Há algo no ar e o Supremo pode se recuperar desse processo de desmoralização

Resultado de imagem para supremo charges

Charge do Alpino (Yahoo Brasil)

Carlos Newton

Não mais que de repente, diria Vinicius de Moraes, parece que o vento virou e surgiu uma perspectiva de que o Supremo Tribunal Federal possa se redimir e vencer o atual processo de desmoralização que está enfrentando, não somente por conta de decisões de Gilmar Mendes (ele, sempre ele), mas também dos demais ministros, pois cometem erros, embora nem todos possam ser acusados de se equivocar propositadamente.

Há alguns considerados imutáveis, como Gilmar Mendes e Marco Aurelio Mello (os dois se tornaram inimigos, não se falam há anos e seus votos são juridicamente imprevisíveis) ou Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli (pela comovente e constrangedora fidelidade que demonstram às suas raízes petistas). Mas eles são apenas quatro, num plenário com onze integrantes. Isso significa que a ampla maioria, formada pelos outros sete ministros, pode recuperar a velha chama e recolocar o Supremo Tribunal Federal no patamar de respeitabilidade que necessita resgatar.

SONHAR NÃO É PROIBIDO – É claro que se trata apenas de um sonho, mas pode se concretizar, porque estão surgindo fortes indícios nesse sentido, diante das recentes manifestações de Luís Roberto Barroso, que já se tornou a maior liderança do Supremo e acaba de colocar Gilmar Mendes em seu devido lugar, e de Alexandre de Moraes, que ensaia se libertar da influência que o presidente Michel Temer exerce sobre ele, por serem amigos íntimos, e acaba de dar uma palestra em que defendeu a liberdade dos juízes, vejam como as coisas mudam nessa vida louca.

E o esforço de recuperação do Supremo ganhou nesta segunda-feira uma força enorme, devido ao posicionamento corajoso do ministro da Justiça, Torquato Jardim, que se descolou da orientação de Temer e alertou que o Supremo precisa recuperar sua biografia e tem de manter a jurisprudência da prisão após sentença condenatória em segunda instância.

Torquato deu um grito de independência logo após a Advocacia-Geral da União se curvar totalmente à Operação Abafa, com a ministra Grace Mendonça apresentando vergonhoso parecer contra a prisão após segunda instância, para inviabilizar a Lava Jato e permitir a libertação de todos os seus réus, além de outros grandes criminosos, como o ex-senador Luiz Estevão, o jornalista Pimenta Neves e o goleiro Bruno Fernandes.

FORA DA OPERAÇÃO ABAFA – Em tradução simultânea, isso significa que o Supremo começa a acordar do pesadelo e está saindo fora a Operação Abafa, claramente liderada no Judiciário pelo tucano Gilmar Mendes, que no início da Lava Jato era implacável contra réus petistas, mas mudou de posição depois que a luta contra a corrupção começou a atingir o PSDB e o PDMB. Este revertere ficou claro e notório, foi até destacado por Luís Roberto Barroso na discussão em plenário, semana passada.

Quando o Supremo apodrece, como está acontecendo, o país perde seus valores, tudo em volta passa a não fazer mais sentido. É como aquele famoso ditado calhorda: “Se Deus não existe, tudo é permitido”. Equivocadamente, Jean-Paul Sartre atribuiu esta frase a Dostoievski em “Os Irmãos Karamazov”, mas na verdade o genial escritor russo jamais escreveu isso. Sartre fez uma adaptação de um trecho em que o personagem Mitia, um dos irmãos Karamazov, procede a um questionamento: “Que fazer, se Deus não existe, se Rakitine tem razão ao pretender que é uma ideia forjada pela humanidade? Neste caso, o homem seria o rei da terra, do universo. Muito bem! Mas como ele seria virtuoso sem Deus?”.

###
P.S.
– A indagação de Dostoievski agora se repete no Brasil. Aqui entre nós, sem um Supremo virtuoso, para onde este país irá? (C.N.)

17 thoughts on “Há algo no ar e o Supremo pode se recuperar desse processo de desmoralização

  1. Caro Newton, queira Deus, que o STF, volte a ser a Suprema corte, último refugio da Cidadania Soberana. Infelizmente o que este congresso está articulando em “blindagem para seus crimes”, é o fim do mundo.
    Quando li a reportagem mostrando o Presidente da Suprema corte, na Suécia, as 07,00 horas, em uma manhã gelada encapotado, no ponto do ônibus, para ir trabalhar, como qualquer Cidadão, morri de inveja, ao ver a situação em que Brasil está. Que o Ministro Barroso, saia vencedor, para a moralização do STF, em beneficio da Justiça Brasileira.
    Roguemos a Deus pelo nosso Brasil, e pela Humanidade desgarrada dos valores fraternos.
    A cada um segundo suas Obras e pagarás até o último ceitil, Leis cósmicas, a que estamos sujeitos. Essas Almas que estão nas trevas, em suas obras malfazejas, já tem garantido o “Ranger de dentes”.

  2. Por serem do “supremo”, passaram a se achar colegas do outro supremo, o “ser supremo”, aquele que dizem ser o criador de tudo.
    Mas enquanto a água batia apenas na bunda, não deram importância, achavam ser apenas “marolinha”, porém agora que a água já chegou a altura do queixo, virou uma correria só, descobriram tratar-se de tsunami.
    Nada como uma boa vaia ou uma tomatada certeira para fazer alguns indivíduos mudar certos conceitos.
    A prova real sera agora conferida com o caso do Cabral. Veremos se houve recuperação, ou haverá recaída. Estaremos de olho nas excelências.

  3. O ultra-petista Barroso erigido em reserva moral do supremo? A que ponto chegamos….

    Se o supremo deseja realmente recuperar um poco de credibilidade, poderia começar desmentindo a afirmação de Renan aos 0:22 segundos:

    https://www.youtube.com/watch?v=L5I2JmsSZfs

    Uma afirmação gravíssima como essa não permanecer sem um desmentido por qualquer corte que deseje guardar um mínimo de respeito.Já seria um começo.

  4. Olha, acho que todo mundo já percebeu, CN, sua boa vontade para com o ministro Barroso. Convenhamos, não arrisque sua reserva moral em prol de resgatar os vícios de outros. Não invente santos, ali ninguém presta. Ninguém presta. São uns infiltrados. Uns pobres deagraçados que venderam a vergonha pra chegar ao topo e depois mostrarem a todos que estão nus. O supremo impera vaidade já no próprio num nome da instituição. Homens considerados acima de todos… Semideuses brasileiros. Convenhamos que até essa sensação de semideuses deles é fajuta, vale apenas quando se diz respeito julgar um peixe pequeno…

    • “até essa sensação de semideuses deles é fajuta, vale apenas quando se diz respeito julgar um peixe pequeno…”

      Exato!
      Recentemente, quando os senadores falaram grosso no caso do afastamento do Aécio, vimos como o “Supremo” ficou de cócoras.

    • Desculpe, Menezes, não tenho nenhuma reserva moral para exibir, sou igual a todos, vivo cometendo erros, não me leve muito a sério, por favor.

      Abs.

      CN

  5. Carlos Newton, podes comprar uma poltrona bem confortável e esperar sentado. Não vai ser a atual turma do STF que vai trazer a honestidade de volta.

  6. Só acreditarei que as coisas mudarão quando os supremos juízes passarem a dar exemplo tipo , abandonar as mordomias que são verdadeira exploração do povo trabalhador , ou seja cortar na própria carne .
    Carro oficial…
    Auxilio moradia..
    Auxilio passagens..
    Auxilio estudos dos filhos
    Planos de saúde …
    Entre outras que não temos conhecimento ….
    Agora essas desavenças entre eles são cortina de fumaça , não passa de purpurina ….

  7. Prezado CN
    Concordo integralmente que sonhar não é proibido, e muitos de nós sonhamos com um STF forte e, principalmente, JUSTO. Mas convenhamos que isso é difícil.
    Gilmar, Toffoli e Lewandowski formam o triunvirato da ORCRIM no STF. São votos certos contra a Ética na política. São votos a favor dos meliantes do PT e do PSDB.
    Alexandre de Moraes (neste ponto, permita-me discordar) mostra-se perfeitamente alinhado com Temer e o PSDB. Ainda não chegou ao extremismo vergonhoso do triunvirato da ORCRIM, mas mostra que reza a mesma cartilha. Torço para que mude, mas defender liberdade de Juízes não significa ser independente.
    Até aqui temos quatro votos certos da ORCRIM.
    Marco Aurélio é, como dizem, “de lua”. Totalmente instável, é impossível definir uma linha de conduta, mesmo no campo estritamente jurídico.
    Falta apenas um voto para ter a maioria.
    Carmen Lúcia, a Presidente, apesar de me parecer uma pessoa justa e ética, mostra-se covarde, sucumbindo aos gritos de Gilmar Mendes. Como exemplo, tirou da pauta todos os processos relativos à Lava Jato, apenas para não correr o risco de provocar discussões acaloradas no picadeiro, isto é, no plenário do STF. Age como uma Madre Superiora, e não como uma Ministra da Suprema Corte.
    Ficamos na dependência de Fachin, Rosa Weber, Fux, Celso de Melo e Barroso, a minoria. Continuo sonhando, mas é cada vez mais difícil acreditar.
    Quanto ao Ministro Barroso, apesar das críticas que recebe pelo seu posicionamento político, apesar de erros cometidos, concordo que se trata da maior liderança e da voz mais coerente naquele tribunal.
    Independente de erros do passado, o mais importante num Magistrado é buscar, sempre, ser ético e justo. Posso estar enganado, mas sinto que esta é a busca do Ministro Barroso.
    Existem apenas três coisas certas na vida: vamos morrer, vamos cometer erros e tudo é uma constante transformação (até o ser humano).
    Por isso me permito sonhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *