Força Islâmica protesta na Palestina contra mudança da embaixada em Israel

Palestinos não aceitam embaixada brasileira em Jerusalém

Eliane Cantanhêde
Estadão

Apoiados por manifestantes e cartazes, representantes da Força Islâmica entregaram hoje, 7/11, ao ministro conselheiro  André Cortez, do posto brasileiro em Ramallah, na Palestina, um manifesto repudiando a proposta do presidente eleito Jair Bolsonaro, de mudar a embaixada do Brasil em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém. ”Brasil, respeite para ser respeitado”, dizia uma das faixas. “Brasil reconhece Palestina com fronteiras desde 1947”, defendia outra. “Transferir embaixada para Jerusalém desrespeita resolução da ONU”, pregava uma terceira.

Além da embaixada de Israel, instalada em Tel Aviv, o Brasil mantém o posto em Ramallah em respeito à Palestina e como demonstração de neutralidade diplomática no conflito no Oriente Médio.

EUA E GUATEMALA – Só dois países mantêm suas embaixadas de Israel em Jerusalém: os Estados Unidos, por recente e polêmica decisão do presidente Donald Trump, e a Guatemala. O Paraguai, que chegou a transferir sua embaixada, voltou atrás.

Ao anunciar a transferência da embaixada depois da posse, Bolsonaro já provocou retaliações do Egito, um dos países mais moderados do mundo árabe, que simplesmente cancelou abruptamente uma visita do chanceler Aluízio Nunes Ferreira e de uma comitiva de empresários brasileiros que têm negócios na região.

Diante das reações, Bolsonaro disse que ainda pode rever sua intenção e tomou duas providências: apressou a escolha do futuro chanceler e está selecionando um assessor especialmente para a área externa. Já não era sem tempo.

8 thoughts on “Força Islâmica protesta na Palestina contra mudança da embaixada em Israel

  1. A transferência da embaixada somente para atender a pleito de evangélicos fundamentalistas é injustificável.

    É preciso ficar atento a esses fundamentalistas cristãos. Ninguém imaginava que pudesse surgir no mundio islâmico em pleno século XX coisas como a Irmandade Muçulmana e seus ramos radicais como Daesh e Al Qaeda. Por que não pode acontecer o mesmo em outras religiões?

    Pode parecer exagero, mas quando se trata de fanatismo tudo é possível.

    • Fui ler a recomendação do comentarista. Logo de cara:

      “Rubem Gonzalez em mais uma aula de Geopolítica [sic] fala hoje sobre como a China e a Rússia estão jogando o Dóllar [sic] americano [sic] na lata do [sic] lixo…”

      Desisti.
      Só aí o curto texto pontuava com três erros. Se você quer ouvir doutrinação barata, ‘passeie’ pela recomendação dada com o link indicado.

  2. “Most of the western EU member states recognize PLO representative offices, but do not award them the full embassy status that would be given to sovereign nations with diplomatic ties to Brussels.” (THE JERUSALEM POST, Nov 8, 2018).

    A maioria dos estados membros da Europa Ocidental reconhece os escritórios de representação da OLP, mas não concede a eles o status de embaixada completa que seria dado a nações soberanas com laços diplomáticos com Bruxelas. (TRADUÇÃO LIVRE).

    “Diante das reações, Bolsonaro disse que ainda pode rever sua intenção e tomou duas providências: apressou a escolha do futuro chanceler e está selecionando um assessor especialmente para a área externa. Já não era sem tempo.” (ELIANE CANTANHÊDE).

    1. Não informa onde, quando e em que circunstâncias Bolsonaro decidiu rever sua intenção;

    2. A escolha do futuro chanceler não guarda relação com o que a jornalista escreveu. É mais apropriado, julgo eu, pensar que Bolsonaro está restaurando à diplomacia brasileira o papel que ela perdeu nos últimos 16 anos.

    Quanto a escolha da embaixada brasileira em Jerusalém, ela não guarda relação com os evangélicos. Bolsonaro não estaria fazendo a mudança por motivos teológicos.

    A Palestina é, econômica, política e social uma espécie de zero à esquerda. Israel é um parceiro que interessa, e muito ao Brasil.

    Concordo porém, que os Palestinos são especialistas em ‘fazer barulho’.

    • FATO

      “Para nós, isso não é um ponto de honra, essa decisão [sobre a embaixada]. Agora, quem diz isso, onde é a capital de Israel, é o povo, o Estado de Israel. (…) Pelo o que vi também, é questão de agenda. Agora eu acho que seria prematuro um país anunciar uma retaliação em função de uma coisa que não foi decidida ainda”, disse Bolsonaro, ao sair do prédio da Marinha em Brasília. A fala foi registrada em vídeo e divulgada pelo site BuzzFeed.” (https://www.brasildefato.com.br/2018/11/07/bolsonaro-diz-que-mudanca-de-embaixada-em-israel-nao-foi-decidida-ainda/)

      ‘CHUTE’

      “Ao anunciar a transferência da embaixada depois da posse, Bolsonaro já provocou retaliações do Egito [O EGITO APROVEITOU E FEZ MÉDIA, APLAUSOS DOS ÁRABES PARA SISSI], um dos países mais moderados do mundo árabe [DEVE SER ESSA MODERAÇÃO QUE FEZ BARAK OBAMA CONSIDERAR EGITO UMA DITADURA E CORTAR APOIO MILITAR], que simplesmente cancelou [FEZ MÉDIA: IMPORTA MAIS DO QUE EXPORTA PARA O BRASIL] abruptamente uma visita do chanceler Aluízio Nunes Ferreira e de uma comitiva de empresários brasileiros que têm negócios na região.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *