Investidores externos querem ‘esforços para reforçar economia’, que enfrenta ‘recessão’

Resultado de imagem para guedes charges

Charge do Iotti (Zero Hora)

Carlos Newton

A excelente jornalista Andréia Sadi, cujo blog fica hospedado no G1 Brasília, revela que o ministro da Economia, Paulo Guedes, reuniu os secretários de sua pasta para lhes pedir que apresentem projetos de suas áreas, planejados para aquecer a economia após a aprovação da reforma da Previdência. A curto prazo, diz Andréia Sadi, o foco principal de Guedes são medidas que poderão estimular o ambiente econômico, como o incentivo a saques do PIS/Pasep e do FGTS.

Caramba, amigos! A equipe econômica está trabalhando nisso desde a campanha eleitoral, já se passou um ano e até agora a única medida palpável para incentivar a economia é facilitar saques do PIS/Pasep e do FGTS, uma imitação tosca da medida determinada por Henrique Meirelles no governo Temer? ‘O que é isso, companheiro”, diria Fernando Gabeira.

NO EXTERIOR – Enquanto isso, outro excelente jornalista, Nelson de Sá, da Folha de S.Paulo, aborda a repercussão da reforma da Previdência no exterior. revela que a agência Bloomberg destacou que ainda faltam “todas as outras coisas” e daqui para a frente “os investidores vão querer ver mais esforços para reforçar a economia”.

Um gráfico mostra a retirada estrangeira da Bovespa em 2019, sob o governo Bolsonaro. Diz a Bloomberg que os investidores estrangeiros vinham “fugindo do Brasil”, com retirada de R$ 5 bilhões da Bovespa só no primeiro semestre deste ano. “Os recordes seguidos de alta no índice de ações são guiados em sua maioria por investidores locais”, assinala a matéria.

Já o jornal inglês Financial Times avaliou na sua reportagem que “a mudança é vista como essencial para restaurar a confiança na economia do Brasil, que enfrenta perspectiva de recessão no segundo semestre” por causa “do mergulho no investimento e do encolhimento na produção industrial”.

E A DÍVIDA – Lá de longe, os especialistas enxergam nossa realidade melhor do que aqui. Mas nem a imprensa nacional nem a estrangeira tocam no ponto principal da crise brasileira, o descontrole da dívida pública. É que a participação estrangeira é pequena – o Brasil deve aos próprios brasileiros. Somente cerca de 6,33% da dívida estão com bancos do exterior e outros 5,86% com investidores estrangeiros. No total, apenas 12,19% nas mãos do pessoal lá de fora. Talvez por isso não se preocupem muito com a disparada da dívida brasileira.

O maior credor é o mercado financeiro. Somente os fundos de investimentos detêm cerca de 50% do total, e os bancos nacionais estão com 27,74% da dívida.

Como todos sabem, Bolsonaro confessa não ter a menor ideia de que como evolui a dívida. O superministro Paulo Guedes sabe, acompanha, porém se cala e nada faz. É um estranho procedimento. Mas quem se interessa?

###
P.S. 1 –
É fundamental fazer uma auditoria da dívida, sem dar calote nos credores, mas analisando aspectos importantes, como os juros compostos – ou juros sobre juros, como se diz hoje em dia. A continuar essa situação, é melhor trocar a dívida interna pela dívida externa, porque fica muito mais barato.  

P.S. 2 – Os culpados pela dívida interna gigantesca são Fernando Henrique Cardoso, Lula da Silva e Dilma Rousseff, porque Michel Temer tentou contê-la, mas não conseguiu, e Jair Bolsonaro é pior ainda, porque nem sabe que a dívida existe. Acredite se quiser. (C.N.)

8 thoughts on “Investidores externos querem ‘esforços para reforçar economia’, que enfrenta ‘recessão’

  1. É isso que dá eleger um ignorante total à presidência da república. Todos os anos de congresso não lhe ensinaram nada. E o pior: ele foi precedido pelo maior grupo de ladrões que já existiu no planeta: os políticos do PT. Resultado: os brasileiros não têm escolha. Ou votam no ruim ou votam no pior. Melhor não votar em ninguém.

    • Nenhum presidente entende de economia. Esta é uma tarefa dada a quem entende e, Paulo Guedes, entende.
      Entendeu?

      PS. Tudo jeito que que a esquerda deixou a economia, pior do que tá, ela não vai ficar.

  2. P.S. 2 – Os culpados pela dívida interna gigantesca são Fernando Henrique Cardoso, Lula da Silva e Dilma Rousseff, porque Michel Temer tentou contê-la, mas não conseguiu, e Jair Bolsonaro é pior ainda, porque nem sabe que a dívida existe. Acredite se quiser. (C.N.)

    Tradução simultânea: Temer segurou os juros e a inflação não disparou kkk KKK kkk

    E Vivas ao Real de inflação baixa … e desemprego alto kkk KKK kkk

  3. Dessa vez, para alegria de Awuaihe, o biruta, devo concordar em grande parte do que o editor diz.

    Mas as medidas para colocar a economia nos trilhos estão sendo tomadas com a reforma da previdência entre outras que deverão entrar na pauta.

    E, como alguns esclarecidos sabem, os investidores não arriscarão seu dinheiro num país caótico economicamente como o que a esquerda nos legou.

    É preciso ter liberdade econômica, garantia jurídica e a economia sadia, que é o que este governo está tentando fazer.

  4. O blogueiro pode ser até um intelectual em outras áreas do conhecimento, mas em economia é um analfabeto. É de dar pena quando começa a escrever sobre economia. Pelo menos agora, ele sabe que o títulos públicos estão com os fundos de investimentos que estão na mão da população brasileira. Vou dar uma dica: o país nunca pagou um juros tão baixo, a dívida cresceu muito com os juros reais da Dilma. Na época da Dilma era 7% a 8%, hoje é 2,31%. Sempre estávamos em primeiro lugar, hoje estamos em 7 lugar.

  5. Prezado Carlos Newton, não sei se o senhor está em 1º ou 5º lugar (difícil citar por ordem numérica) entre as 10 pessoas desse país pelo qual mais aprendo sobre um pouco de cada assunto abordado nos seus respectivos Blogs e Sites.
    Com o senhor eu aprendo um pouquinho de Economia, de Política, de questões Jurídicas, sobre o Socialismo, sobre o próprio Karl Marx, religião, sobre a questão indígena, da Amazônia e de outros assuntos da Área do conhecimento.
    Antes da era Internet, apesar de ter só o curso médio, eu ousei ler milhares de jornais, centenas de revistas, dezenas de Livros e assisti a milhares de telejornais.
    Com o advento da Internet e por gostar de andar um pouco informado (dentro da minha capacidade de cognição) a respeito das coisas que nos ronda, aprendi um bocado de coisas com o Senhor, com o Reinaldo Azevedo (quando seu Blog estava hospedado no site da revista Veja), com o Rodrigo Constantino, Olavo de Carvalho, Luiz Felipe Pondé, Marco Villa, Percival Puggina e outros pelo qual me foge da memória.
    E olhe que o senhor é marxista, mas não come a gaiva (usando da gíria) dos políticos corruptos (nem da Esquerda e nem da Direita) e é a favor da Operação Lava Jato.

    PS.1 – Tenho algumas ressalvas a respeito do Olavo de Carvalho. Às vezes ele se torna uma pessoa azeda e agressiva para com pessoas que acho não merecer suas ácidas críticas. Sim, também às vezes o acho pornográfico, mas jamais posso questionar (quem sou eu!) sua capacidade intelectual.

    PS. 2 – Desses personagens que costumo ler, alguns ou até todos, já lançaram Livros e até já comprei alguns.
    E o Carlos Newton já publicou Livros?
    Porque o Carlos Newton não põe no Wikipédia a sua trajetória de vida e jornalística?
    É uma pessoa pública reservada e que não gosta de publicidade e holofotes?

    PS. 3 – E para quem também gosta de se informar através de Vídeos, principalmente sobre a situação atual da politica brasileira, está aí o YouTube.

    • Grato por suas palavras bondosas a meu respeito, amigo João da Bahia. Todos nós estamos aprendendo a cada dia, socraticamente. Tenho alguns livros escritos e preguiça de publicar. Trabalhei com os melhores e com eles aprendi. Fiz sucesso na TV, quando jovem, mas desisti do ramo, estimula a vaidade pessoal, leva-nos por caminhos tristonhos, como dizia Ary Barroso. No final, tudo são folhas mortas e cinzas.

      O importante, lembrando o almirante Barroso, é que cada um cumpra seu dever. Quanto ao fato de ser marxista, acho que o bicho homem precisa ser protegido e amado, como se fosse um animal em extinção. Meu marxismo é light, apenas quero o fim dos planos de saúde, com tratamento igualitário a todos, assim como educação universal a todas as crianças e jovens, com ensino também igualitário, sem escolas privadas. Além disso, uma moradia para cada família e um emprego que a sustente.

      Apenas o básico. O resto pode ser suprido pelo mercado liberalista do genial Adam Smith, um pensador a que muito admiro.

      Abs. e vamos em frente, sempre juntos.

      CN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *