Golbery-Passarinho

Desculpem, Golbery passou para a reserva como Tenente Coronel, todos tinham duas promoções, foi a general. Confundi com Passarinho. Servia no Pará (nasceu ali perto no Acre), no dia 1º de abril invadiu o palácio, se fez “governador”. Teve que passar para a reserva, era Major, ficou sendo coronel.

Um dia, no “governo” Castelo, os generais resolveram acabar com esses privilégios. Decidiram: quem passar para a reserva agora, ganha as duas promoções e elas acabam. Ficaram em pânico: oficiais mais velhos de Exército, Marinha e Aeronáutica, pediam para ir para casa.

O Aquino, como sempre, tem razão. Negrão de Lima foi padrinho do  casamento de Castelo com Dona Argentina. Em 1936, Negrão foi o “correio do Czar” de Vargas, consultou os governadores sobre o Estado Novo de 1937.

Como compensação, Vargas nomeou-o embaixador, ficou passeando pelo mundo. Naquela época, o presidente (ditador) fazia a nomeação, não havia “carreira”. Em 1938, foi criado o Instituto Rio Branco, a primeira turma saiu em 1941. Aí, acabou a “vontade” dos presidentes. Mas inacreditavelmente, Celso Amorim chegou a embaixador e a chanceler. Que República.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *