida mais que não impede que o brasil cresça.

  8. Podemos ter 10 ministros ,7 secretários estaduais ,5 municipais,vereadores sem remuneração como já tivemos deputados e senadores ganhando salario de sua profissão ,câmara vereadores com no máximo 10 vereadores parlamento estadual com no maximo20 deputados congresso unicameral com no máximo 81 parlamentares nada adiantara enquanto a elite nacional não tiver um verdadeiro compromisso que criar uma nação e nos população não lutarmos pelos nossos direitos.

Deixe uma resposta para Victor Marins Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *