Gilmar Mendes pretende levar caso de Lula que questiona suspeição de Moro à Segunda Turma até novembro

Moro corre o risco de sofrer nova derrota ainda este ano

Rafael Moraes Moura
Estadão

Depois de ter duas sentenças anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, corre o risco de sofrer uma nova derrota na conclusão do julgamento do habeas corpus em que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o acusa de agir com parcialidade ao condená-lo no caso do triplex do Guarujá. O ministro Gilmar Mendes pretende levar o caso à Segunda Turma até novembro.

Integrantes da Corte dizem que o ideal é o julgamento ser retomado apenas quando o voto de Celso de Mello estiver “amadurecido”, já que a definição do resultado deve caber ao decano – que sinalizou, nos bastidores, a possibilidade de se alinhar a Gilmar e a Ricardo Lewandowski a favor do pedido do petista para derrubar a condenação. Os ministros Edson Fachin e Cármen Lúcia já votaram contra o pedido do ex-presidente.

CASO BENDINE – Se o pedido for aceito, seria a terceira vez que o Supremo anularia uma sentença de Moro só neste semestre. Em agosto, por 3 a 1, a Segunda Turma derrubou a condenação que havia sido imposta ao ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil Aldemir Bendine, sob a alegação de que o executivo fora obrigado a entregar sua defesa no mesmo momento em que delatores da Odebrecht apresentaram suas alegações finais, sem poder, assim, rebater as acusações.

À época, pela primeira vez a ministra Cármen Lúcia não acompanhou o relator da Lava Jato, Edson Fachin, no julgamento de casos cruciais da operação na Segunda Turma, conforme levantamento do Estado. A posição de Cármen foi interpretada como sinal de que mesmo magistrados mais favoráveis à Lava Jato poderiam se opor ao que alguns chamam de excessos de juízes e procuradores.

No início deste mês, o plenário também derrubou a condenação do ex-gerente da Petrobras Marcio de Almeida Ferreira em um caso similar ao de Bendine. Falta ainda definir a tese que pode abrir brecha para a anulação de mais condenações, como a de Lula no caso do sítio de Atibaia.

9 thoughts on “Gilmar Mendes pretende levar caso de Lula que questiona suspeição de Moro à Segunda Turma até novembro

  1. No Roda Viva, gilmar mendes disse que a imprensa criou falsos heróis, referindo-se a Lava Jato. E que esqueceu e enaltecer o trabalho do STF no julgamento do Mensalão. Traduzindo: a tentativa de descontrução da Lava Jato é motivada por ciúme, inveja.

  2. O problema todo do Gilmar Mendes, mais conhecido como Beiçola, é o ciume desvairado e o medo de ser pisoteado no próprio rabo, exalando odor nada agradável.

    Os fatos são tão escandalosos que chega a ser inacreditável que estejam acontecendo….

  3. Boa noite , leitores (as):

    Senhores Rafael Moraes Moura ( Estadão ) , Carlos Newton e Marcelo Copelli , acontece que os Ministros/juízes do STF , Gilmar Mendes , Ricardo Levandowiski , Alexandre Morais , Celso Melo e Dias Toffoli , não estão apenas ” DESRESPEITANDO , DESQUALIFICANDO , DESONRANDO ” o ex-juiz e agora Ministro Sérgio Moro , e sim , aos demais membros do poder judiciário nacional , que analisaram e validaram as decisões do então juiz Sérgio Moro , portanto o que é um crime ” ANUNCIADO e PREMEDITADO ” que os ministros/juízes do STF , pretendem cometer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *