Férias em dobro e outros privilégios dos magistrados se tornaram inaceitáveis e abomináveis

Juízes do RN vão receber retroativo a 1996 – Blog do Silva Lima

Charge reproduzida do Arquivo Google

J.R. Guzzo
Estadão

O Conselho Nacional de Justiça, repartição pública onde juízes julgam os interesses dos juízes, é o tipo de tribunal que qualquer cidadão pediria a Deus para cuidar das suas causas. É praticamente impossível, pelo que fica o tempo todo demonstrado pela observação dos fatos, que um magistrado brasileiro peça alguma coisa ao CNJ e não seja atendido.

Já se viu de tudo, ali – mas sempre há lugar para uma novidade e, quando se imagina que não haveria mais nada para pedir e para dar, lá vêm os conselheiros nacionais da Justiça com um novo presente para os juízes e uma nova fatura para você pagar.

“PAGAMENTO DE INDENIZAÇÃO” – O CNJ, desta vez, decidiu que os magistrados que se afastam do trabalho para presidir algum dos sindicatos da categoria – chamam a isso de “associações”, mas, na prática, são sindicatos – têm direito a receber férias, como todos os colegas que continuam a dar expediente normal, a cada ano que passam sem botar os pés numa vara de Justiça.

Como os juízes têm direito a dois meses de férias por ano, quem fica dois anos num mandato sindical passará a receber do erário quatro salários, pagos em dinheiro, quando voltar ao serviço. É o que chamam de “pagamento de indenização”.

Mas já não seria suficiente, para o público em geral, pagar o salário integral e todas as demais vantagens financeiras dos juízes que presidem seus sindicatos e, por conta disso, ficam dois anos seguidos sem comparecer ao local de trabalho? Pode parecer assim para o leigo ignorante, mas não para quem está realmente capacitado a decidir sobre o assunto.

POR UNANIMIDADE – De acordo com a conselheira que resolveu o caso, com o apoio da unanimidade dos colegas, supõe-se que os companheiros sindicalistas exercem suas funções em tempo integral, todos os dias e durante o ano inteiro; ficam em desvantagem, dessa forma, em relação aos magistrados que trabalham normalmente e desfrutam seus dois meses anuais de férias.

Ninguém faz a menor ideia, naturalmente, de como os presidentes dos sindicatos de fato empregam o seu tempo. Mas para o CNJ é óbvio que os juízes “classistas”, durante a sua ausência do trabalho, estão privados do “repouso” a que fazem jus – e para corrigir essa injustiça devem receber o equivalente a quatro salários em dinheiro vivo pelos dois anos que ficaram sem aparecer no fórum. Repousar do que, se não trabalharam? O CNJ não deu informações a respeito.

MÁQUINAS DE CRIAR POBREZA – Aberrações como essas comprovam, mais uma vez, que as altas camadas do funcionalismo público brasileiro em geral, e do Judiciário em particular, transformaram-se ao longo dos anos em máquinas de criar pobreza neste país.

De onde, na vida real, sai o dinheiro que vai pagar os quatro salários a mais que os sindicalistas da magistratura recebem a cada mandato? Não é de doações dos intelectuais orgânicos, nem da federação dos banqueiros. É do Orçamento da União e dos Estados – e cada tostão pago aos juízes que representam a “categoria” é um tostão a menos para os serviços que o poder público deve aos cidadãos mais pobres.

O pagamento dessa festa sindical é um poema à concentração de renda – ou, então, à distribuição de renda no estilo brasileiro, pela qual se privatiza em benefício de poucos o imposto pago por todos.

QUESTÃO “SOCIAL” – Os habitantes dos galhos mais altos do Poder Judiciário brasileiro deram para falar, de uns tempos para cá, na necessidade de cuidar da questão “social”.

Por que ninguém sugere, aí e no restante deste bioma, que o “combate à pobreza” comece a incluir a sua contribuição material? Fazer discurso a favor de “imposto sobre grandes fortunas” é fácil, sobretudo quando a fortuna é dos outros. O duro é abrir mão das férias em dobro.

19 thoughts on “Férias em dobro e outros privilégios dos magistrados se tornaram inaceitáveis e abomináveis

  1. Concordo, atualmente se acham uma nova Casta e o noticiário mostra . . .

    Infelizmente:

    “Que ingenuidade pedir a quem tem poder para mudar o poder.”
    Giordano Bruno (1548 – 1600), filosofo, teólogo, astrônomo, italiano

    • Todos os que exploram o povo vivem em guetos, escondidos do povo, sem exceção.
      Não basta os militares não poder andar fardados pelas ruas, o restante do serviço público vai pelo mesmo caminho, até chegar aos trabalhadores das estatais.
      Nosso.
      O Brasil vai de mal a pior nas mãos de pessoas que entram na vida pública e não sabem ao menos o que é política.
      Poucos tem a sua vida particular resolvida, e parece que entram na vida pública somente para roubar, como é o caso de luiz inacio.
      Poucos homens que entram para vida pública tem firmeza de propósito para fundar bases resistentes aos malandros de plantão que batem firme e logo derrubam personagens que se entregam aos seus detratores e logo se alinham para cairem na roubalheira juntos.

  2. O artigo é pontual, adequado para tempo de crises sem fim, mas está incompleto.

    As castas do judiciário e legislativo estão nos levando à bancarrota.
    Mercenários, o objetivo é somente a obtenção de salários milionários, e cascatas que seguem como suplemento dos vencimentos e que multiplicam os ganhos várias vezes.

    Os dois poderes juntos custam mais de cem bilhões por ano para o esgualepado trabalhador que, em contrapartida, recebe um salário de 1.045,00 que não paga uma refeição para magistrados e parlamentares.

    A diferença social é tão absurdamente distante, que se calcularmos apenas os proventos de um deputado ou senador, que auferem 200 mil mensais, a cada legislatura os ganhos atingem 9.600.000,00 afora gastos em saúde e diárias eventuais;
    Um trabalhador, um ser humano, um brasileiro, que patrocina esses ganhos injustificáveis, recebe 50.160,00 no mesmo período.
    Ou seja, um corrupto, ladrão, inútil, incompetente, vagabundo parlamentar, vale por 192 cidadãos!!

    Nessas alturas, as férias quádruplas dos magistrados perto dos vencimentos dos parlamentares é até humilhante, haja vista que deputados e senadores gozam férias o ano inteiro!
    Dois dias por semana, 8 no mês, 96 no ano, sobram para o descanso do parlamentar 269 dias para seu lazer, enquanto que um juiz tem 120 dias, menos da metade que tem o legislativo!

    Ah, quanto ao trabalhador, ele não tem a menor noção do que significa tirar “férias”, pois vende o almoço para comprar o jantar!!

    As castas, elites e o poder econômico, transformaram o Brasil em um paiseco, uma republiqueta, um feudo.
    E, nós, que os sustentamos, fomos guindados à escravidão por seis meses ao ano, e temos como obrigações obedecer e outorgar poderes.

    Haveria alguma outra nação mais injusta do que esta?
    Haveria outro país que massacre mais o seu povo do que este?
    Haveria outros poderes iguais no mundo – legislativo, judiciário e executivo – que recebem os proventos que o Brasil os remunera?

    Terra da vergonha!

    • Chicão, se me permitires, assino em baixo!
      Temos a elite do funcionalismo, vivendo à tripa forra, e os párias, como por exemplo os professores.
      Sem falar no resto do Brasil, que vê seus empregos se esboroarem enquanto paga impostos para sustentar essa “elite”.
      Um abraço do Mano

      • Meu caríssimo amigo, Mano,

        Posso afirmar, sem medo de errar, que nada está mais correto.
        O Brasil virou, apenas e tão somente, fonte de riqueza para os poderes constituídos, manutenção das elites e poder econômico que se confunde com estelionato, em razão dos juros que nos são cobrados livremente.

        Jamais li na história – e sabes que aprecio essa matéria -, que um povo tenha sido tão humilhado, injustiçado, vilipendiado como o brasileiro!

        O país se transformou em um gulag sem cerca.
        Miséria, pobreza, fome, frio, desespero, doenças, liberdade tolhida porque nos negam os mais comezinhos direitos que a Constituição nos concede.

        A vida excelente, índices de desenvolvimento pessoal, planos de saúde, salários criminosamente injustos porque autoconcedidos, legislativo e judiciário servem como exemplo e modelo de como os imperadores romanos viviam nababescamente.
        Iguais até no poder de matar, de eliminar as pessoas, e de modo mais cruel e desumano:
        DE FOME!

        Do alto dos meus 70 anos, Mano, eu não os respeito mais.
        Dentro de qualquer presídio existente neste país, há mais ética e moral que nos três poderes, hoje implodidos pela conduta de venais que os representam.

        Agora, antes que algum colega se “alevante” e escreva que somos nós os culpados, digo o seguinte, até em minha defesa:
        Muito antes de sermos as causas dessas diferenças sociais, desses privilégios, de proventos milionários,
        ACUSO quem teria condições de estancar essa sangria do povo:
        AS FORÇAS ARMADAS!

        Cúmplices, negligentes, irresponsáveis, traidores da Pátria e do povo, interesseiros, seriam as Armas que poderiam resolver essas injustiças clamorosas, roubos, explorações e manipulações contra o trabalhador, o cidadão dessa republiqueta!

        Encastelados nas casernas, trabalhando meio expediente, recebendo soldos confortáveis, e agora também participando do poder central, as FFAA cometem o mesmo crime hediondo praticado no passado, quando massacrou milhares de pobres e miseráveis no episódio mais vergonhoso de nossa história:
        A Guerra de Canudos!

        Atualmente, sequer esses esforços os militares precisam:
        basta que sigam permitindo tamanhas afrontas contra o povo, tantas injustiças, insegurança … que nos aniquilam no mole!

        Obrigado pelo teu apoio, que significa muito prá mim, parceiro.

        Um forte abraço.
        Saúde e paz.
        Te cuida, e da tua família, que também muito os aprecio e tenho na mais alta conta.

      • Prezado Guilherme Almeida,

        Grato pelo apoio.

        Mas não temos como impedir que a farra não só continue como aumente!

        Os farristas estão bem protegidos, além de ter o poder nas mãos.
        O Brasil é deles, e a nós cabe obedecer e outorgar poderes.

        Quem poderia nos auxiliar nesse momento, faz parte desse grupelho de corruptos, incompetentes, desonestos, vagabundos:
        as FFAA!

        A permissão velada para que ajam em nosso nome dessa maneira, que não me venha militar algum se defender da minha acusação, ainda mais se alegar que as Armas sustentam a democracia, que vou debochar do cara, vou escarnecer do milico.

        Democracia deles e para eles, na verdade.
        Aliás, quando ouço e vejo um dos membros dos poderes constituídos, nossos inimigos declarados, arrotarem que estamos em pleno estado democrático de direito, eu queria perguntar para esta besta quadrada se o povo passar fome é democrático??!!

        Se não tem um ensino/educação adequados é democrático?
        Se a insegurança que vivemos é democrático?
        Se o desemprego é democrático?
        Se a pobreza e a miséria são democráticos?
        Se as autoconcessões salarias, privilégios, mordomias, regalias, penduricalhos são democráticos?

        SE O SALÁRIO QUE NOS IMPÕEM, valendo CENTO E NOVENTA E DUAS VEZES MENOS QUE RECEBE UM PARLAMENTAR, se é democrático?

        Democracia mentirosa, dissimulada, esta nossa, que somente atende poderosos em detrimento do bem comum!

        Abraço, Guilherme.
        Saúde e paz.
        Te cuida!

    • Vidal, meu conterrâneo,

      E dê-lhe injustiça em cima de injustiça!

      Che, nessas alturas, o Estado islâmico nos trataria melhor que as nossas autoridades!
      Bastaria que seguíssemos à risca o Corão, e tudo bem.

      Agora, no Brasil obedecemos leis, regras, normas, decretos, portarias, códigos, a Constituição, pagamos Imposto de Renda que é sinônimo de extorsão, juros estelionatários, elegemos ladrões e corruptos, e, no entanto, recebemos desemprego, miséria, pobreza, fome, insegurança, violência, saúde pública deprimente e educação/ensino deploráveis.

      País vergonhoso esse nosso, e comandado por crápulas, gente vil e poderes venais!

      Abraço.
      Saúde e paz.
      Te cuida, meu!

    • Meu caro Victor Marins,

      Os militares sempre foram um caso à parte.

      Mas, tem um detalhe importante nesta questão:
      “se o militar faleceu antes de 29/12/2000 ou ingressou nas forças armadas até 29/12/2000 e optou pela contribuição adicional de 1,5%, está assegurado o direito das filhas maiores, independentemente do estado civil.”

      Agora, essas pensões estão limitadas ao soldo do militar, que não seria o meu enfoque.
      Eu me refiro é à apatia, à permissão, à concessão que as FFAA admitam que as injustiças sejam mantidas e até mesmo enaltecidas pelos poderes constituídos, e nada fazem.

      Quanto é o salário de um Primeiro-Sargento, graduação que mais os militares vão para a reserva remunerada?
      7/8 mil reais por mês?
      Que seja dez mil, vá lá.

      No entanto, um parlamentar recebe 20 vezes mais que um militar, que tem como incumbência básica ensinar a tropa, servir de exemplo, de modelo de comportamento profissional e pessoal!

      Logo, nada contra quando morre o militar, que o seu soldo vá para a filha e neta, pois deixam de receber alguns benefícios próprios de quem está na ativa.

      Agora, 200 mil?!
      Magistrados, em média, 100 mil, e dê-lhe compensações do passado, indenizações as mais variadas e exóticas, quando não exigem alimentos e bebidas as mais refinadas e sofisticadas existentes na gastronomia mundial!!!

      Aí, Marins, é escárnio, é deboche, é desprezo explícito pelo povo, é crime lesa pátria porque trata-se de um genocídio sub-repticiamente autorizado!

      Forte abraço.
      Saúde e paz.
      Te cuida, meu!

  3. O povo que tem conta em banco já estava de saco cheio com as cédulas de 100 que são cuspidas das ATMs. Mesmo assim, o governo do Idiota sai com a do lobo-guará e gasta fortuna na TV para descrever as maravilhas da tecnologia usada na nova cédula. O povo pobre raramente usará uma cédula de 200 para compra no super-mercado.
    Mas há necessidade de uma nova CPMF!

  4. A casa da Moeda tinha de confeccionar cédulas de 3/6/15/30/70 reais!

    O povo vive de esmola!
    Com 200,00 no bolso, aí mesmo que as pessoas dirão:
    – Bah, não tenho troco, não me leves a “mal”.

    Agora, medida excelente para corruptos, convenhamos.
    Lembram dos Geddel?
    52 milhões em casa, dentro de várias caixas de papelão.
    Com notas de 200,00, 52 milhões serão possíveis transportar numa maleta 007!

    Moleza total!

    Melhor:
    Os Bolsonaro poderão adquirir até prédios de vários andares levando dinheiro no bolso!

  5. Caro Bendl;
    Concordo com você que o soldo dos Militares é menor que a massa salarial do Judiciário.
    Mas temos que copiar os países que deram certo. Como funciona isto na Austrália. E no Canadá ( ou Suécia, ou USA)? Filhas de Militares herdam salários por lá? O salário médio do Judiciário, é muito maior que o da Iniciativa Privada?
    A neta do General Douglas Mac Artur ainda recebe o salário dele?

  6. Marins, meu caro amigo,

    Acabei de postar um comentário sobre o aumento de salário dos funcionários da AGU, texto em outra página mais recente.

    O que escrevi, e transcrevo, nos dá a ideia dos porquês de nada neste país mudar para diminuir as injustiças, pelo contrário, elas aumentarão propositadamente!

    Espia só:

    Dizer o quê?!

    Para o governo, nas palavras do vice-presidente, gen.Mourão, 600,00 se mantém o consumo, come-se mais e melhor, e até se pode reformar a casa!

    Não comungam dessa idiotice e imbecilidade, evidente, os poderes constituídos, que o próprio ex-militar participa e através de um cargo importante.

    Assistimos, passiva e covardemente, um desfile de atos abomináveis contra o povo.
    Uma interminável procissão de injustiças, de mandos e desmandos, que mais aumentarão a pobreza e a miséria.

    Se, lá pelas tantas, nossos governantes têm uma ideia de como elitizar o Brasil, de antemão ela obrigatoriamente passa pelo genocídio em massa!

    Explico:
    Para cadas parlamentar nas esferas do Legislativo, certamente existem 4 pessoas ligadas a ele diretamente – mulher, filhos, namoradas, namorados, companheiras, companheiros …;
    ao mesmo tempo, em razão da quantidade de assessores que possuem, naturalmente pagos com o nosso dinheiro, mais 20 pessoas que também terão 4 ligadas a si da mesma forma.

    Ora, o número de parlamentares, vereadores, deputados estaduais, federais e senadores, na ordem de 60 mil, multiplicados pelos seus familiares, multiplicados pelos assessores, multiplicados pelas mesas pessoas da família, o legislativo alberga quase 20 milhões de pessoas que possuem ótimas condições de vida!
    E não falo dos funcionários do legislativo que as casas possuem para suas manutenções.

    Do lado do Judiciário, pesquisei que existem 18.500 juízes, desembargadores e ministros.
    Mesmo cálculo:
    família, assessores, famílias dos assessores, temos um universo de 6 milhões de brasileiros vivendo muito bem, sem qualquer necessidade, pelo contrário.
    Igualmente não conto os servidores, que mantém o aparelho judicial funcionando.

    Não encontrei a quantidade de promotores e procuradores dos Ministérios Públicos estaduais e federal.
    Vou pelo palpite.
    Imagino que sejam o dobro dos juízes, 40 mil servidores.
    Cálculo igual, apenas diminuí o número de assessores de 20 para 10:
    mais 6,5 milhões de pessoas vivendo muito bem, sem problema algum.

    Executivo:
    O número de funcionários está na ordem de 610 mil pessoas.
    Repito o raciocínio, dessa vez eliminando assessores, claro:
    temos 3 milhões de pessoas da mesma forma vivendo muito bem, sem problemas de salários.

    As FFAA possuem um efetivo de 220 mil ativos.
    Logo, 1 milhão de pessoas subsistem através dos soldos dos militares, sem maiores preocupações salariais.

    Agora, o sonho do parlamentar, a cereja do bolo, o gás da Coca-Cola, os tribunais de contas:
    Considerando a média de 1.000 servidores para cada tribunal “do faz de conta”, temos cerca de 30 mil pessoas – só o TCU tem 2.500!
    Ou seja, 120 mil seres humanos que vivem muito bem.

    Somando:
    Neste país das injustiças, temos 37 milhões de pessoas que vivem sem saber o que é problema de sustento, educação, saúde pública, segurança, perda do emprego.

    Gente que defenderia seus interesses prá valer, até pegando em armas, se for o caso, pois estas não lhes faltam.
    Logo, sobram 170 milhões de pobres, miseráveis, desempregados, analfabetos funcionais e absolutos, mão de obra desqualificada, pessoas que servem para serviços domésticos, pequenos agricultores, donos de armazém, lojinhas, motoristas, garçons, professores municipais e estaduais, policiais civis e militares, ascensoristas, mecânicos, pedreiros, serventes, entregadores, despachantes …. a massa anônima que move o Brasil e sustenta esses 37 milhões de abonados, merecida ou imerecidamente, caso da maioria!

    Portanto, eis o plano:
    quanto mais pessoas que citei, a plebe, a ralé, esmoleiros, moradores de rua, aposentados do INSS, trabalhadores que recebem o salário mínimo – quanto mais dessa gente perecer, seja pela violência, fome, desnutrição, doenças, O GOVERNO DIMINUI A POPULAÇÃO, diminui os gastos com o povão, e paga salários nababescos para os escolhidos, para as castas, as elites e sistema econômico!

    Encontra-se em curso um plano de ação que não encontra referência na História Mundial;
    o genocídio de uma população, de modo que esses milhões de desprezados cedam espaço e dinheiro para a minoria, que compreende os poderes constituídos!

    E quero ser contestado, peço que haja o contraponto, pois estou convicto e resoluto no que afirmo.

    O aumento da fome, da miséria, da violência exacerbada, a condição cada vez pior do povo para sobreviver, o desemprego … sem que presidente algum se dedique a amenizar o sofrimento do povo, afirmo que são sintomas irrefutáveis e insofismáveis desse genocídio incontestável, dessa intenção monstruosa dos governantes, respaldados pelas castas, elites e poder econômico!

    Eis a verdade plena, absoluta, apodítica, estocástica!
    O objetivo dos poderes é aniquilar com aquele que custa, que não contribui, então cada vez mais carente, fraco, frágil, definhando, até ir morrendo aos poucos!

    ACUSO as autoridades brasileiras de crimes contra a Humanidade!
    ACUSO as autoridades brasileiras de genocidas!
    ACUSO as autoridades brasileiras de limpeza social, étnica e religiosa no país!

    E digam se estou errado ou me processem, mas as provas abundam em meu favor!

    Outro abraço, parceiro.

  7. Certíssimo Bendl.

    “Esta é a Constituição dos Miseráveis”
    Ulisses Guimarães 1988

    ” Temo que o senhor esteja sendo profético”
    Roberto de Oliveira Campos 1988

    O tempo é o senhor da razão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *