Geddel, preocupado com os R$ 51 milhões, quer saber quem informou a Polícia

Resultado de imagem para GEDDEL charges

Charge do Kacio (kacio.art.br)

Pedro do Coutto

Surpreendente o comportamento do ex-ministro Geddel Vieira Lima, atitude de alguém que confessa por ação tácita a propriedade de um  tesouro decorrente da corrupção. O Globo, em matéria publicada neste sábado, revela que Geddel, através de seus advogados, recorreu ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato  no STF, para saber o nome de quem informou a Polícia Federal a existência dos 51 milhões encontrados no apartamento de Salvador. Geddel Vieira Lima procura saber também através de qual telefone ele foi objeto da delação.

O Ministro Edson Fachin ainda não definiu o pedido, mas se tivesse ocorrido no passado, era um caso para ser encaminhado a Conan Doyle, Agatha Christie e Ian Fleming.  Isso porque é possível que tal pedido nunca tenha sido incluído em nenhuma obra de mistério policial. O inusitado  é que, além da solicitação, o pedido de Gedel revela sem dúvida uma confissão por ação tácita. Pelo menos uma confissão de ser ele o dono, ou um dos donos do tesouro encontrado na capital da Bahia em notas de reais, dólares e euros.

RÉU CONFESSO – Claro. A indagação do homem que foi ministro de Lula e de Temer e no governo Dilma Rousseff tornou-se vice-presidente da Caixa Econômica Federal, ao demonstrar seu interesse oficial na descoberta, revelou sua preocupação tanto com a origem da informação quanto do destino do dinheiro. Portanto, confessou sua participação.

O singular é que na literatura policial , salvo melhor juízo, não creio haver algum personagem que através de uma Corte Suprema quisesse saber o nome de quem o delatou, tampouco o número do telefone de quem transportou a delação por um fio telefônico. É tipicamente um caso no qual o investigado quer investigar a origem do processo de delação de que foi foco. Realmente algo surpreendente.

###
A PORTARIA DA ESCRAVIDÃO, 129 ANOS DEPOIS

Reportagem de Joana Cunha, Folha de São Paulo, também deste sábado, revela frontalmente a existência de trabalho escravo no Brasil, 129 anos depois da Lei Áurea. A repórter, cujo texto e fotos ocupam duas páginas do jornal, percorreu o sul da Bahia e encontrou uma série de situações nas quais o trabalho escravo se inclui. São citados nomes de homens e mulheres submetidos a situações degradantes. O pior é que o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, contrariando diretamente informações da fiscalização de seu próprio Ministério, que acusam a existência da pré-abolição em diversas áreas rurais do país, mesmo assim editou a Portaria que alcançou péssima repercussão nacional e internacional

A reportagem, com base num mapa elaborado pelo quadro técnico do Ministério, revela as áreas numa série de estados da Federação, principalmente no Pará e Minas Gerais, onde a escravatura resiste até a passagem para o século XXI.

DESCONHECIMENTO? – Os técnicos do MT produziram uma lista acusando nada menos que 131 empresas rurais. Como é possível que o titular da pasta , Ronaldo Nogueira, não tenha conhecimento?

O conhecimento no caso era sua obrigação. Mas até agora ele não revogou a Portaria escravagista. O Presidente Michel Temer contemporizou para não contrariar os interesses da bancada ruralista na Câmara dos Deputados.

A Portaria foi anulada, de fato, pelo despacho da Ministra Rosa Weber, relatora do processo no Supremo Tribunal Federal. Ao que parece somente o STF livrará o Brasil de tão vergonhoso ato.

6 thoughts on “Geddel, preocupado com os R$ 51 milhões, quer saber quem informou a Polícia

  1. Este foi pego com a cueca manchada, é corrupto com provas concretas, agora o que a justiça fará é que são elas, estamos no Brasil e tudo pode acontecer nesta democracia fajuta.

  2. È o fim do Mundo, ou seria o Fim do Brasil…..

    Aliás, esse é o grande aliado do Presidenciável Johnny Dóllar Furado, que nas horas vagas vai de encontro ao Presidente Ladrão para trocar ideias……..
    Segundo o ladrão, ops, o Prefeito Tour Johnny Dollar Furado. ‘Eu ensino aos meus filhos como ser honesto todos os dias”…

    Viva La France.!!

  3. O nome disso…..dessa Ação de Geddel é. ..”falta de surra de urtiga…”
    Se, após um pedido cretino desses, que deveria ter o papel formalizador rasgado publicamente pelo juiz solicitado, tanto ele quanto o “adevogado” sofressem uma surra publica de urtiga….nunca mais um moleque desse ou qualquer outro bandido do mesmo naipe faria uma canalhice dessa.
    Que pais mediocre esse nosso!
    Eita Brasil Cloaca!!!
    E….printando o post.
    Em BSB 11:52 do dia 05 nov.

  4. Por falar em bandido, veja este caso do deputado baiano FRANCISCO FLORIANO:

    “Deputado federal levou parentes do traficante Marcinho VP para audiência com ministro da Justiça. O encontro, no ministério em Brasília, aconteceu no dia 4 de julho. Deputado Francisco Floriano pediu para Torquato revogar a proibição de visitas íntimas nos presídios federais. Encontro não estava na agenda oficial de Torquato Jardim.”

    -Dá para ver, claramente, que a campanha dele foi financiada pelos traficantes e por isso, agora, os manos estão cobrando a contrapartida das promessas feitas durante a campanha. Na “cara dura” na na vista de todos.

    https://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/deputado-federal-levou-parentes-do-traficante-marcinho-vp-para-audiencia-com-ministro-da-justica.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *