Itália dá exemplo e reduzirá em 1/3 o número de seus parlamentares

“Para a Itália, é uma jornada histórica”, disse Giuseppe Conte

Deu no O Globo

A Câmara dos Deputados da Itália aprovou nesta terça-feira, dia 8, de maneira definitiva, um projeto de reforma constitucional que reduz o número de parlamentares em 36%. Por 553 votos a 14, além de duas abstenções, a medida teve o apoio tanto do governo quanto da oposição.

A proposta era uma bandeira do populista Movimento 5 Estrelas (M5S) e foi submetida às três primeiras votações (duas no Senado e uma Câmara) ainda durante a aliança com a Liga, de extrema direita. Apesar da troca de governo, o partido de Matteo Salvini manteve o “sim” à redução do Parlamento na quarta votação.

APOIO – “Nós apoiamos o corte dos parlamentares, sempre o fizemos. Qual é o problema? Votaremos unidos com a centro-direita”, disse o ex-ministro do Interior, em referência a seus aliados Irmãos da Itália (FDI), também de extrema direita, e Força Itália (FI), de centro-direita, ambos de oposição.

Já o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, havia votado contra o projeto no primeiro semestre, mas deu seu apoio após se aliar ao M5S no governo. “Os democráticos votam com convicção pelo corte dos parlamentares”,afirmou o líder da legenda na Câmara, Graziano Delrio.

O M5S havia exigido apoio à medida para formar uma coalizão de governo com o PD. Por se tratar de reforma constitucional, o texto precisava ser aprovado em duas votações em cada um dos ramos do Parlamento.

NOVA PÁGINA – “É o dia que esperávamos desde sempre. Com o `sim´ das forças políticas à redução dos parlamentares, o M5S faz história neste país, escrevendo uma estupenda página de democracia”, comemorou o subsecretário da Presidência do Conselho dos Ministros, Riccardo Fraccaro, expoente do Movimento 5 Estrelas e autor da reforma.

Além dele, o premier Giuseppe Conte também se pronunciou sobre o assunto, afirmando que “é um passo concreto para reformar nossas instituições. Para a Itália, é uma jornada histórica”.

MUDANÇAS –  De acordo com o texto, o número de deputados passará de 630 para 400, enquanto o de senadores cairá de 315 para 200. A medida também reduz o número de parlamentares eleitos no exterior de 18 (12 deputados e seis senadores) para 12 (oito deputados e quatro senadores).

Segundo o Movimento 5 Estrelas, a redução deve entrar em vigor na próxima eleição prevista para 2023 e tornará o Parlamento mais eficiente, além de poupar centenas de milhões de euros. Ainda não se sabe como será a nova distribuição de representantes da comunidade italiana nos outros países. Atualmente, a América do Sul conta com quatro deputados, incluindo os ítalo-brasileiros Luis Roberto Lorenzato e Fausto Longo, e dois senadores.

REFERENDO – Por se tratar de reforma constitucional, um quinto de ao menos uma das casas do Parlamento, 500 mil eleitores ou cinco assembleias legislativas regionais podem pedir um referendo sobre o tema dentro de até três meses após sua publicação no Diário Oficial.

7 thoughts on “Itália dá exemplo e reduzirá em 1/3 o número de seus parlamentares

  1. FANTÁSTICO!

    Lamento que para o Brasil o parlamento deva aprovar mais uma lei que amplie o número de “representantes do povo e dos Estados”.

    Afinal das contas, cada Estado conta com “somente” 20 deputados e três senadores, que não dão conta de tanto “serviço”!

    Parabéns aos italianos.
    Eu os invejo muito com esta decisão em benefício do país e da população!
    Muito diferente de nós, uma nação rica, povo educado, sem desemprego, sem pobres e miseráveis, um parlamento honesto, competente, responsável, que sequer nos deu qualquer demonstração de corrupção, ou seja, somos exemplos de desenvolvimento e progresso individual e coletivo.

  2. BENDITO SEJA O INTELIGENTE POVO ITALIANO !!! Quem dera tivéssemos representantes que realmente amassem nosso país e não pensassem apenas em si próprios. Com uma câmara e um senado repletos de ladrões e interesseiros, sabem quando algo parecido se dará aqui? NUNCA !!!!!!

    • Nos respeitarão quanto mais nos dermos ao respeito. O dia em que deixar de ser um excelente, e apenas um negócio, o parlamento diminui. Ganham demais, podem demais, são cobrados muito de menos. Muito poder, dinheiro e nenhuma responsabilidade, quem não quer isso? Melhor ainda se os seus puderem entrar. Para isso, a matemática é sempre a soma, nunca a diminuição de vagas.

  3. Um cidadão esquece seu cartão de crédito no carro, volta para pagar e é recebido a chutes, sendo severamente espancado. Tem mandíbula e outros ossos da face quebrados e recebe 10 mil de indenização. “O arbitramento em R$ 10.000 afigura-se suficiente para reduzir o sofrimento experimentado pela vítima e sem causar enriquecimento ilícito, prestando-se também como fator de desestímulo para que situações assim não venham a ocorrer novamente”, escreveu o relator Mario A. Silveira”. UOL.
    A preocupação da Justiça, com o “enriquecimento ilícito” da vítima é co-mo-ven-te. Ameniza o sofrimento e muito do acusado, isso sim. Por isso que aqui nada funciona. Um caso deste lá fora a empresa perderia, lá sim, muito dinheiro e realmente este caso, que é costumeiro no Brasil, teria desestímulo a altura.

  4. Podem elogiar a Itália com essa atitude, mas o Brasil já a deixou muuiito pra trás em corrupção!
    Eta país anão em que nem se precisa plantar para colher ladrão. E eles existem em todos os níveis, de todas as cores, de várias idades, com muitos odores (já deu samba!).

  5. a QUESTAO NÃO É TER MIL OU CEM PARLAMENTARES SE NOS ELEITORES NÃO TIVERMOS O PODER DE TIRA-LOS QUANDO NÃO CUMPRIREM O PROMETIDO NADA ADIA .NTA O MANDATO TEM QUE SER IMPERATIVO NÃO CUMPRIU,SAIU.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *