Jair Bolsonaro ridiculariza Moro, que responde dizendo: “O presidente está com medo”

Moro começa a assustar, e é bom que seja assim | Jovem Pan

Moro afirma que o governo de Bolsonaro é “muito ruim”

Thays Martins
Correio Braziliense

O ex-ministro da Justiça no governo Bolsonaro Sergio Moro (Podemos) criticou a atual gestão do Planalto e disse que o “governo é muito ruim”. Em entrevista à Nova Brasil FM, na manhã desta terça-feira (7/12), Moro respondeu a uma provocação de Bolsonaro, feita nesta segunda-feira (6/12), perante apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada

O presidente afirmou que o rival “não aguenta 10 segundos de debate” e ainda disparou contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). “Ele se elegeu na onda do real do Itamar Franco. Daí ele comprou a (emenda da) reeleição”, disse o chefe do Executivo.

META NO SENADO – Bolsonaro também revelou sua meta de senadores aliados na próxima legislatura: apenas doze. Questionado por uma simpatizante sobre quantos parlamentares a base aliada deveria eleger para o Senado, Bolsonaro respondeu: “Uma dúzia está bom”.

Nesta terça-feira, Moro aproveitou a entrevista para responder a Bolsonaro: “Não quero ser ofensivo com ninguém. Esse governo é muito ruim. Esse governo é tão ruim porque, normalmente, é muito fácil um governo se reeleger. Você está na máquina. Se você faz um governo minimamente bom, você consegue se reeleger. O presidente está com medo. Com isso, quer ficar desviando o foco das pessoas. Por isso, fica lá ofendendo”, disse Moro. 

O pré-candidato ao Planalto em 2022 também disse que quando aceitou ser ministro da Justiça no governo Bolsonaro ainda acreditava nas falas do presidente. “Tinha toda uma expectativa de que o governo poderia dar certo. Tudo bem, o presidente era uma pessoa controvertida. Mas aquelas declarações eram tão malucas que ninguém acreditava que aquilo poderia virar uma política pública”, afirmou.

SEM ARREPENDIMENTO – Ainda assim, Moro disse não se arrepender de ter feito parte do governo. “Tinha uma energia, uma visão de que estávamos caminhando para um país melhor. Tinha uma chance da dar certo”, disse. “Hoje, o país não tem projeto, não tem liderança, não tem princípios, nem valores, nem diálogo. A gente quer tudo isso de volta”, finalizou.

Moro também comentou a declaração de que Bolsonaro teria comemorado a soltura do ex-presidente Lula. De acordo com o ex-ministro, Lula não está preso era benéfico para Bolsonaro.

“Todo mundo em Brasília sabe disso. O presidente foi eleito com o discurso de ser contra a corrupção, mas todo mundo sabe que ele não fez nada. Quando foi revista a execução em segunda instância, a voz corrente no Planalto era de que a soltura beneficiava o presidente. Era interessante para ele”, afirmou.

8 thoughts on “Jair Bolsonaro ridiculariza Moro, que responde dizendo: “O presidente está com medo”

  1. Risível. É o sujo falando do mal lavado!
    Uma comédia.
    Tudo farinha do mesmo saco. Todos querendo a fama sem um mínimo de responsabilidade pelos seus atos do passado.

  2. Por quê então fez parte do Governo? Por quê liberou a delação mentirosa do Palocci na véspera do 1ª turno, delação que havia sido rejeitada pelo próprio Ministério Público Federal, segundo o Carlos Fernando? Por quê negociava a ida para o Ministério da Justiça ainda antes do segundo turno, segundo o General Mourão? Pecador arrependido e mentiroso. O povão, maioria do eleitorado, já fez sua opção. Esse cara será condenado pelo julgamento do povo.

  3. O cavaleiro da morte do Apocalipse está em plena ação em nosso País. Imaginem qual será a inflação do próximo ano e valor do Dólar. A inflação não decorre de excesso de demanda e sim da elevação dos preços regulados como combustível e energia. Imaginem quanto subirão os preços dos fármacos no próximo ano.

    • O presidente está perplexo com a subida da temperatura presidencial, favorável ao ex juiz Sergio Moro.
      Foi pego de surpresa com a candidatura de seu ex- subordinado, nomeado Ministro da Justiça e que conhece muito bem as entranhas do governo e as fragilidades do presidente.
      Quando Bolsonaro ataca Moro, o ex- juiz contrapõe com vários petardos que atingem o coração do Poder.
      O pior é que ele não tem saída, porque não pode deixar o ex-juíz subir nas pesquisas em cima do seu eleitorado.
      Bolsonaro está numa sinuca de bico. Se atacar Moro leva o troco dilacerados. Se não ataca, Moro vai subindo lentamente, a ponto de tornar irreversível sua ida para o segundo turno.
      Outra coisa, atacar FHC, o guru dos tucanos, não acrescenta nada na sua campanha para a reeleição. O sociólogo está afastado das decisões do PSDB, e nem os seus artigos no Estadão e no Globo, o ex presidente tem elaborado. Esse fato é preocupante e sinaliza algo, que não sabemos. O intelectual tucano está triste com a divisão do Partido que ajudou a criar, sendo o seu mais ilustre fundador.
      Se ele crítica a emenda da reeleição, incentivada por FHC, então, por qual razão, Bolsonaro não enviou uma PEC ao Congresso, logo no início de 2019, extinguindo a reeleição para presidente, governadores e prefeitos?
      Lógico, que não, porque ele também queria ficar oito anos na presidência.
      Não assiste razão, criticar aquilo que se deseja com ardor.

  4. Espero viver pelo menos para ver esse canalha boçal ser esmagado pelo povo nas urnas e nunca mais ser eleito coisa nenhuma. MORO VAI GANHAR FÁCIL !!!O boçalnato é tão ruim que conseguiu ser milhões de vezes PIOR QUE O LULA !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *